Uncategorized

Ney cobra e Prefeitura garante que ampliará ‘Mãe Curitibana’

A Prefeitura Municipal de Curitiba garantiu ao deputado Ney Leprevost que vai ampliar o “Programa Mãe Curitibana”, cuja informação foi dada em resposta a uma solicitação feita pelo parlamentar, devido a “informações desencontradas a respeito do futuro do programa”.

Segundo a informação recebida da Rede de Atenção a Saúde da Mulher, “o Programa Mãe Curitibana está sendo ampliado e incorpora outros benefícios da Rede Cegonha, programa do Ministério da Saúde direcionado ao
atendimento de gestantes.”

A partir de agora, o programa atende a mulher em todas as fases reprodutivas, antes e depois da gestação, garante a informação repassada a Ney Leprevost.

Ainda segundo informações recebidas por Leprevost, que é líder da Frente Estadual da Saúde e Cidadania, “além da estrutura já existente, o “Programa Mãe Curitibana” está adotando uma nova linha de cuidados com
crianças de até 24 meses e agregando novos métodos de avaliação fetal e exames específicos para gestante de alto risco”.

Outra informação que o deputado recebeu, é que a partir de agora, “a avaliação de risco do “Programa Mãe Curitibana” irá abranger ainda o Programa Mãe Paranaense, do Governo do Estado. Na prática, gestantes de
novo municípios da Região Metropolitana de Curitiba onde não há avaliação para gestantes de riscos serão avaliadas em Curitiba, na Unidade de Saúde Mãe Curitibana”.

11 Comentários

  1. Monica Tedeschini Responder

    Atualmente os gestores municipiais querem acabar com os serviços. Na FAS está sendo um fechamento geral, verdadeiro absurdo. O CREAS CRISTO REI foi fechado e acabaram com o serviço, que era de suma importância para a população. Motivo: nenhum, apenas utilizando o discurso radical da atual gestão, que nada faz e tudo critica.
    A sociedade agora e quem paga o preço.

  2. Servidor Municipal Responder

    A prefeitura faz questão de fazer marketing em cima da notícia de que estão economizando aqui e ali, mas assim fica fácil, cortando horas extras dos pequenos servidores que ralam e estão afundados em empre´stimos consignáveis e dando o calote nos fornecedores, lógico que sobra dinheiro. Se qualquer um de nós receber o salário e não pagar luz, água, telefone, etc, claro que sobra dinheiro..A pergunta é: Qual o destino deste dinheiro???
    Por que não está sendo direcionado em benfeitorias para o povo, vejam o caos que continua a saúde e os postos…..

  3. Vigilante do Portão Responder

    Temos notícias que estão acabando com o Armazém da Família.

    Minguaram os produtos e restringiram as marcas ofertadas.

  4. Ney , fica de olho nesta turma. O PT está querendo destruir tudo de bom que foi feito em Curitiba e o Gustavinho está sendo uma decepção total.

  5. O Ney Leprevost é o único político do Paraná que se preocupa com a saúde das pessoas mais pobres.
    A maioria não está nem aí para o sofrimento do povo.
    Continue assim, jovem deputado.
    Precisamos de você .

  6. Antes de ampliar eles simplesmente acabam com os programas que deram certo! As mães curitibanas estão enfrentando filas com doentes e ainda pagar por ecografias!

  7. O sr. Ney deveria dar uma atenção e cobrar também a central de leitos nas UTIs, e vagas nos hospitais isso não funciona nunca.Segundo falam quem manda é o governo do estado.Já que o mesmo faz parte dessa administração e é extremamente competente por favor ajude quem precisa.o Bom exemplo começa dentro de casa. Arrume a sua e parta pra cima da do vizinho depois.Pipocou no caso dos pedágios não vá pipocar nesse caso.Falta de vagas provoca enchimento dos 24 horas.Tem casos de um conhecido ter ficado num 24 horas por 2 semanas, pois não existia leito nos hospitais.Só conseguiu a vaga e exames com especialista quando chamou a imprensa.Aí arrumaram uma vaga no traBALHADOR. FICOU LÁ 48 HORAS E FOI DISPENSADO SEM TER ATENDIMENTO DOS ESPECIALISTAS.

Comente