Uncategorized

O transe de Dilma e os três cavalheiros que lhe deram a mão

Do Augusto Nunes, Veja:

O jornalista Lauro Jardim informou que Gilberto Carvalho anda amuado por não ser consultado pela presidente Dilma Rousseff. Essa é a notícia boa: pouco importa o que tem a dizer quem só diz besteira. A notícia ruim é que, segundo o ex-seminarista que virou porteiro de bordel (além de secretário-geral da Presidência), a chefe agora ouve apenas ─ além das ordens de Lula ─ a trinca formada por Aloizio Mercadante, Fernando Pimentel e João Santana.

Ministro da Propaganda,João Santana costuma alternar lances espertos com ideias de jerico. Na campanha de 2010, por exemplo, o marqueteiro baiano acertou ao condecorar Dilma Rousseff com a medalha de Mãe do PAC. A malandragem ajudou a fantasiar de supergerente a dona da lojinha que faliu em Porto Alegreio. Em contrapartida, foi Santana quem convenceu a presidente a dar as caras na abertura da Copa das Confederações. Teria uma recepção de rainha, apostou. Foi mais vaiada que um zagueiro que enterrou o time.

Seja qual for o cargo que ocupe, Aloizio Mercadante jamais perde uma chance de justificar o título de Herói da Rendição, obtido graças a notáveis demonstrações de falta de bravura em combate. Especialista em retiradas e capitulações, inventou a revogação do irrevogável quando liderava a bancada do PT no Senado. Agora no triplo papel de ministro da Educação, da Economia e de Crises Políticas, foi o primeiro a aconselhar Dilma Rousseff a entrar na batalha da Constituinte. E foi o primeiro a recomendar que se rendesse.

Disfarçado de ministro de Indústria, Comércio e Desenvolvimento, Fernando Pimentel é o Primeiro-Acompanhante e Melhor Amigo da presidente, com quem convive desde quando tentavam trocar a tiros a ditadura militar pela ditadura do proletariado. A força do afeto manteve Pimentel no emprego mesmo depois da descoberta de que ganhou muito dinheiro usando as fantasias de “conferencista” e “consultor financeiro” . O palestrante enriqueceu sem abrir a boca. O consultor precisou de meia dúzia de conselhos para levar à falência uma fábrica de tubaína.

Se estivesse disposta a combater a corrupção, Dilma já teria remetido Pimentel para a delegacia mais próxima. Se quisesse mesmo reduzir a gastança federal, já teria mandado para casa Mercadante e João Santana. Caso desejasse fazer as duas coisas com um único despejo, Gilberto Carvalho estaria procurando trabalho há muito tempo. A demissão do secretário-geral reduziria a taxa de mediocridade do Planalto e talvez impedisse o engavetamento das investigações sobre o escândalo protagonizado pela segunda-dama Rosemary Noronha.

Dilma não fará nada disso, claro. Vai continuar ouvindo o coro dos áulicos, contando mentiras, desfiando promessas grisalhas e irritando milhões de brasileiros fartos de tapeação. Até que as multidões percam a paciência de vez e acordem a presidente surda à mensagem das ruas com uma passeata debaixo da cama.

7 Comentários

  1. OS TRES MOSQUITEIROS, SÓ AGORA O BRASIL NAO QUER SABER, OU TUDO OU NADA, PODE VIM ATÉ QUATRO OU CINCO CHEGA DE MENSALAO E ETC,,,,,,,,,

  2. O fofoqueiro pé vermelho agora vai começar a tomar do próprio veneno, vão culpa-lo pelo caos no campo, pois foi ele quem incentivou as invasões de terras por este Brasil todo. Viu no que deu pedir a cabeça da presidanta e pedir a volta do 51? Se ferrou.

  3. Olha essa nota la da coluna do GibaUm:
    A primeira vitima
    Até agora, pela extensão (388 cidades e 22 capitais), volume (mais de dois milhões de brasileiros nas ruas) e apesar da violência as passeatas, rotuladas lá fora como tropical spring, até que tiveram poucas vitimas. Uma que ganha evidencia é a ministra Gleisi Hoffmann que, diante das primeiras manifestações, queria “colocar as Forças Armadas nas ruas” e já aparece devidamente substituída pelo ministro Aloizio Mercadante, como nas explicações dadas após a reunião de segunda-feira. Nessa mesma semana, Gleisi protagoniza denúncias sobre seu envolvimento com escritório de advocacia de Curitiba (colaborou com sua campanha e foi pago com verba do Senado), o mesmo que teria ajudado a licitação marcada de transportes públicos no Distrito Federal (R$ 40 bilhões em 20 anos para o grupo Nenê Constantino).

  4. Augusto Nunes! Fantástico! – Um breve relato com fatos que todos conhecem, duma pequena ala, na corte petista, onde rola de tudo! Menos honestidade, transparência, e respeito ao brasileitro!
    O cafofo de dilma tá bombando!

  5. Meu Deus do céu, deixem ele lá, porque se for demitido ela vai voltar para Londrina e os Llondrinenses não merecem

Comente