Uncategorized

Dia fatídico

Do Lauro Jardim:

Henrique Eduardo Alves não vê qualquer constrangimento em votar o projeto do Orçamento Impositivo, algo que o Palácio do Planalto tentou derrubar enquanto pôde, amanhã, justamente no dia da visita da Dilma Rousseff ao Congresso.

A quem o pergunta sobre um eventual incômodo, Henrique Alves sai pela tangente, com discurso protocolar:

— Não vejo nenhuma relação entre a ida da presidenta e a votação, que já estava marcada. Posso dizer apenas que acho ótimo ela ir ao Congresso, vou cumprimentá-la e dizer isso pessoalmente. Espero que essa agenda se repita sempre que possível.

Como a sessão com Dilma está agendada para 11 horas, certamente ela não ficará para assistir os deputados imprimindo nova derrota ao governo.

Comente