Uncategorized

Um dia após rejeição, Senado aprova redução de número de suplentes

Do Globo:

BRASÍLIA — Após a má repercussão da decisão do Senado de derrubar PEC que proibia senadores de escolherem seus parentes como suplentes, senadores aprovaram, sem votos contrários, nesta quarta-feira, medida semelhante, porém com algumas alterações importantes, que garantem aos suplentes o direito de “herdar” permanentemente o mandato dos titulares. A partir de uma manobra regimental, o Senado apreciou uma emenda de autoria do senador Francisco Dornelles (PP-RJ), que restringe as mudanças em relação aos suplentes. A única abstenção foi de Edison Lobão Filho (PMDB-MA), suplente de seu pai, o ministro Edison Lobão (Minas e Energia).

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), havia acertado com os líderes dos partidos votar na sessão desta quarta-feira.

— Porque essa questão foi colocada como prioritária na reforma política. O Senado tem que definitivamente decidir sobre o assunto — disse Renan, acrescentando:

— Fizemos um acordo para avançarmos na pauta, apreciar vários itens e concluir a votação dos suplentes, que é uma questão de prioridade na nossa pauta. Para compor esta agenda, apensamos diversas matérias e ontem foi votado o substitutivo e as outras matérias apensadas continuam vivas e é isso que vamos fazer. É em resposta às manifestações.

5 Comentários

  1. OS SENADORES ESTÃO ACIMA DA LEI?

    Pode não ser ilegal, mas é imoral, indecente e ultrajante. Os senadores não abrem mão das suas benesses, principalmente em colocar parentes na sua vaga caso deixem o cargo.
    Tudo bem que reduziram de dois para um o número de suplentes, mas afinal, não seria de direito e de fato a vaga para o próximo mais votado? Porque o suplente tem que ser parente ou indicação? Sim, parentes até o segundo grau não podem, mas os de terceiro os não sanguíneos podem.
    Você, eleitor novo ou um pouco mais experiente em processos eleitorais, sabe realmente quem é indicado à suplência daquele que você escolheu como senador? Eles nem aparecem nas campanhas.
    Enfim, o clamor das ruas por mudanças está fazendo com que muitos políticos realmente legislem em favor do povo, mas parece que o senado está acima da lei, da ética e da moral, ou seja, acima dos anseios da população brasileira.

  2. Suplente de senador não deve existir. Em caso de morte ou afastamento por doença(devidamente comprovada) deve assumir o candidato que foi classificado em 2º lugar no número de votos obtidos, independentemente de qual partido que seja. Para o exercício de mandato popular é preciso ter obtido os votos dos eleitores. O suplente não foi votado, e é até desconhecido pelos eleitores. Somente ocupa tais cargos por interesses políticos, no mais das vezes inconfessáveis. Também o senador de deixar o mandato para exercer outros cargos(seja lá qual for) perderá o mandato, pois eleito para exerce-lo, e não para migrar, de acordo com conveniências, igualmente inconfessáveis. Basta de fazer o eleitor (compulsório) de tolo. Chega de conchavos!!!!!!!!!!!

  3. Esse bando de senadores deveria é criar vergonha na cara. Quem votou nesse Edson Lobão Filho, que competência esse cara tem para estar aonde esta as custas de nossos impostos. Ninguém votou nesse cara, ele não representa nossa sociedade, e quem deveria estar lá lutando por melhorias de nossa sociedade, virou ministro do palácio do PT. Isto é um absurdo. Esses já malfadados políticos sem vergonha na cara deveriam exonerar esse cara do Senado, e colocar aqueles, em cujos votos, os milhões de brasileiros depositaram seus votos e sua confiança. Criem vergonha na cara, ninguém autorizou a “herança” de cadeiras no senado. Mudem isso, ou mudaremos voces.

Comente