Uncategorized

MEC troca curso de medicina mais longo por residência no SUS

Do UOL, em São Paulo:

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, afirmou na manhã desta quarta-feira (31) que o governo desistiu de aumentar em dois anos o curso de medicina. No lugar disso, o ciclo de dois anos deve se tornar um período obrigatório de residência médica no SUS (Sistema Único de Saúde).

A decisão foi tomada após reunião com uma comissão de especialistas que reúne o ex-ministro da Saúde Adib Jatene, a Associação Brasileira de Ensino Médico e um grupo de reitores de universidades federais.

A proposta inicial era de que o curso de medicina fosse ampliado para oito anos de graduação, dois deles cumpridos em atendimento na rede do SUS.

A nova proposta prevê que os médicos, já formados, passem dois anos em residência médica obrigatória na rede pública a partir de 2018, segundo informou a assessoria de imprensa do MEC.

O ciclo deverá ser cumprido nas áreas de atenção primária de emergência e urgência nas áreas de clínica médica, cirurgia geral, ginecologia e obstetrícia, pediatria, medicina da família e da comunidade e psiquiatria.

A residência obrigatória em outras áreas ainda será avaliada.

Até 2017, as vagas de residência médica terão de ser universalizadas para atenderem à demanda de estudantes. Segundo a proposta, 40% das vagas de residência deverão ser em medicina da família e da comunidade.

Protestos
O segundo ciclo que estava previsto no programa “Mais Médicos” era um dos principais pontos de rejeição das entidades médicas ao programa, assim como a “importação” de médicos estrangeiros sem a necessidade de revalidação do diploma no país.

O ministro da Educação e o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, já haviam afirmado que o aumento do curso de medicina poderia ser revisto.

11 Comentários

  1. Mané do sudoeste Responder

    Para quem faz Faculdade em Escola Pública, acho muito justo.Afinal estuda-se 06 anos,nas custas do ierário público.Quanto as privadas,para que faz FIES e outros financiamentos,também deveria cumprir uma etapa no SUS. Eu,tive o privilégio de fazer Universidade Pública há 30 anos atrás,e se fosse fazer algo para a população um tempo, faria com toda satisfação.

  2. Adalberto Jardim Responder

    Vamos às ruas manifestar pela colocação na lei que todos os parlamentares e familiares também deverão ser atendidos pelo SUS por dois anos antes de passarem a usufruírem das benesses do plano de saúde particular pagos pelo povo.

  3. justino bonifacio martins Responder

    Que vengam los cubanos y que sean desmentidos los mercenarios brasileños.

  4. Que balela !!! Só na cabeça destes imbecis do governo uma lresidencia médica pode ser realizada no SUS !? Residencia médica não é teste drive para oferecer saúde barata para a população e sim para formar médicos
    completos para o atendimento. Estas manobras visam simplesmente ofus-
    car o povão fazendo de conta que,o governo preocupa com a saúde do
    povão. Conversa para boi dormir !!!

  5. Nota-se como este governo é firme como um poste no banhado. Já revogou umas três vezes o que disse. E vai mudar mais umas tantas até chegar a conclusão que é o próprio governo que está doente. Cada vez que surge um problema, vai remendando aqui, remendando ali, criando uma instabilidade na sociedade. Só aumentando a pressão da panela. Até que …

  6. Quando os burraldos petistas levantam as suas orelhas podem até escutar a voz da razão, não deles, mas de quem entende da matéria.

    Mercadante e Padilha – nova dupla caipira da burrice petista.

    Foram salvos por ouvirem Jatene e tal.

  7. Residência médica no SUS, e com a supervisão de quem? Do pessoal de enfermagem ou das técnicas em enfermagem? As propostas do Governo ficam piores a cada dia que passa. O ministro da Saúde até parece que não fez residência médica. E o da Educação pensa que o SUS é uma maravilha. Acordem gente, o Brasil tem pressa.

  8. Ínfelizmente o governo dilma mostra total despreparo nessa área.Chegou a hora da pedirmos para ela sair…………..

  9. Parreiras Rodrigues Responder

    Obrigar um médico a trabalhar em certos postos ou unidades ou hospitais pelo interland afora é o mesmo que botar um mecânico prá trabalhar numa oficina sem macaco hidráulico, solda, alicate e compressor.

  10. vTodo aquele que estudou em faculdade publica deve sim prestar serviços a quem lhe pagou para estudar gratuitamente.Não só quem formou-se em medicina sou da opinião que de todos os cursos teriam que prestar seviços ao cidadões que lhe permitiram ter estudado de graça.Quem recebeu FIES bolsa de estudos tem o dever de prestar serviços de pelo menos um ano a nação.Falta veterinário no interior do pais, agronomos para pequenos agricultores, dentistas, advogados nas defensorias publicas, farmaceuticos, contadores, engenheiros em todas as areas.Deveriam sim prestarem serviço as comunidades carentes dos mesmos no interior do pais.Aprenderiam muito cresceriam como seres humanos e tornariam-se grandes profissionais.Isso não ia doer nada.Ficar reclamando que não tem condições não tem isso nem aquilo é ser preguiçoso e egoista.A propria populaçao deveria fazer mais não ficar só esperando do governo, dar a sua contribuição também.Nas escolas alunos agridem professores.

Comente