Uncategorized

João Arruda abre o jogo

O deputado federal João Arruda (PMDB-PR) é o entrevistado de segunda-feira (6) do programa Voz, ancorado por Toni Casagrande.

Na gravação da entrevista (foto), que vai ao ar a partir das 11h pela TVCI canal 14 em Curitiba, João Arruda falou sobre as agruras de seu trabalho na Câmara Federal e na condução como presidente das comissões especiais do Marco Civil da Internet e da Lei Anticorrupção, recentemente aprovada pela comissão. Ele que acredita na candidatura própria do partido ao governo do Paraná, com Requião, não teve pejo em falar sobre eleições 2014, o futuro do PMDB e a situação dos municípios paranaenses.

3 Comentários

  1. O jovem Dep João Arruda merecia ser entrevistado por uma tv mais prestigiada e séria. Esta TVCI saiu corrida de Paranaguá devendo pra todo mundo. Eta Ademar Monteiro velhaco e vigarista !!! Um cheque dele na praça não vale nem uma nota de 3 reais… Arghhh

  2. ademar ferreira da silva Responder

    é incrível que o referido deputado que assessorou Ricardo Gomyde na Secretaria de Esporte do Pr. e apoiou o Forum da Morte Súbita, que reuniu em Curitiba (2005) os melhores especialistas em Medicina do Esporte do país, sucumbiu ao LOB das academias de E. Fisica em S. Paulo. A Lei da Morte Súbita foi aprovada em Curitiba pelo então Prefeito Ducci (2010) e logo em seguida o Kassab aprovou em S. Paulo; trata-se de avaliação por médico pré atividade física e que é útil e indispensável para a prática de exercicio. A referida Lei foi enviada para Brasilia (Leia Diretrizes da Morte Súbita no site da Sociedade Brasileira do Exercicio e do Esporte) em 2005 e nunca foi aprovada como Lei Federal, pois o LOB das academias é muito grande, e agora S. Paulo recebeu o apoio do referido deputado que achou desnecessária avaliação médica e que um simples exame do prof. de educação fisica é suficiente para frequentar academias; é bem o que os donos das academias comentam que eles estavam tendo prejuízo porque muitos alunos ao serem obrigados a levar um atestado de profissional da área médica não se matriculavam e eles perdiam dinheiro; recorreram então ao referido deputado que tomou a iniciativa de retroagir uma situação já em andamento e hoje não está sendo mais necessário apresentar atestado. Atitude pueril de quem no passado apoiou uma situação e no momento de forma lobista defende o lado mais forte em detrimento de uma proteção para os atletas banalizando a morte no exercício mais uma vez. Espero que aqui em Curitiba ele não consiga este intento pernicioso e que o Secretario de Saúde e do Esporte defendam o que foi conquistado para o bem da população com bastante sacrificio; sugiro ao blog que coloque o assunto em discussão e de imediato vou enviar duas reportagens recentes comentando a atuação do Arruda “ajudando” os lobistas de S. Paulo.

Comente