Uncategorized

‘Investimento vai bombar em 2014’, diz Mantega

Admirador da ideia de que é possível tratar o imponderável com precisão, o ministro Guido Mantega (Fazenda) aproveita a atmosfera de dúvida que a inflação propicia para prever, com extraordinária dose de certeza, dias muito promissores. “A economia está num momento de transição”, diz ele. “Um programa de infraestrutura, como o que lançamos em 2012, demora a ter efeito. O investimento vai começar a bombar mesmo em 2014.”

Mantega propagou seu otimismo em relação ao ano eleitoral numa entrevista aos repórteres Raquel Landim e João Villaverde. Está disponível aqui. Insinuou que a carestia dos alimentos e dos serviços não é o bicho-papão que muitos pintam. “O que está na boca do povo é o tomate, não a inflação”, afirma. Para ele, “a inflação recente não é uma questão estrutural, mas pontual.”

No acumulado de 12 meses, a inflação estourou o teto da meta oficial em março. Nada que tire o sono de Mantega. “Vamos cumprir a meta neste ano.” Sim, o Banco Central talvez tenha que elevar a taxa Selic, o ministro admite. Dosagem leve, ele dá a entender, “porque a política monetária está mais eficiente.”. Tão eficiente que, se for mesmo necessário elevar os juros, “não é necessário um tiro de canhão. Pode ser um tiro de metralhadora.”

Evocando “projeções do mercado”, Mantega declara que o PIB crescerá de 3% a 3,5% em 2013. Nessa matéria, o ministro vem se revelando um bruxo em litígio com a realidade. Na primeira reunião ministerial do governo Dilma, realizada em janeiro de 2011, Mantega expôs aos colegas de Esplanada os objetivos econômicos da nova administração.

De 2011 a 2014, o Brasil cresceria uma média de 5,9% ao ano, estimou o titular da Fazenda. Em 2011, entregou 2,7%. Em 2012, 0,9%. A média de crescimento do primeiro biênio de Dilma foi de irrisória: 1,8%. Como se vê, a intimidade do ministro com os búzios é igual à do repórter com Sharon Stone. Nenhuma. Vão reproduzidas abaixo algumas declarações extraídas da entrevista:

– O fantasma da inflação: “O que está na boca do povo é o tomate, não a inflação. O comportamento dos preços neste começo de ano tem sido parecido com o dos últimos oito anos. Tivemos choques nos preços das commodities, o que não nos deixa tristes, já que somos grandes exportadores de produtos básicos, mas é claro que há reflexo na inflação. No ano passado, tivemos nos Estados Unidos e no Brasil uma seca. Além disso, fizemos uma desvalorização cambial, que também é inflacionária, tendo efeito de algo como 0,4 ou 0,5 ponto porcentual no IPCA. Se somarmos as coisas, veremos que a inflação recente não é uma questão estrutural, mas pontual. […] Vamos cumprir a meta neste ano.”

– Além dos alimentos, os serviços: “Essa alta nos preços dos serviços ocorre por conta do bom momento. A massa salarial está subindo, portanto, o poder aquisitivo da população aumenta. No caso dos bens industriais, se o produtor nacional aumenta o preço, o consumidor compra o importado. Mas com os serviços isso não é possível. Com o tempo, a concorrência se implanta, porque, se o corte de cabelo começa a ficar muito caro, logo alguém aparece fazendo o mesmo e cobrando menos. Mas, em março, os serviços não foram os vilões.”

– Os juros: “Não há necessidade de voltar [aos patamares do passado], porque a política monetária está mais eficiente e a economia já desindexou um pouco. […] O Brasil é um País mais normal hoje. Isso significa que, se precisar [subir os juros], não é necessário um tiro de canhão. Pode ser um tiro de metralhadora.”

– Os empregos: “Não vamos jogar fora o maior avanço recente, que é não ter desempregados. Esse problema do aumento do custo da mão de obra tem de ser enfrentado com velocidade na qualificação da mão de obra. Até, se for o caso, deveria vir mão de obra de fora para essa transição. Também rebatemos essa questão com a desoneração da folha, que contrabalança o aumento do salário real em condições de pleno emprego. Nos países com desemprego alto, o salário é mais baixo, mas não tem mercado. Qual é a vantagem? Acho um absurdo pensar que isso é uma vantagem. A população está muito satisfeita.”

– O intervencionismo estatal: “A pior coisa é ficar inerte, assistindo uma economia se degringolar. Não posso pensar: ‘Oh, que beleza, está valorizando o câmbio’, ou ‘Oh, que beleza, deixa o pessoal fazer arbitragem’. Aí explode a indústria. Se não tivéssemos tomado essas medidas para o setor automotivo, seríamos engolidos pelos importadores. Nas crises passadas, a indústria e o comércio eram destruídos e havia desemprego em massa. Nada disso aconteceu desta vez. A indústria cai uma hora, depois sobe, mas é assim mesmo. Agora serão necessárias menos medidas. O que vai continuar é o programa de desoneração.”

– Medidas de estímulo X Inércia do PIB: “O que nos pegou de surpresa foi o agravamento da crise europeia, e as medidas que tomamos ainda vão levar um tempo para surtir efeito. Você reduz os juros e ele tem efeito dali a dez meses. Não vamos esquecer que o juro vinha caindo lentamente e só foi atingir o atual patamar de 7,25% ao ano em outubro do ano passado. Há um paradoxo na economia brasileira no caso dos juros e do câmbio. Vivemos muito tempo com juros altos, e a economia ficou viciada. Mesmo o setor produtivo tem uma parte do seu rendimento que é atrelado ao mercado financeiro, como uma forma de se defender. Mesmo as empresas que passaram a vida toda pedindo para cortar o juro, perdem, num primeiro momento, quando isso acontece. […] A economia está num momento de transição. Um programa de infraestrutura, como o que lançamos em 2012, demora a ter efeito. O investimento vai começar a bombar mesmo em 2014.

12 Comentários

  1. O maior chutador da economia vai passar à história como um dos maiores enganadores da república. Como se dizia nos tempos de escola: sua presença não está agradando, finja que vai cagar, e saia de fininho.

  2. Se for igual a promessa do PIBão que veio um PIBinho! Coitado do Pinóquio, já foi desbancado!

  3. Esse gênio erra até o dia do aniversário. Inflação pontual? É preciso avisar os donos de mercado, os prestadores de serviço, etc… Acho que eles não sabem, gênio.

  4. Como é que ele sabe?
    Eis o mistério dos mistérios?
    Se não ocorrer ele terá responsabilização?
    Claro que não – sempre haverá uma crise internacional para safar as incompetências …
    Pede para sair, Mantega – chega de incompetência e dizer a vontade do petismo.

  5. Pra acreditar nesse aí só a turma do silvetsre e cia.
    Querem apostar que o idiota vai me chamar de nazista…de novo.

  6. Essa do Mantega nem os paus mandados do PT acredita mas dirão o contrário como manda a Cartilha, sendo que a massa de manobra não pode ter opinião própria

  7. Vai bombar sim ministro, vamos levar uma tremenda bomba nesta matéria, Investimento Estrangeiro.

  8. Pós pt ñ sobrará nada Reply

    Intervencionismo e PIB fraco, faz investidores estrangeiros se afastarem do Brasil.
    (…)
    “É uma decepção: o Brasil terá crescimento de cerca de 1,5% a 2%, nem a metade da média dos emergentes”, disse Ruchir Sharma, chefe da área de Mercados Emergentes do Morgan Stanley.”Para completar, o governo adotou medidas intervencionistas que aproximam o Brasil de países com Argentina e Venezuela e terão efeito negativo no longo prazo.”Segundo Michael Shaoul, presidente da Marketfield Asset Management (que administra US$ 3,5 bilhões), “o governo implementou uma série de medidas anticapital que podem até ser boas para a população, que vai pagar menos juros no cartão de crédito, mas que não agradam ao investidor.”Ao longo deste ano, o governo Dilma
    pressionou a redução dos juros cobrados de clientes, usando a concorrência dos bancos públicos, além de “broncas” públicas.A Anatel suspendeu as vendas de planos de celular, exigindo melhora da
    qualidade do serviço. Dilma lançou um pacote de energia que condicionava a renovação das concessões das elétricas a reduções nas tarifas.”O governo começou a caça às bruxas contra os bancos, as ações despencaram. A Dilma espremeu as elétricas, e os papéis desabaram está muito difícil investir no Brasil”, diz um dos maiores operadores estrangeiros da Bovespa, que pediu para não ter seu nome revelado.
    “O México está muito mais atraente -cresce mais e o governo não intervém tanto.”
    *Folha de São Paulo

  9. salete cesconeto de arruda Reply

    Vejamos…
    Os brasileiros estão viajando e torrando grana em Nova York…
    Os brasileiros estão comendo carne, estudando, comprando casa, carro…
    O tomate no PESCOÇO da Ana Maria Braga deveria ser uma MANDIOCA pois a MANDIOCA subiu bem mais do que o tomate que teve plantação reduzida. Mas foi o TOMATE que levou a grande mídia a dar BARRIGADA. Ou tomatada!
    A Ana pode mandar uma MANDIOCA para o FH se ele estiver na França. Mas ele terá que usar a MANDIOCA no pescoço. Em francês.
    Enquanto isso os TROUXAS do golpe que foram enganados pelos americanos CIA/GOVERNO através de um único homem, veja o filme O DIA QUE DUROU 20 ANOS – estão preocupados em NÃO DEIXAR QUE O POVO CONSUMA!
    Haja TERROR para ganhar eleições no grito!
    O Brasil dos mais pobres está MAIS LINDO DO QUE NUNCA!
    Já os medianos MEDÍOCRES preferem as migalhas dos ricos e dos que não suportam irmãos de pátria sentados no lado – no avião!
    Assim caminha a humanidade.
    E sobre a PENA PARA MENORES faz logo, dos mais pobres abandonados, BABY BIFE para que os ricos os comam de óculos escuros como os vidros dos seus carros. Carros e ricos no artigo do Nilton Bonder no blog do Ancelmo Gois. O filósofo francês propunha que a BURRA ELITE francesa não deixasse estragar a carne das crianças nas ruas com piolho, sarna, abuso, queimaduras, trabalho escravo, estupro, morte….
    Ele sugeria que fizesse logo BABY BIFE. Até para não gastar com DEPÓSITO de humanos onde com certeza só irão os infratores pobres. Rico com advogado tem sempre segunda chance. Ou filhos de políticos poderosos…
    Mas essa é outra história
    Esperamos que Ana entre com uma MANDIOCA no pescoço nesta segunda. Aí a gente acredita nela. E quem sabe na
    TSUNAMI.
    Salve Dilma e seu Ministro.
    Nada de PACOTES.
    Governar para TODOS é administrar com todas as medidas necessárias sem PENALIZAR os mais pobres outra vez como tempo em que eram obrigados – SEMPRE – esperar que o tal bolo….
    VIVA A BLOGOSFERA!
    Mais um jornalecão está morrendo!
    Que bom!
    Menos PIG e mais IMPRENSA!
    Ótima semana para todos.

  10. Vigilante do Portão Reply

    SIGNIFICA DIZER:

    Já desistimos de 2013?

    1/3 do ano, e nada do crescimento robusto.
    Nada da Inflação dar sinais de queda.

  11. QUESTIONADOR Reply

    -Páre de tapar o sol com a peneira…o investimento não vai bombar nada..o que vai bombar é a volta da inflação!!!!

Comente