Uncategorized

‘Temos dificuldade financeira’, diz Hauly

Governo terá que economizar para pagar reajuste no salário dos servidores. Luiz Carlos Hauly pediu ajuda dos deputados para honrar compromissos.

Bibiana Dionísio, do G1 PR

O secretário de Fazenda do estado do Paraná, Luiz Carlos Hauly, afirmou nesta terça-feira (28), na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), que o governo estadual terá que gastar menos e realocar recursos para a folha de pagamento para honrar o reajuste de 6,49% no salário dos servidores, em cota única.

Inicialmente, o reajuste salarial para o funcionalismo estadual seria concedido em duas parcelas. O parcelamento chegou a ser aprovado em primeira discussão, porém, diante da insatisfação dos servidores e de alguns protestos, o projeto de lei foi retirado de pauta, adiando a segunda votação até que o governador voltasse da viagem oficial que fez para Croácia, Rússia e França. Houve, inclusive, pedidos da base aliada para que o reajuste fosse pago integralmente.
saiba mais

Hauly afirmou que chegou a aconselhar o governador Beto Richa (PSDB) para manter o reajuste em duas cotas. “É um problema nosso, do governo, com a secretaria de Planejamento, da Fazenda e a Procuradoria”.

O secretário foi até o legislativo estadual para expor oficialmente o balanço das contas do Governo do Paraná no primeiro quadrimestre deste ano. Depois da apresentação dos números, o secretário foi sabatinado pelos deputados. Apesar de anunciar que a arrecadação de impostos no Paraná cresceu 13,79% , quando comparada ao mesmo período de 2012, Hauly disse que a gestão passa por um momento delicado. Contudo, ele nega que o caixa esteja em déficit. “Temos dificuldade financeira. Não temos déficit orçamentário”, complementou. O secretário informou que a receita líquida do estado é de quase R$ 25 bilhões.

“A receita e a despesa do quadrimestre estão empatadas. Não temos nenhuma folga. A receita cresce, tomara Deus que cresça como cresceu”, afirmou.

O secretário voltou a destacar a redução dos repasses federais para o Paraná e acrescentou que o estado terá que readequar o orçamento até o fim do ano para honrar todos os compromissos. “Pela estratégia elaborada vamos honrar todos os compromissos. Também está em risco nossa situação política”.

Hauly chegou a pedir a ajuda dos parlamentares. Disse que conta com a contribuição da Assembleia, referindo-se à economia da Casa nos últimos dois anos. O dinheiro, que não foi gasto, foi devolvido aos cofres estaduais. “Esta economia tem ajudado a cumprir compromisso”, explicou o secretário.

“A água está no limite, mas chegamos. Não sou otimista demais ou nem moderado para otimista. Temos uma responsabilidade grande e precisamos muito da ajuda dos senhores. Não se trata do Beto Richa, trata-se do Paraná”.

Empréstimos
O secretário e os deputados falaram também sobre os pedidos de empréstimos que o governo estadual encaminhou para o governo federal. Segundo Hauly, ainda que os projetos paranaenses ainda não tenham sido autorizados na esfera federal, o Paraná está apto para recebê-los. “Se os empréstimos saírem excelente. Não saindo, o orçamento vai ser cumprido. Mas, se não sair, é uma covardia contra o Paraná”.

Piso dos professores
Hauly foi questionado pelo deputado Professor Lemos (PT) sobre o pagamento do piso nacional de R$ 1.567,00. Segundo o parlamentar, desde janeiro o estado paga menos do que o valor estipulado pelo Ministério da Educação. O secretário não soube responder. Disse que o vice-governador e secretário estadual de Educação, Flávio Arns (PSDB), “encaminha a solução do problema”.

23 Comentários

  1. Quebraram o estado e ainda querem emprestar mais dinheiro. Como e quem vai pagar esse empréstimo ???

  2. O texto, nas entrelinhas, pretende que o funcionalismo é culpado. Ora troquem por celetistas para que haja economia, ou seja, sobra.
    Quantos, mais quantos funcionários para ganharem o que único deputado ganha … E eles não custam … E os funcionários são concursados …

  3. É fácil economizar, é só parar com estas viagem que não rendem nada, repassar menos dinheiro para o LEGISLATIVO, pois não fazem nada, além de cuidarem do próprio umbigo e parar de nomear apadrinhados………….

  4. O único problema é que os Policiais da Reserva perderam a paridade com os PMs da Ativa, com a implementação do subsídio. Isso sim é covardia!
    Quem vai resolver esta questão?

  5. É muito chororô, como o Beto vai querer se reeleger desse jeito? 2014 está aí e o homem só chora e não faz.

  6. Acho que para equilibrar melhor o orçamento do estado, devemos cortar cargos comissionados, principalmente dos secretários que não sabem responder as perguntas.
    Há também o tráfico de cargos comissionados, quando indivíduos que não prestam para nada são nomeados e, por serem inúteis ao serviço público mas possuírem alto poder de bajulação, mantém seus cargos mesmo quando saem de suas funções.
    É o que acontece, por exemplo, no DEPEN – Departamento de Execução Penal (Antigo Departamento Penitenciário).
    Há também a hipocrisia do governador em estipular um alto “salário mínimo regional” para posar de bom moço, e ter a cara de pau de tentar parcelar reajuste dos servidores quando está passeando pelo mundo às custas do erário.
    Vivemos em uma sociedade onde o trabalhador é penalizado e o bandido premiado.

  7. … hilário… esse governo , mormente o secretário!!!!!!, desculpa-se pela lei de resp. fiscal os funcionários aposentados ou em vias de se aposentar ?????? esses são os culpados ???.. ora pagaram-se anos e mais anos pela contribuição previdenciária descontadas fielmente mes a mes por longos 35 anos!!!!, recursos esses já recolhidos o caixa ai então não comporta tamanha despesa.. ” muit estranho” .hilário é qdo criou os 400 cargos comissionados aprovados a toque de caixa pelos ilustres deputados .. até então sem nenhum problema ” havia caixa suficiente”… esses gestores do bem público realmente …. encabeçados pelo ilustre e competente secretário da fazenda … veremos o ano de 2014 o desespero tentando mostrar o que nada foi feito.

  8. pereira vieira Responder

    secretário, não seria a hora de pedir o “choque de gestão”? esse modelo de governar era a formula do sucesso!
    ou foi só propaganda eleitoral, ops, eleitoreira.
    Pior que eu acreditei!

  9. Señor Cobranza Responder

    Simples… Basta “cortar a cabeça de 10% da horda incompetente e incapaz de cargos comissionados que existem nas diversas Secretarias de Estado. Todos sabem que esse pessoal está lá decorrente de algum favor político de partido A ou B… Sequer passam por alguma avaliação periódica de eficiência. Há comissionados mamando nas tetas públicas há mais de 20 anos, gente que se aposentou nessa condição, por absoluta falta de avaliação ou capacidade de gestão daqueles que se colocam em funções de gestão e direção. A novela se repete no TJ e na Assembléia.

    Acorda RPC!!

  10. Desde que foi reconhecia, ‘ a data base dos servidores públicos” sempre foi honrada pelos governos anteriores.
    Como pode o governo afirmar que o Estado encontra-se em dificuldade para cumprir com algo que já deveria ser planejado anteriormente .
    Realmente fica difícil a população ter um atendimento de qualidade com tanta insatisfação dos servidores com o reajuste de 6,49% , a ser pago somente em julho, mesmo que seja em parcela única.

  11. Não entendo esta. Não paga o piso de 1.567,00 aos professores, mas determina que o salário mínimo seja de 1.020,00, entre estes o das empregadas domésticas. Esta é a valorização do professor?

  12. Cap. Nascimento Responder

    Que tal demitir pelo menos metade do amigos comissionados que lotam todas as Unidades do Governo, nos três poderes. Saibam que tem cidadãos que prestam atenção nesta imoralidade. Se agregassem para o funcionalismo, tudo bem, mas a grande maioria é incompetente e só estão lá por camaradagem, parentesco ou outro motivo menos nobre.

  13. Doutor Prolegômeno Responder

    Uma sucessão de administrações ruinosas, inchaço de barnabés e aspones, em todos os poderes e outros penduricalhos, destroçaram as finanças. Governos que espantaram novos negócios e expulsaram os antigos, falta de visão de futuro e de clareza no planejamento. Saudades dos governos de Bento, Ney, Pimentel, Canet e outros com largueza de parabrisa e olhar adiante.

  14. CIDADÃO PARANAENSE Responder

    Sr. Comentarista
    Sou funcionário Público e por isso não me apresento.
    A discussão teria que ser de aumento real e não de pagar em 2 vezes a reposição inflacionária que na média dá 45 dias, é como iremos receber ou seja os 30 dias de maio e mais 15 dias p/pagar em folha suplementar.
    Quanto as dificuldades financeiras todos os governantes reclamam mas não fazem nada, há muito tempo perdemos a capacidade de planejamento, nesta área o Estado está sem perspectiva. Faz-se urgente uma Reforma Administrativa não só na quantidade de Secretarias, mas principalmente na qualidade. Execetuando-se alguns Secretários a qualidade é horrivel.
    Estes cargos em Comissão são a desgraça na gestão pública, só deveriam existir para os de 1º Escalão, Chefes de Gabinete e Diretor Geral, o resto extingue.
    Os funcionários públicos concursados com Pós Graduações devem ganhar melhor, só assim iremos profissionalizar,
    Cortem-se o excesso de carros oficiais, carros só para o 1º escalão.
    Senhor Governador, pense urgente em uma REFORMA.
    Com muito respeito

  15. Mané do Sudoeste Responder

    Perguntar não ofende. E diminuir cargos comissionados não é possível ? E por quê ? Ah,tirar os puxa-sacos dos deputados ,e cabos eleitorais perde voto. Ninguém fala em cortar funcionários, cortar gastos.Pedem para quem possui uma empresa privada,o que se faz,quando as contras nãoi fecham ?Todos cortam na carne,eita, enquanto isso o povo sempre pagando mais impostos.

  16. Deus… Deus??? Deus não tem nada a ver com esta história. É incompetência mesmo. E eu que pensava que economizar era a meta de qualquer governo, não só em época de crise. Dispensem 50% dos comissionados que já vai ter folga no caixa.

  17. augusto seabra Responder

    MALDITOS -APADRINHADOS: são corruptos, falidos, desonestos,
    e dizem que estão ajudando o governadorzinho….PRISÃO e/ou
    EXECUÇÃO desses malditos comissionados.Vão estudar e fazer
    concurso público – mas, somente aqueles que não ficha corrida na
    polícia…

Comente