Uncategorized

Paraguaios retomam bloqueio da Ponte Internacional da Amizade

Do G1 PR, em Foz do Iguaçu:

Manifestantes paraguaios retomaram na manhã desta segunda-feira (27) os protestos nas principais fronteiras do país com o Brasil e a Argentina. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, na região de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, eles bloquearam o trânsito na Ponte Internacional da Amizade por volta das 7h30. Os “paseros”, como são conhecidos os pequenos transportadores de mercadorias, protestam contra o rigor na fiscalização contra o contrabando anunciada pelo presidente Federico Franco no dia 13 de maio.

A série de protestos contra a chamada “tolerância zero” teve início no dia 16 de maio e ganharam força no dia seguinte, com bloqueios às rodovias e às pontes de acesso aos países vizinhos. No dia 17, as manifestações em Ciudad del Este, vizinha a Foz do Iguaçu, deixaram o trânsito na região da Ponte da Amizade parcialmente interrompido por quase dez horas. Em acordo prévio com o governo, a liderança do movimento havia decidido pela trégua até a volta do presidente Franco, que estava em viagem à Taiwan, no dia 24 de maio.

Os transportadores exigem que a cota mensal de isenção para a importação, por pessoa, passe dos atuais US$ 150 para US$ 500. Eles reivindicam ainda que o governo flexibilize, nas regiões de fronteira, a lista de produtos autorizados a entrar no país em pequenas quantidades. “A maioria destes produtos que o governo quer controlar não é produzida no Paraguai. Este rigor na fiscalização não tem sentido”, declarou na época à radio paraguaia 730 AM, Carlos Maldonado, um dos líderes do movimento.

Após o bloqueio desta segunda, sacoleiros e pequenos comerciantes brasileiros também aderiram ao protesto fechando o lado brasileiro da Ponte. Eles reclamam que operações feitas pela Receita Federal, Exército, e outros órgãos de fiscalização causam prejuízos ao comércio, porque diminuem o movimento de compristas.

3 Comentários

  1. Quando esse pais vai ter uma visão maior sobre consumo e fronteira ,queremos consumir precisamos consumir esse e nosso novo motivo para esternar os bons momentos,criem um polo aqui no Brasil com tudo que a no mundo sem muito imposto e deixem esse pais ser feliz

  2. Os nossos vizinhos estão tão acostumados com o contrabando que já nem sabem que ele existe. Passar mercadorias de um lado para o outro da fronteira sem pagar imposto é coisa normal. Exemplos de gente que perderam a noção da realidade foi o que vi no Facebook, uma beneficiaria da esmola oficial reclamando do valor dela, não dá nem para comprar uma calça de R$300, 00 para a filha adolescente.

  3. MOVIMENTO 2014 , infelizmentea presidenta do nosso Pais não pensam na nossa categoria de sacoleiros , ela pensa em privatizar para ajudar os mais favorecido que são os empresarios os homens mais rico do mundo, e que ajudam o PT na campanha politica da sua reeleição, e nós que precisamos mais , porque não temos emprego no nosso pais , temos que ir para outro lado buscar mercadorias para podermos revender e dar de comer os nossos filhos, e assim mesmo não trazemos grande coisar e estamos correndo o risco de perde as nossas compras. Hoje sou sacoleira com muito orgulho, não tive a sorte de poder estudar, mas não me envergonho de ser sacoleira.
    So gostaria que o nosso governo olhasse por os mais necessitados , DILMA VC É MÃE não privatize o nosso pais, ajude-nos por favor , libere a cota para um valor maior e coloque mais policiais para nos proteger nas viagem dos assaltantes, e não os policiais para nos tirar nossas mercadorias porque passou da cota.
    Deputados que estiver lendo este comentarios, seja mais um levantar a bandeira dos sacoleiros e nos agradecemos com os nossos votos .

Comente