Uncategorized

Carro feito no Brasil é ‘mortal’, segundo agência de notícias americana

Do Estadão:

SÃO PAULO – O jornal americano The New York Times publicou em seu site ampla reportagem da agência Associated Press intitulada “Carros feitos no Brasil são mortais”.

A reportagem afirma que os veículos produzidos no País são feitos com soldas mais fracas, poucos itens de segurança e materiais de qualidade bem inferior aos dos fabricados nos Estados Unidos e na Europa

“O que acontece quando esses veículos vão para as ruas está se transformando numa tragédia nacional”, afirma a reportagem. A Associated Press é uma das agências de notícias mais antigas do mundo, fundada em 1846. Ela fornece noticiário para mais de 1,7 mil jornais e cinco mil emissoras de rádio e TV.

A alta taxa de mortalidade no trânsito no Brasil seria quatro vezes superior à americana, resultado da fragilidade dos modelos brasileiros. O artigo aponta que de cada cinco carros analisados no País, quatro não passariam em testes de colisão feitos por empresas independentes.

Em resposta ao polêmico artigo, as montadoras declararam que os automóveis brasileiros respeitam normas de segurança vigentes no Brasil. O número de mortes de motoristas e passageiros é atribuído por elas à má conservação de ruas e estradas.

Enquanto nos Estados Unidos a margem de lucro para as montadoras automotivas é de meros 3%, no Brasil seria de 10%, segundo o artigo. A diferença viria da economia com a qualidade dos produtos.

Outro número levantado chama à atenção: da última década para esta, subiu em 72% o volume de mortes no trânsito do Brasil. O artigo relaciona esse dado ao boom da classe média brasileira.

Em dez anos, 40 milhões de pessoas ascenderam das classes D e E à classe C. Nessas condições, a quantidade de gente comprando o primeiro automóvel aumentou. Assim, com mais motoristas de carros inseguros nas ruas, as mortes tendem a ser cada vez mais frequentes.

A reportagem da Associated Press ouviu Alexandre Cordeiro, representante do governo brasileiro, que admitiu a falta de equipamento de testes de impacto (crash-test) no governo federal e a necessidade de aperfeiçoamento da legislação relativa à segurança veicular.

13 Comentários

  1. brasileiro envergonhado Responder

    Sinto vergonha disso tudo… a gente paga bem mais caro por um automóvel brasileiro, em razão dos impostos escorchantes… e mesmo assim estamos em desvantagem aos estrangeiros, que são bem mais seguros… pobre de nós, contribuintes e cidadãos brasileiros… sinto-me enganado, tanto pelas montadoras, como pelo governo brasileiro que nada faz para aumentar nossa segurança, nem exigindo qualidade do produto brasileiro, nem arrumando nossas estradas… que vergonha disso tudo!

  2. Parreiras Rodrigues Responder

    Sem contar que o carro brasileiro nos custa três vezes ou quase mais que o americano.

  3. Enquanto isso o governo faz de conta que a culpa dos acidentes é apenas do motorista, inprudente, negligente, e do alccol, ingerido. E aí temos pessoas presas diariamente porque tomam um copo de cerveja ou de vinho de forma responsável.Depois deste notícia quem vai ser responsabilizado pelas altas taxas de mortalidade no trânsito brasileiro?

  4. Cap. Nascimento Responder

    Notei este detalhe quando dei uma pequena batida em baixa velocidade, dentro de um estacionamento, e meu carro parecia que tinha sido colhido por um caminhão!!! Uma porcaria e caro!!!

  5. SUCATAS AMBULANTES, VERGONHA NESSE PAIS QUE SE TANTO PAGA IMPOSTOS PARA TERMOS ISSO DE PIOR QUALIDADE, ISSO TAMBEM SERVE PARA A INTERNET A MAIS LENTA E MAIS CARA DO MUNDO, ESTAMOS PERDIDOS….

  6. Epa! A crítica não está vindo lá do jornal norte-americano? Mas quem fabrica os carros por aqui? Não são as multinacionais amercanas, européias e asiáticas? São eles quem fabricam nossos carros/porcaria/caras e com o consentimento e benesses do nosso governo!

  7. Isso que é ser reconhecido e notado pelo seu governo e suas insdustrias do abc paulistas, e vale lembrar que a 2 anos atrás a Dilma aumento o IPI sobre carros importados, para que???? Matar o seu amado povo não seria melhor comprar o carro popular e outros de baixa segurança e ganhar uma arma,pois o resultado final é a mesma coisa,não é meu povo????
    Brasil um dia ainda meu neto verá vc mudar!!!!

  8. Há séculos atrás comprei uma KOMBI feita para ser exportada para o Oriente Médio, e sabe-se lá por qual razão, ficou por aqui!
    Era outro carro, em todos os aspectos; segurança; conforto; ruídos; aparência; motor, etc etc etc.
    Aquele modelo tinha mais de mil ítens sobre o original vendido aqui! – Exigência dos árabes, que sabiam o que compravam!

  9. Concordo plenamente com a reportagem, o que importa para as indústrias brasileiras é o lucro bem como p/ o governo brasileiro. Somos se não me engano o 2º País que mais cobra impostos. Apenas um item de segurança já poderia diminuir o nº de acidentes se todos os veículos tivessem freio ABS. VERGONHA,VERGONHA VERGONHA.

  10. Quem revoltou as nossas fabricas de carroças foi o caçador de marajás, quando em 1990 chamou os nossos carros pelo nome certo, carroças. Passados mais de 20 anos continuamos fabricando carroças e comprando carroças. Mas a agencia americana erra na pontaria, o numero de acidentes está ligado a má formação dos nossos condutores, gente que nem bicicleta teve na vida, agora desfila no comando de um possante. E ainda há aqueles que insistem em encher a cara e dirigir, aí só podia dar no que dá. Construir possante melhores só vai piorar a situação, aí é que o povo vai abusar mais.

  11. antes de comprar um carro mais novo do que o meu pesquisei muito mais ou menos uns 5 meses,comprei um carro feito no brasil mas com tecnologia japonesa com todos os itens de seguranca e mais barato que muitos carros populares que nao tem nada.obs civic 2005 ok

Comente