Uncategorized

Encontro debate mudanças climáticas
em Foz do Iguaçu

Encontro em Foz do Iguaçu reuniu ministros da China, Brasil, África do Sul e Índia (Foto: Fabiula Wurmeister/G1)

Do G1 PR, em Foz do Iguaçu:

Ministros do Brasil, África do Sul, Índia e China (Basic) reforçaram nesta segunda-feira (16), em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, a cooperação para a Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP-19) que será realizada em Varsóvia, na Polônia, entre os dias 11 a 22 de novembro. Na 16ª Reunião Ministerial, representantes do Basic destacaram a necessidade de concretização urgente das ações conjuntas propostas para a área ambiental e de se exigir que os países desenvolvidos cumpram os acordos de apoio aos países em desenvolvimento.

As discussões desta segunda-feira trataram, entre outros, do fortalecimento das intenções dos quatro países na redução das emissões de gases do efeito estufa e do novo acordo internacional no âmbito das Nações Unidas previsto para ser assinado na convenção que será realizada em Paris, em 2015, e que deve entrar em vigor a partir de 2020, substituindo o atual Protocolo de Quioto, válido desde 2005.

“É preciso unir forças para cobrar o apoio financeiro, tecnológico e técnico internacional no combate às mudanças climáticas”, destacou a ministra brasileira do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. “Temos que exigir dos países desenvolvidos a plena implementação dos acordos anteriores como o de capitalização para o Fundo Verde para o Clima”, comentou o vice-presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento e Reforma da China, Xie Zhenhua. A meta, lembrou, é levantar por ano US$ 100 bilhões até 2020.

Em encontro paralelo à reunião, as ministras do Brasil e da África do Sul, Edna Molewa, assinaram um Memorando de Entendimento sobre Cooperação na Área Ambiental entre os dois países que inclui ações de proteção a matas, prevenção a incêndios florestais e destinação correta de resíduos sólidos.

2 Comentários

  1. Parreiras Rodrigues Responder

    Chega de debater mudanças climáticas. O clima é mutável, sempre e inexoravelmente. Há que, sim, se procurar meios para discipliná-lo e esses meios nos são pedidos pela própria Natureza.
    Já que estão em Foz, porque não começar por lá mesmo um vigoroso programa de quebra-ventos em meio às plantações extensivas? Para normalizar a velocidade dos ventos, preservar a umidade do solo, restaurar a sua camada fértil (a do horizonte, varrida pelo vento ou lavada pela chuva), Ainda resguardaria a integridade das torres de transmissão de Itaipú e evitaria os estragos físicos nas cidades, arregaçando coberturas de postos de gasolina, barracões, escolas, etc…

Comente