Uncategorized

Dilma diz a jornal que pretende fazer reforma ministerial no fim do ano

Do G1, em Brasília:

A presidente Dilma Rousseff afirmou que pretender realizar uma reforma ministerial, com troca dos titulares em pastas do governo, somente no final deste ano, e não neste momento. A afirmação foi feita em entrevista publicada nesta terça (17) no jornal “Zero Hora”, realizada nesta segunda (16), após visita a Porto Alegre (RS).

“Não pretendo fazer, agora, uma reforma ministerial. A minha reforma está marcada para o final do ano e terá a ver com o processo de saída dos ministros para concorrer”, disse a presidente, em referência às eleições do ano que vem.

Segundo o jornal, Dilma disse que a reforma “não precisa” ocorrer no último dia possível, ou seja, no início de maio de 2014, data-limite para pré-candidatos deixarem cargos no Executivo para fazer a campanha. Ela lembrou que, após a saída de ministros que irão se candidatar, no final deste ano, ainda restará um ano de governo. “Tenho de dar conta desse ano”, afirmou.

“Tem o interesse do ministro, mas tem o interesse do governo. Não quero solução de continuidade. Quero manter um padrão. Temos vários projetos em andamento, e eles serão mantidos rigorosamente”, declarou, segundo o jornal.
Sobre reeleição em 2014, Dilma disse que deve se preocupar em governar e não com as eleições. “Eu sou a presidenta. Os outros querem o meu lugar. Eu não tenho de me preocupar com eleição, tenho de me preocupar em governar. E é isso que vou fazer até o último dia. O que tenho de fazer é isso, governar. É colocar os problemas do Brasil na frente de qualquer coisa”, afirmou ao jornal gaúcho.

2 Comentários

  1. NA CORDA BAMBA Reply

    Reforma ministerial !? Do jeito que anda a carruagem o PT e partidos coligados só possuem corruptos. É melhor deixar assim
    para não trocar seis por meia dúzia…

  2. Parreiras Rodrigues Reply

    Antes da reforma, a extinção dos cabides. Em não acontecendo a segunda medida, está caracterizado o aparelhamento, através da acomodação de cupinchas, de cabos eleitorais. Ministérios hão que não fazem porra alguma, a não ser aumentar gastos na folha, com a manutenção – luz, água, cafezinho, e com as mordomias proporcionadas por cartões corporativos, passagens aéreos, carros com motoristas e combustível, claro, mais telefone, o caralho a quatro.

Comente