Uncategorized

Marina enfrenta dificuldades para criar partido

Do Josias de Souza:

A sorte de Marina Silva é que a maioria dos relógios já não tem ponteiro. No seu caso, não seriam ponteiros, mas espadas. Bem posta no Datafolha, Marina precisa obter para a sua Rede Solidariedade, até 5 de outubro, uma certidão de nascimento emitida pelo TSE. Para isso, tem de entregar no tribunal pelo menos 492 mil assinaturas de apoiadores em nove Estados. A dificuldade é grande, muito grande, imensa.

Neste domingo (11), Marina reuniu-se em Brasília com as seis dezenas de pessoas que integram o Comissão Nacional Provisória da sua Rede. Em nota enviada ao blog, a legenda fez as contas. Coletaram-se 844 mil assinaturas. Antes de chegar ao TSE, precisam passar pelo filtro dos cartórios eleitorias nos Estados. A Rede só entregou aos cartórios 553 mil rubricas. Por ora, apenas 189 mil foram certificadas. Para atingir o mínimo de 492 mil, faltam 303 mil.

Marina e sua turma se queixam da “morosidade” dos cartórios eleitorais. Irão ao TSE para pedir que apresse a turma de baixo. Supremo paradoxo: principal beneficiária do rondo das ruas, segunda colocada nas sondagens eleitorais, Marina não sabe se terá um partido para entrar em campo. Administra os minutos, que as horas passam.

4 Comentários

  1. SABE COMO VAI ACABAR ESSA HISTÓRIA, VOU DIZER A MARINA NAO VAI CONSEGUI ESSAS ASSINATURA E VAI APOIAR A DILMA ELA SEMPRE FOI PT,

  2. Parreiras Rodrigues Responder

    Independente de partido – que, pouco ou quase nada representam mais, Marina é o melhor quadro que se apresenta para encarar o
    P erda T otal.

Comente