Uncategorized

O povo quer resultados, diz Richa sobre IBOPE

Sentimentos diversos puderam ser observados nos palácios pelo Brasil afora após a divulgação da pesquisa CNI/IBOPE, que mediu os índices de popularidade e confiança da presidente Dilma e dos governadores dos onze maiores estados do país.

Beto Richa, que esteve entre os avaliados, comemorou. A aprovação de 41% coloca o paranaense na segunda posição entre os governadores. Já 52% dos paranaenses aprovam o modo como o tucano governa o estado.


Meio arranhado, mas estamos sobrevivendo ao terremoto. É a demonstração de que estamos governando com firmeza, austeridade. Acabou a fase do discurso fácil, da maquiagem. O povo quer agora resultados”, disse ao O Globo.

Já no Palácio do Planalto, a pesquisa causou cautela e certa aflição, já que o levantamento mostra que, além da já sabida queda na popularidade de Dilma Rousseff (PT), 50% dos entrevistados disseram não confiar hoje na presidente, contra 45% que confiam.

9 Comentários

  1. Beto Richa fala uma coisa e faz outra. O estado está falido, nao tem dinheiro para pagar nem o décimo terceiro dos funcionários, o povo está de saco cheio dele ficar reclamando que o governo federal cortou 1 bilhão de reais para o Estado. E daí ??? Vai ficar chorando até quando ??? A população já sabe que hoje em dia não dá para acreditar no governador, nos deputados, nos vereadores, em nenhum politico deste Brasil. Nas próximas eleições estes políticos vão levar um cacete nas urnas eletrônicas que perderão o rumo de casa. Bem feito. Quem manda por aqui é o povo e não este bando de inúteis.

  2. S I N F R O N I O Reply

    O BETO TÁ MUITO ENGANADO, o povo tá é com saco cheio dessa famigerada profissão de políticos em todos os partidos, o Richa tem é que provar resultados é para os seus filhos em atividades privadas, se é capaz.

  3. Os dois são completamente opostos, ambos receberam uma herança maldita de governo só que um foi conivente e até hoje continua sendo com as lambanças, mandos e desmandos do seu ex (Lula) e está pagando caro por isso, o outro chutou o pau da barraca e pôs-se a governar sem ter o rabo preso com seu ex ( Requião), aí está a pequena diferença entre eles.

  4. No Paraná não e muito diferente as pesquisas. Viajei p várias cidades do interior, para minha surpresa, pessoas que me diziam antigamente que o PT era o partido consolidado para os pobres, hoje dizem que Lula, Dilma e corja não pegam mais eles e assim foi longe o papo, adorei ver e ouvir de perto essa realidade até então hilário para mim rsrsrrsrs. Agora o Beto ta forte no interior… A cabritinha do PT já era, é assim que eles falam no interiorrrrr… rsrsrsrsr bjs Fabio.

  5. 41% e menos da metade da população do Estado, quando elegeu-se prometeu fazer uma gestão inovadora o famoso Choque de Gestão, ate agora nada aconteceu, Governa como os demais políticos, e se nao abrir o olho, ano que vem perde a eleição….

  6. Parreiras Rodrigues Reply

    O time tá no meio da tabela do campeonato.
    Tanto pode subir prá zona verde, como descambar pro rebaixamento.
    Tá na hora de mexer nele, sim senhor.
    Tem jogador garantindo resultados ao lado de outros que só pensam no olerite fim do mês.

  7. cesar - barraquinha Reply

    E me provem o que o B.R. fez até hoje para o Paraná, provem????
    Bem falou o Papa. Cristãos incoerentes, verdadeiros cegos diante dos problemas dos próximos, por isto a revolta contra a Presidente Dilma, que até agora ninguém provou que não é honesta e preocupada com os problemas do Brasil Querido.

  8. Caro amigo Fabio, pois te considero amigo, apesar de não nos conhecermos pessoalmente. Mas vá lá, cada blogueiro lê as noticias ao seu jeito, você vê do teu, o maringaense do dele, e o pessoal lá da praça Carlos Gomes o deles que, é obvio, é o que eles pensam que prevalecem. E o Beto vê o dele também. Então temos um monte de entendimentos do mesmo fato, sendo que o Beto não vê o obvio, que até agora não fez nada, e pensa que fez. Será coincidência que as duas nulidades apareçam na mesma foto?

  9. Estão comemorando sem ouvir os funcionários público. Se nessa pesquisa fosse ouvido e inserido as afirmações dos funcionários público do Estado o resultado seria bem diferente.

Comente