Uncategorized

Laerte e Wyllys criam comissão de direitos humanos paralela

De Teresa Perosa, Época:

O cartunista Laerte (à dir.) e o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) comandarão o que chamaram de comissão-espelho de direitos humanos e minorias (CDHM). A comissão é aberta ao público e debaterá temas como aborto e união civil homoafetiva em protesto a atual formação da CDHM da Câmara, presidida pelo deputado Marco Feliciano (PSC-SP) – acusado de homofobia e racismo. O protesto é organizado pela ONG Conectas, de defesa dos direitos humanos, e ocorre na próxima quinta-feira (25) às 19h na Praça Roosevelt, em São Paulo.

16 Comentários

  1. A Sociedade Responde Responder

    Ok. Já que naquela Casa vale tudo, então que se crie, também, uma comissão paralela – ou espelho, como queiram -, da tal Comissão de Constituição e Justiça em que os mensaleiros José Genoíno e João Paulo Cunha, condenados pelo STF se fazem de autoridade e representantes do povo. UMA VERGONHA.

    Feliciano, ao menos, no cargo é legítimo. Foi eleito! Esse é o Brasil do faz-de-conta. Brasil da cara de pau de políticos duvidosos e do rabo felpudo.

  2. cesar - eu mesmo Responder

    É PA KA BA…. DEPOIS DISTO VAMOS A CORÉIA. O RESTO VIRA POR SI SÓ, DIRIA O GRANDE FILÓSOFO Friedrich Nietzsche

  3. Era muito melhor que os dois enfiassem um espanador de pó no traseiro e saíssem por aí dizendo que sao pavões. Chamariam mais atenção.

  4. gilsinho mauri Responder

    veado e machorra sempre houve; só que no passado eram mais ponderados e não apareciam fazendo tanto estardalhaço; quem conheceu o Oswaldinho mordomo de familia da classe A na pça. Osório sabe como ele era recatado. Hoje se voce senta num teatro com a esposa e filhos adolescentes e sentar na frente um casal de franguinhos se esfregando e voce chamar a atenção vai preso; é muito direito pra pouco comportamento. Veja esses dois veados da notícia e pergunto se dá pra confiar nas figuras? e um ainda diz que é homem e pai de dois filhos e o outro consegue ser eleito pela gangue de bichas enrustidas. O certo é que eles fiquem na deles e não agitem, pois são eles que criam a homofobia!!!!!!!!!

  5. Que maravilha; um psicótico que se veste de mulher e não sabe se é homem ou o quê e um deputado que acha que todo mundo tem a cor do arco íris.

  6. Pois é . . . e os frequentadores deste blog mostram suas ferraduras quando confrontados com ‘o diferente’ e partem pra cima, relinchando todos os dogmas preconceituosos que aprenderam desde a infância!

  7. E tem gente que fala mal do Feliciano!!!!!!!! Olha o tipo de gente que quer falar em Direitos Humanos ( só pra eles é claro ). Esse país, vai acabar tendo batalhas violentas nas ruas, e boa parte da culpa disso será de gente que apoia essa gente promiscua. Isso é um incentivo sim a tal intolerancia, que os integrantes das Associaçoes Gays espalham, pelas ruas, midia e agora congresso Nacional. Isso ainda vai dar Merd…a .. Anotem ai!!!

  8. Essa zona tem que acabar. Vou montar um grupo paralelo daqueles que não tem casa na praia, outro para quem não tem iate, outro para quem não tem dinheiro para comprar passagens aéreas e assim por diante.

  9. salete cesconeto de arruda Responder

    E depois dizem que Lula é o analfabeto.
    Um pouco de Grécia clássica e SEXUALIDADE e um mínimo de entendimento de Freud calaria os machões.
    Mas é esperar demais não é mesmo Fábio?
    Assim caminha a humanidade.
    E mal sabem os críticos do comportamento SEXUAL ADULTO de outros que o MEDO DE SER IGUAL é o que nos move a criticá-los. Pois é.
    Assim caminha a humanidade tão DESUMANA!

  10. Renan Lacerda Lima Responder

    Engraçado como os homofóbicos ficam sempre com esse receio de que, “a partir de agora, vai ser obrigatório ser gay” ou que “o que querem é implantar uma ditadura gay”. Garanto que eles nunca, assim como eu, nunca viram nenhum militante dos direitos LGBT defender uma bandeira assim. A impressão que me dá é que de eles têm medo, na verdade, de acabar se reconhecendo a si próprios como gays, no final da história. Quando dois homens ou mulheres gays lutam para ter o direito de se amar, em privacidade ou em público, sem que com isso estejam machucando ou inflijindo os direitos de ninguém, assim como se amam um homem e uma mulher heterossexuais, na frente de crianças ou na frente de adultos, estão defendendo seu direito básico de amar ou odiar livremente, um dos direitos mais básicos de qualquer ser humano. Quem quer calar essas pessoas é que está alimentando um ódio que, um dia, pode acabar explodindo em movimentos violentos no futuro. Parabéns ao Jean Wilys e ao Laerte, que têm mostrado consciência, espírito democrático e inteligência em suas obras políticas e artísticas.

Comente