Uncategorized

Gleisi muda discurso e diz que não é possível calcular redução nas tarifas

De Luana Lourenço, Agência Brasil:

Brasília – A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, retificou a informação sobre o impacto de desonerações federais na tarifa de ônibus e disse que não é possível calcular em quanto as prefeituras podem reduzir o preço das passagens a partir das medidas federais.

Desde janeiro, o governo desonerou a folha de pagamento das empresas de transporte coletivo, abrindo mão de 3,58% de arrecadação. Em 31 de maio, por meio da Medida Provisória 617/2013, o governo passou a isentar de PIS/Cofins os serviços de transporte coletivo rodoviário, metroviário e ferroviário, medida que, segundo o governo, representou mais de 3,65% de perda de arrecadação.

Mais cedo, a ministra Gleisi Hoffmann havia dito que as desonerações permitiriam que os municípios fizessem reajustes menores nas tarifas de ônibus ou reduzissem o preço nos casos em que o reajuste já foi feito, com queda de 7,23% ou R$ 0,20, em média, considerando o preço da tarifa em 14 capitais. “As duas desonerações promovidas pelo governo federal dão cerca de 7,23% de redução no custo, o que é, em média, R$ 0,20 centavos para a tarifa. Isso propicia aos municípios uma redução desse total, ou um reajuste menor nas tarifas de ônibus”, disse a ministra no início da noite. “Em São Paulo, como em todas as outras capitais, como em todos os outros municípios, há esse espaço, tanto do impacto da redução do PIS e da Cofins como da desoneração da folha”, acrescentou.

No entanto, ao retificar a informação, a ministra Gleisi Hoffmann disse que não é possível garantir que o percentual do qual o governo abriu mão com as desonerações seja repassado integralmente para reduzir o preço das passagens, porque o cálculo da tarifa leva em conta outros custos.

“O governo abriu mão de 7,23% de arrecadação em cima do faturamento das empresas de transporte coletivo para proporcionar ou uma redução da tarifa de transporte ou um aumento menor. Mas não podemos afirmar que esse valor que estamos desonerando vai ser, necessariamente, o valor de redução da tarifa”, reconheceu a ministra.

Em São Paulo, por exemplo, onde os cálculos do governo mostram que a perda da arrecadação corresponderia a R$ 0,23 a menos nas tarifas, o prefeito Fernando Haddad já havia considerado a desoneração de PIS/Cofins antes do anúncio do reajuste de R$ 3 para R$3,20 no último dia 2. “É bem possível que o prefeito já tenha utilizado isso para fazer um reajuste menor”, disse Gleisi.

Edição: Carolina Pimentel

18 Comentários

  1. A ministra não sabe resolver este assunto, e como é que vai resolver os mais complexos? Estamos muito mal parados com esta mulher.

  2. Doutor Prolegômeno Responder

    Os estados da federação, por meio deste imposto sinistro e obsoleto chamado ICMS, é o grande peso tributário sobre quase todos os insumos importantes para a sociedade. Combustíveis tem ICMS pesado e sobre ENERGIA E TELECOMUNICAÇÕES há um ICMS PORNOGRÁFICO de 29% (VINTE E NOVE POR CENTO) que é o maior imposto da via láctea. Tem que bater bumbo em frente aos governos estaduais, sim senhor.

  3. Vamos ver se no discurso dela como candidata a Governadora vai falar a mesma coisa, tenho certeza que vai fazer demagogia, em baixar tarifa, pedagio, cesta basica. etc. etc, só que o barraco esta desabando.

  4. Deixo aqui a pergunta: será que a ministra, em plena campanha para chegar ao Iguaçu, e sem levantar a bandeira que ela e alguns outros tentam prejudicar de todas as formas o governador atual e nosso Estado, se deu conta que o que ela disse antes era altamente prejudicial ao Fruet e ao menino fofo Haddad? Será que se deu conta que seu discurso beneficiaria o governador, indo contra ela mesma? Pois como sabemos, aqui no PR cortaram impostos e uma boa parte das cidades já baixou a tarifa! Curitiba ainda nao! Muito esquisito dona Gleisi!

  5. ONTEM REDE DE UMA TV, INFORMARAM EM PRIMEIRA MAO, QUE A MINISTRA EM SAO PAULO IA REDUZIR AS PASSAGEM EM 0,23 CENTAVOS, ISSO ERA MAIS UMA MENTIRA DO PT, HOJE A MINISTRA JA FALOU, ENTAO PORQUE ELA DEU ESSA INFORMAÇAO, CLARO QUE ERA PARA MENTIR MAIS UMA VEZ PARA OS BRASILEIROS, OU A DILMA JA PEDIU PARA ELA MENTIR…. MINISTRA NÓS NAO ACEITAMOS MAIS MENTIRAS DO PT.

  6. Essa como os demais membros do governo tão perdido, espalharam benefícios para os empresários e isso não gerou emprego e muito menos contiveram a inflação que é mascarada muito além da oficial e o endividamento do povo a níveis estratosféricos junto tudo isso a corrupção generalizada, povo descontente com o STF onde alguns ministros procuram um jeitinho de absolver os corruptos dá nisso, não é só a passagem de transporte essa só foi a faísca que falta para a explosão social.

  7. Carlos Eduardo Responder

    Não é a primeira vez que a ministra tem que retificar suas palavras. Ela fica tão empolgada em usa-las com fins eleitoreiros ao governo do Paraná que não mede as palavras.

  8. A incompetência e as trapalhadas desse petê são hilárias, não fossem criminosas.
    Ontem o partideco divulgou uma relação de cidades, inclusive com os valores que deveriam, ser abatidos. Lembro que SPaulo era a maior: R$ 0,23.
    Lógico, divulga isso, joga nas costas do governador Alckmin, (Metrô e integrados) a responsa, depois dá uma última forma, tipo desculpaí, mas a coisa já colou na cabeça dos idiotas que acreditam neles.

  9. Cidadão Indignado Responder

    Esta ministra é uma piada, e de muito mal gosto. Que beneficio ela e seu marido ( também ministro ) trouxeram para o Paraná e até agora ? Somente benefícios próprios. BRASIL : De País Emergente em 1980, para País de Incompetentes em 2013.

  10. Jairo Antonio Broch Responder

    Este são os que por “não saberem de nada”, falam demais por não ter o que dizer.

  11. Mané do Sudoeste Responder

    Tá mais perdida que cego em tiroteio, como diz o povo aqui no sudoeste. E ainda quer ser governadora,

  12. Tudo bem que a dilmANTA é burra que dói, mas precisava o ministério ter a mesma característica? E ainda quer ser governadora….Vai procurar o caminhão de onde voce caiu.

  13. Parreiras Rodrigues Responder

    Pedrão: Ai entra o velho dito: Quem sai ao vento, perde o assento!
    Sérgião, o suplente, pegou gosto pela coisa. E até que tá se comportando bem…

Comente