Uncategorized

Caminhoneiros bloqueiam rodovias
em São Paulo

Da Veja:

A segunda-feira começou com novos protestos pelo Brasil. Desta vez, as manifestações acontecem nas rodovias federais e estaduais.

Na rodovia Castello Branco, em Itapevi, na região metropolitana de São Paulo, caminhoneiros realizam desde 5h um bloqueio para protestar contra os preços do pedágio e dos combustíveis. Segundo a concessionária há registro de lentidão entre os quilômetros 35 e 30, no sentido capital, e 24 ao 30 no sentido interior. Outro protesto interrompeu o trânsito na Anchieta, que liga a capital à Baixada Santista, na altura do quilômetro 23, em São Bernardo do Campo.


Caminhoneiros também bloqueiam a Fernão Dias (BR-381) em três diferentes trechos – em Igarapé, na região Metropolitana de Belo Horizonte; e em João Monlevade e São Gonçalo do Rio Abaixo, cidades distantes cerca de 100 quilômetros da capital mineira.

Já no Rodoanel de São Paulo, um protesto em Itapecerica da Serra bloqueia o tráfego na altura do quilômetro 45. Há registro de congestionamento entre os quilômetros 40 e 46.

Paralisação – Os bloqueios na Castello Branco e na Fernão Dias foram convocados pelo Movimento União Brasil Caminhoneiro (MUBC), uma das entidades que representam a categoria.

No domingo, a Advocacia-Geral da União (AGU) conseguiu liminar que impede o MUBC de realizar manifestações que interrompam o tráfego nas rodovias federais. A decisão vale para todo o Brasil. O descumprimento pode render multa de 10.000 reais por hora para o MUBC. O movimento realizou uma convocação no fim de semana para uma paralisação geral de 72 horas, com início nesta segunda-feira e previsão de término na quarta-feira.

4 Comentários

  1. Parreiras Rodrigues Responder

    Protesto válido e por quem de direito. Que o movimento se espraie nos demais estados, principalmente no Paraná, onde as tarifas são absurdas.
    Ninguém é contra a cobrança de pedágio. A indignação é quanto ao lucro das concessionários e os quase invisíveis investimentos.
    Estados e governo federal sem condições de arcar com os serviços de melhoria e de expansão viária, e todo mundo sabe porquê.
    O caminho é a privatização, malgrado a ranhetice petista.

  2. Sergio silvestre Responder

    Esperem que a coisa vai ficar preta aqui.Agora a coisa descambou com a manifestação dos caminhoneiros espoliados.
    Quem é dono da maioria dos pedagios no estado de Saõ Paulo?
    O Zuzinha,filho do Mario Covas.E aqui no Parana?
    Adivinhem!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  3. Vigilante do Portão Responder

    Hummmm

    Que coincidência,

    Greve MONTADA.

    Parece coisa do PT, para dar “resposta” ao movimento POPULAR das ruas.

  4. Até que enfim estão se manifestando, não é possivel os pedágios continuarem no preço que estão sendo cobrados.O diesel deveria ser subsidiado não para camionetes de passeio dos bacanas, mas para os caminhões que transportam as riquezas desse pais.Só não entendo porque o sindicato das transportadoras e dos motoristas autonomos do Paraná nunca se manifestam a respeito dos preços dos pedágios.A CPI foi engavetada e nem uma entidade de classe se manifestou, estranho.As estradas estão uma vergonha e o dinheiro da CIDE não aplicam nas estradas, somente criam mais pedágios.O Governo negocia com as mesmas e não fala em que termos negocia os contratos.Espero que os motoristas entendam que ta na hora de cobrar nosso governador e deputados.

Comente