Uncategorized

Segurança no Atletiba terá 900 PMs e delegacia móvel

A Polícia Militar montou esquema de segurança com mais de 900 policiais militares para o jogo entre Atlético Paranaense e Coritiba, pela penúltima rodada do returno do Paranaense. A maior parte do efetivo, 70%, atuará em Curitiba e o restante na região metropolitana. A partida será às 15h30 de domingo, 21, no Estádio Erton Coelho de Queirós (Vila Olímpica), no Boqueirão. Dentro do estádio, será instalada a Delegacia Móvel de Futebol e Eventos da Polícia Civil.

A segurança do jogo terá 18 bloqueios próximos ao estádio, policiamento em pontos estratégicos e fiscalização em terminais e locais com aglomeração. O comandante da operação Atletiba será o major Manoel Jorge dos Santos Neto, do 13.º BPM. “A partir das 12h os policiais estarão nas ruas para garantir a tranquilidade da população”. Apoiarão a operação guardas municipais e policiais militares do Bope, do Regimento de Polícia Montada, do BPTran e do Grupamento Aéreo Policial (Graer).

11 Comentários

  1. Quem é mesmo que paga a conta? Esse evento não é privado e o lucro não vai para as empresas promotoras? A segurança é responsabilidade de quem nesse caso? Podem até dizer que recolhe-se uma taxa oficial aos cofres públicos, mas pelo menos passa perto da despesa que na verdade o povo paga?

  2. Prezados senhores, alguém sabe quanto cada clube vai pagar pela mobilização policial???????
    E como vai ficar o policiamento nos bairros mais afastados???????
    É justo que todos paguem pelo usufruto dos particulares(no caso dos clubes)??????

  3. e lamentável, ver o custo que isso traz ao estado, e a saúde como vai??? a educação, os idosos, as crianças vivendo em situação de vulnerabilidade, não tem a menor importância, quando vamos acordar e tentar mudar o rumo da história. Pelo aparato mostrado não dá imaginar que o povão esteja indo para um praça de esportes, mas sim para um confronto.

  4. Jogos de futebol tornaram um palco de lutas medievais. Uma verda-
    deira vergonha onde futebol é o que menos importa. Quem paga a
    conta dos prejuízos e da mobilização policial ??? o povão !!!

  5. angelo garbossa neto Reply

    Com tantos policiais, será que vai ter lugar para torcedor????

  6. ´Destinar 900 policiais para cuidar torcedores de um joguinho de futebol. E a segurança dos demais moradores como fica. Isso deveria ser responsabilidade dos clubes, a policia deveria intervir quando o patrimônio público ou os demaias cidadões fossem ameaçados.

  7. Prezado Sr. Comandante Manoel Jorge dos Santos Neto.
    Pergunto, diante do comprometimento de um evetivo de 70% do policiamentoda capital cobrindo um Atletiba, como fica a situação das demais pessoas que necessitam dos serviços da polícia?

  8. Quero ver alguém dizer agora que Curitiba é a cidade mais européia do Brasil…Só se for uma Napoli, Sofia, Tirana…

  9. Interessante essa questão de grandes eventos particulares.Pode surgir daí um novo debate sobre o uso do dinheiro público para pagar toda a estrutura policial como soldado, viatura motorizada, viatura animal ( cavalo ), armamento, entre outros.Qual seria o custo de todo esse aparato para esse evento ? Alguém saberia calcular ?

  10. Infelizmente é esta a realidade Lucia…muitos vão para brigar e não para se divertir…e com esta atitudes as familias deixam cada vez mais de comparecer aos estadios…acredito que o policiamento no entorno deveria ficar a cargo do Estado, mas dentro não…afinal o evento é privado…quem sabe um dia isto acontece…

  11. policial militar Reply

    Anônimo e Márcio: os PMs que trabalham em jogos, em sua maioria, são os de folga, administrativos e com escalaextra, ou seja, os PMs da escala do dia, que cuidam de toda Curitiba continuam em seu trabalho normal. O que há, e que vcs com certeza não sabem, é que os policiais aplicados, além de sua carga horária normal, ainda são escalados em eventos como esse. Sobrecarga de trabalho e pouco ou nenhum reconhecimento pela população, é essa a nossa vida.

Comente