Uncategorized

Os donos do povo

Por Mary Zaidan

Donos das ruas, dos movimentos sociais, da esquerda, do “progressismo” e do “politicamente correto”, o PT e seu governo se veem cada vez mais enrascados por atos que chamam de espontâneos, que repudiam seus cabrestos.

Quase não conseguem esconder o ódio – como as manifestações iniciadas pelo Movimento Passe Livre (MPL) bem mostraram – de qualquer coisa que possa ter sido gerada fora de suas hostes. E metem os pés pelas mãos quanto tentam politizá-las à sua maneira.

Por pouco não criaram mais um caroço no já grosso angu na quinta-feira, na manifestação nacional convocada pelas centrais sindicais. Ainda que sem o êxito esperado pelos seus líderes – até porque é difícil protestar contra um governo aliado -, o Dia Nacional de Lutas conseguiu interditar rodovias e incomodar o trânsito de grandes cidades.

Os petistas foram previamente contidos. Mas queriam porque queriam defender o finado plebiscito para a reforma política, ideia marqueteira defendida por Dilma, sepultada um dia antes pela Câmara dos Deputados.

Todos aqueles que receberam votos – governantes e parlamentares de todas as esferas — atropelaram-se a correr atrás dos prejuízos que pareciam não enxergar antes da grita das ruas. Alguns mais desarvorados.

Na base da tentativa e erro – sem jamais admitir erros –, o governo Dilma arriscou de tudo um pouco. Cinco pactos requentados, Constituinte exclusiva, plebiscito, importação de médicos, extensão do curso de Medicina para oito anos, com atendimento compulsório no SUS. Tudo isso em menos de três semanas, como se o mandato tivesse começado ontem e terminasse antes do amanhecer.

Governar de fato, planejar políticas de investimentos e executá-las, impedir a gastança e o desperdício, nem pensar.

No Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) travestiu-se de paladino da ética. Na Câmara, o também peemedebista Henrique Eduardo Alves (RN) assumiu a mesma tarefa. Acredite-se ou não, ambos poderiam ter tido algum sucesso não fosse a folia com voos da FAB. Como sempre e mais uma vez, as mordomias falaram mais alto do que qualquer voz da rua.

É onde mora o perigo. O País acorda, clama, protesta. Os governos atendem com presteza à reivindicação imediata. Congelam as tarifas de transportes urbanos – com custos severos para todos os contribuintes – e o resto torna-se difuso, sujeito a todo tipo de manipulação dos que se sentem proprietários da vontade popular.

E mais: como são tantos e todos os dias, os protestos começarão a incomodar, a atrair antipatias.

Ao final e ao cabo o PT e os seus farão o que puder para que tudo se resuma aos 20 centavos. É nisso que apostam os que se acham donos do povo.

Mary Zaidan é jornalista. Trabalhou nos jornais O Globo e O Estado de S. Paulo, em Brasília. Foi assessora de imprensa do governador Mario Covas em duas campanhas e ao longo de todo o seu período no Palácio dos Bandeirantes. Há cinco anos coordena o atendimento da área pública da agência ‘Lu Fernandes Comunicação e Imprensa’. Escreve aqui aos domingos. @maryzaidan

7 Comentários

  1. EDILSON HUGO RANCIARO Responder

    Parabéns pela análise. O PT avançou no Poder graças às manipulações das classes operárias. O Governo Militar, perdeu o Poder graças às manifestações dos Estudantes. Hoje vemos manifestações de Estudantes, de Empresários, da classe média, de todos que trabalham e produzem.

  2. kkkkkkkk os anonimus, esses não me representam mesmo. são figuras de uma direitona em frangalhos.

  3. manoel silveira Responder

    Bom meu prezado Colunista, lembro me bem como foi na Polonia co tao famoso Solidariedad, é isto que vai acontecer no Brasil com o PT.
    Fim ele nao tem Credibilidade mais pra fazer manifestaçoes e outras Barburias no nosso País

  4. Isso se dá, porque o governo não tem compromissos com o Brasil, nem com os brasileiros. Encabrestou uma parcela da população com as bolsas misericórdias, sem se preocupar em gerar empregos e desenvolvimento. Encabrestou um congresso, menos interessado no Brasil ainda. Resolveu problemas de Cuba, Angola, Venezuela, etc… Emprestou bilhões dos brasileiros para o Eike. Arrebentou a Petrobrás. Só pagamos impostos para sustentar uma corja preocupada com seus próprios projetos. Como disse a jornalista, o governo quer os protestos se resumam mesmo aos 0,20 centavos. Com razão, pois é quantos vale o governo e os políticos que “co-mamam” neste país. E olhe lá.

  5. Sem querer ofender s irmãos índios, ou os politicamente corretos, que odeio fidagalmente, mas a presidanta está administrando na base da pajelança. Não temos mais politica econômica, não existe mais planejamento estratégico, é tudo feito na base do improviso. E ainda corremos serio risco de termos que aturar mais alguns anos deste tipo de administração. Haja paciência.

  6. NARIZ DE FOLHA Responder

    O PT JÁ ERA.

    ELES CONTINUAM DORMINDO E SONHANDO COM O PT DOS ANOS 70, UM PT QUE NÃO EXISTE MAIS. SEUS FUNDADORES HOJE ESTÃO FORA E CRITICAM ESTE PT QUE ESTÁ AÍ.

    HOJE ELES TEM QUE PAGAR PESSOAS QUE FINGEM QUE SÃO MILITANTES, PARA IREM AS RUAS.

  7. VENTRÍLOCO DE POVO Responder

    Tá todo mundo falando o que acha e o que não acha. Por isso, acho que o PT não tá sendo tanto assim, medonho com os passeantes, nem os adversários. É só fazer melhor que o PT. Bola pra frente.

Comente