Uncategorized

UEM é a melhor universidade estadual fora do eixo Rio-SP, mostra ranking

Da Gazeta do Povo:

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) foi considerada a melhor instituição estadual de ensino superior fora do eixo Rio-São Paulo. É o que aponta a edição deste ano do SIR World Report, que avaliou cinco anos de produção científica das instituições que publicaram, em 2011, pelo menos cem trabalhos científicos indexados na base de dados holandesa Scopus, considerada uma das maiores do mundo. No ranking nacional, a Universidade Federal do Paraná (UFPR) é a instituição paranaense mais bem avaliada.

Entre 2007 e 2011, a UEM teve 3.365 trabalhos publicados, produção que a colocou em 22º no ranking nacional, uma posição acima do ranking divulgado no ano passado. A UFPR, que no Brasil ocupa a 11ª posição, teve 6.048 publicações. Na região Sul do país, a instituição de Maringá ficou atrás apenas das universidades federais do Rio Grande do Sul (UFRS), de Santa Catarina (UFSC), do Paraná (UFPR) e de Santa Maria (UFSM).

A UEM também subiu da 38ª para a 37ª posição na América Latina e da 1.052ª para a 997ª no ranking mundial, que é liderado pela Universidade Harvard, dos Estados Unidos, com 80.467 publicações. A Universidade de São Paulo ( USP) é a instituição brasileira mais bem colocada, na quinta posição mundial, com 48.156 trabalhos. A UFPR ocupa o 19º lugar na América Latina e o 595º no mundo.

Para o reitor da UEM, Julio Santiago Prates Filho, o desempenho ocorreu devido à eficiência dos investimentos na área de pesquisa e de pós-graduação. Em nota divulgada pela instituição, ele informou que, nos últimos anos, a UEM incrementou significativamente as ações de cooperação e de intercâmbio internacionais. “A instituição vem mantendo sua vocação de edificar a pesquisa, alinhando-a ao ensino de qualidade.”

Já o diretor de Pós-Graduação da UEM, Carlos Alberto Scapim, ressaltou que todos os dirigentes apoiaram a pós-graduação dos professores em universidades conceituadas no Brasil e no exterior, influenciando na criação de 40 mestrados e 21 doutorados na instituição. “Formou-se uma massa crítica significativa que realmente desenvolve o binômio ensino e pesquisa.”

Produção paranaense

Outras três instituições do Paraná estão entre as 50 mais bem ranqueadas pela SIR World Report no Brasil. A Universidade Estadual de Londrina (UEL) aparece em 32ª lugar entre as brasileiras, com 2.332 trabalhos. Na sequência estão a Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), na 45ª posição e 1.310 trabalhos; e a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), em 47ª e 1.301 publicações.

Quesitos

No quesito “Q1”, que mede a porcentagem de artigos de uma universidade publicados nas mais conceituadas revistas de cada área do conhecimento, a UEM obteve índice de 25,8%, superando ligeiramente os 25,6% de 2012.

No critério chamado de impacto normalizado, que mede quantas vezes os trabalhos de cada instituição são citados em comparação com a média mundial, a UEM aparece com a marca de 0,62, 16,2% maior que a média global.

No critério de produção científica com colaboração internacional, o desempenho da UEM subiu de 10,3% para 10,8%.

2 Comentários

  1. FRUTO DE GRANDES INVESTIMENTOS REALIZADOS NAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS NOS OITO ANOS DO GOVERNO BOB REQ…………

Comente