Uncategorized

Coisa do demônio

Artigo de Mary Zaidan

Em qualquer atividade e para qualquer um, perder uma oportunidade é deixar passar uma chance que poderia ser única. Na política isso pode ser fatal. Situação, oposição e até os que não têm cheiro tentam se aproveitar ao máximo quando elas surgem. Absolutamente legítimo.

Mas, não raro, oportunidades acabam por irrigar canteiros de oportunistas – gente que rouba, que vende voto, que leiloa o mandato. E de oportunistas ideológicos – aqueles que em público xingam o demônio e que entre quatro paredes com ele se confraternizam.

O discurso do presidente do PT deputado Rui Falcão, na quinta-feira, em Curitiba, em mais uma comemoração pelos 10 anos de invenção do Brasil, é um exemplo acabado disso. “São quatro grandes monopólios ou oligopólios que urge desmontar: o monopólio do dinheiro, controlado pelo capital financeiro; o monopólio da terra, em mãos dos latifundiários que se opõem à reforma agrária; o monopólio do voto, garantido pelo financiamento privado e o poder econômico; e o monopólio da opinião e da informação, dominado pelos barões da mídia”, disparou Falcão.

Uma fala inflamada para alegrar a militância e fazer bonito frente ao ex-presidente Lula e à presidente Dilma Rousseff, estrelas maiores do encontro.

Nela, ele xinga os demônios, cospe no prato em que come e esconde os conchavos que há anos sustentam o PT.

Que monopólio do dinheiro? O que está concentrado nas mãos de empreiteiros – os mesmos para os quais Lula tem sido garoto propaganda? Dos banqueiros aliados que lucram ano a ano e ainda fazem transações espúrias com o partido, como o BMG do mensalão?

O monopólio da terra abriga o agronegócio, setor que cresceu 9,7%, evitando o completo desastre do já tão magro PIB de 0,6% do primeiro trimestre. É com esse oligopólio do capeta, e com a representante dele – senadora Kátia Abreu (PSD-TO) –, que Dilma conta.

O monopólio do voto? O maldito dinheiro privado que abarrota o caixa oficial e o caixa 2 confesso das campanhas do PT, as mais caras desde 2004, ano da primeira eleição depois que Lula chegou ao poder?

Por fim, os barões da mídia. Como se o incômodo fosse com os donos da mídia, com quem governos sempre se compõem. A pedra no sapato é o jornalismo – classificado por Dilma como “terrorismo informativo” – e os jornalistas, “vendedores” ou “profetas do caos”. Gente que ousa relatar que a inflação bateu no teto da meta, que mostra erros de gestão, gastos a rodo, obras de infraestrutura caras e em passo de tartaruga; desacertos e improvisações na política econômica e fiscal.

O problema são esses diabos que não batem ponto e não estão à venda.

Mary Zaidan é jornalista. Trabalhou nos jornais O Globo e O Estado de S. Paulo, em Brasília. Foi assessora de imprensa do governador Mario Covas em duas campanhas e ao longo de todo o seu período no Palácio dos Bandeirantes. Há cinco anos coordena o atendimento da área pública da agência ‘Lu Fernandes Comunicação e Imprensa’. Escreve aqui aos domingos. @maryzaidan

16 Comentários

  1. Saul de Lima Brenzink Responder

    Percebemos ontem, na abertura da Copa das Confederações, a revolta e repúdio ao governo Dilma numa sonora vaia dos presentes no estádio. E esse pessoal do PT ainda vem cantar de galo no Paraná? Ainda bem que o povo paranaense não comunga dessa quadrilha instalada e que vai aos poucos sendo desmantelada pela justiça. Esperamos que os novos Ministros da Justiça, ainda que indicados pelo PT, ajam com seriedade e cumpram com seus deveres colocando os mensaleiros na cadeia. O povo brasileiro espera por isso. E por favor, quando vierem ao Paraná, apresentem propostas de melhorias para a saúde, educação, segurança e avanços sociais, porque campanha e eleição é só para o ano que vem.

  2. Nunca vi um cara mais indigesto do que este safado. Quando um
    safado fala besteira sem ter a mínima noção a reação da gente é
    “diarreia” pura mesmo…

  3. Se algum incauto ainda tinha duvidas no que estes facinoras querem transformar o Brasil,que preste atenção neste discurso do Presidente do PT.
    E o pior é que cospe no prato em que come!
    È a mais verdadeira expressão da lógica PTralha.
    Dieter, estou na torcida com você pelo desencarne não só deste merd@ como de todos os que navegam pela bússola destes safados!

  4. Lamento que o PT esteja tão mal aparelhado para enfrentar essa verdade, mas quem não tem cão caça com gato!

  5. Geraldo Pereira Responder

    Os PTralhas fazem suas bravatas. Eles abominam o jornalismo, terrorismo informativo. Eles se locupletam. Eles ignoram nossa inteligência. E a imprensa o que faz? Nos entulham com o lixo produzido por eles.

  6. Em qual destes este deputadozinho e outros tantos políticos estão incluídos? Talvez em mais de um, por assim dizer.

  7. Doutor Prolegômeno Responder

    E o monopólio da corrupção ? E o monopólio da demagogia ? E o monopólio da empulhação e da vagabundagem política? Estes precisam ser desmanchados nas urnas.

  8. Caro Dieter, esse merd@ vai morrer quando deixarmos de votar nos PTralhas. Só assim vamos nos livrar dessa raça.

  9. Perfeito o texto da Mary Zaidan, pra variar! – Uma das poucas cabeças pensantes no jornalismo, que continua fiel aos básicos princípios da profissão!
    O resto tá tudo corrompido! Grupos de comunicação inteiros ficam de joelhos ante o império petista, a troco das vultosas verbas de publicidade.
    Quem duvidar, que perca umas horas da tarde ou noite, e monitore quantos anúncios oficiais, em rede nacional, são inseridos na Band Tv, e quantos privados. Faça o mesmo nas rádios.

  10. A pessoa mais desqualificada para representar qualquer partido, alias, para representar os PETRALHAS qualquer merd……serve.

  11. Se não fosse por ‘esses’ ,Sr. Falcâo, cá estaríamos nós numa ditadura e ainda POBRES!!
    Qualquer semelhança com CUBA,VENEZUELA e BOLIVIA,Não sería coincidência.
    è isso que o ”Sr” Falcão quer para nosso país? Somos CONTRA,entenda de uma vez,NÃO ao COMUNISMO,Não ao SOCIALISMO,NÃO ao POPULISMO.Em qual país esses regimes deixaram seus povos melhores?

Comente