Uncategorized

Falta de funcionários deixa leitos ociosos no Hospital de Clínicas

Dos 547 leitos, 76 não são utilizados. Hospital culpa acordo feito pela UFPR em 1985, mas sindicato quer mais concursos.

Do G1 PR:

A falta de profissionais no Hospital de Clínicas (HC) do Paraná faz com que, dos 547 leitos disponíveis, 76 não sejam utilizados. Enquanto a diretoria do hospital, que é o maior público do estado, afirma que o problema é reflexo de um acordo de redução de carga horária de funcionários concursados, o sindicato da categoria diz que o HC deveria realizar mais concursos.

Mesmo com espaço sobrando, o tempo médio de espera de um paciente que sai do pronto atendimento para conseguir um leito chega a oito dias, segundo o próprio hospital. A UTI adulto-cirúrgica, reformada há dois anos, nunca recebeu pacientes, e a UTI neonatal, que poderia atender 45 bebês em estado grave, só recebe 25 por vez. Dos 60 setores do HC, 21 deles têm pelo menos um leito fechado por falta de funcionários.

Segundo o diretor do HC, Flávio Tomasic, isso ocorre pela falta de suporte de enfermagem. “Essa redução de leitos a gente faz por segurança. A gente não pode manter todos os leitos abertos com um numero x a menos de colaboradores, principalmente na área de enfermagem. Isso colocaria em risco o padrão de atendimento aos pacientes”, sustenta.

Acordo
Segundo a direção do HC, o problema está em um acordo feito em 1985 pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), que mantém o hospital, com alguns funcionários concursados. Eles tiveram a carga horária reduzida de 40 para 30 horas semanais. Segundo o HC, isso resulta em 25% de perda de mão de obra, já que dois mil funcionários se enquadram neste acordo.

Em contrapartida, a presidente do sindicato da categoria (Sinditest), Carla Cobalchini, defende que o acordo não é a principal causa da ociosidade dos leitos. “A jornada de 30 horas, que seriam 6 horas ininterruptas, equivalem a um regime de trabalho de 40 horas. Nada do que esta sendo feito é ilegal, e, pelo contrario, está sendo feito justamente para ampliar esse atendimento à população”, afirma. Para o Sinditest, o HC deveria abrir concursos e chamar mais servidores para preencher as vagas.

6 Comentários

  1. É FUNCIONÁRIO GANHANDO POR OITO/SEIS HORAS DE TRABALHO, MAS A REALIDADE É OUTRA!!!!!!!!!!!!!!!!.

  2. Professor da Rede Estadual Responder

    Tá e agora?

    Qual a solução deste problema crônico com relação a saúde a publica?

  3. Coloquem os “médicos” cubanos da Dilma e do Lulla, pra trabalharem no HC.
    Porém, não como enfermeiros, pois falta-lhes conhecimento.
    Que fiquem lá, trocando lençóis, lavando comadres, trocando fraldões geriátricos, e lavando latrinas, entre outras honestas e imprescindíveis tarefas.
    Talvez pra isso sirvam.

  4. Bom, a solução que a Presidente Dilma achou para melhorar a saúde no Brasil, foi importar médicos, como se a solução dos problemas da saúde fosse apenas a falta de médicos, onde ela esqueceu que há necessidade de uma equipe multidisciplinar, como: médicos, enfermeiros, farmacêutico e dentre outros, agora porque essas regiões que estão carentes desses profissionais sigam o pela mesma linha de raciocínio e comecem a importar de outras regiões.

  5. A Presidente Dilma, acha mais justo pagar mais à médicos de fora do que reconhecer por um salário justo aos médicos brasileiros, aliás a todos da área da saúde.

Comente