Uncategorized

Fábio Mesquita é novo diretor do Ministério da Saúde no combate à Aids

Semanas após a polêmica demissão do diretor do departamento de Aids do Ministério da Saúde por causa de uma propaganda voltada às prostitutas, a pasta anunciou o escolhido para assumir o departamento.

Será Fábio Mesquita, médico que dirigiu o programa de Aids da prefeitura de São Paulo na gestão Marta Suplicy, já integrou o Ministério da Saúde e é, hoje, o coordenador do programa de Aids da OMS (Organização Mundial da Saúde) no Vietnã, país prioritário para a organização.

Fábio Mesquita estudou Medicina na UEL e foi diretor da UPE (União Paranaense dos Estudantes). Toda a sua trajetória política inicial foi feita no Paraná.

Mesquita está atualmente na Organização Mundial de Saúde (OMS) e substituirá Dirceu Grecco, que foi destituído do cargo por Padilha após a produção do material campanha do Dia Internacional das Prostitutas. Um cartaz trazia a foto de uma mulher afirmando que era feliz sendo prostituta. A repercussão negativa entre setores religiosos levou Padilha a exonerar Grecco.

Lena Peres disse que Mesquita chegou também para aproximar o departamento dos movimentos sociais. No evento na SDH, estavam presentes vários representantes de entidades LGBT. A campanha que motivou a demissão de Greco foi criada pelo Departamento de DSTs, Aids e Hepatites Virais do ministério, chefiado por ele, em uma oficina com as profissionais em março deste ano.

Links patrocinados

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/pais/medico-fabio-mesquita-o-novo-coordenador-do-programa-de-aids-8832940#ixzz2XnwInUCx
© 1996 – 2013. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

1 Comentário

  1. E pensar que o Fabio Mesquita foi ameaçado de morte e sofreu atentando quando trabalhou na area da saude em Toledo e Campo Mourão e por isso teve que sair destes locais.
    E por sua dedicação e persitência teve seu trabalho reconhecido internacionalmente e agora volta para ajudar a população com seu conhecimento e trabalho.
    O mundo da voltas! Que bom, principalmente para corrigir uma injustiça.

Comente