Uncategorized

Campagnolo usa Fiep para tentar vice de Gleisi em 2014

Não se fala em outra coisa no Centro Cívico. De olho na vice-candidatura de Gleisi Hoffmann (PT) na disputa pelo governo do Paraná em 2014, o presidente da Fiep, Edson Campagnolo, está na mídia para tentar aumentar suas chances na chapa petista. A Fiep está bancando uma série de anúncios contra o pedágio veiculados na Rede Globo.

A pauta de Campagnolo é a mesma de Gleisi, mas o ataque contra os pedágios é seletivo. Campagnolo crítica os pedágios implantados em 1997, mas não faz referência aos pedágios adotados pelo PT. A diferença, que não faz sentido, é apontada pelos adversários do presidente como um sinal seguro de que a campanha da Fiep tem objetivo político-partidário.

Afinal os dois modelos de pedágio são alvos de críticas por parte dos usuários e empresários que dependem do transporte rodoviário. O modelo implantado na década de 90 é considerado caro, já o sistema adotado por Lula e Dilma, que privilegiou o custo baixo resultou em estradas esburacadas, sem manutenção e obras não realizadas.

Os dois sistemas de pedágio tem defeitos – o que é reconhecido até pelo governo federal, que alega estar em busca de um modelo alternativo. “Só o presidente da Fiep, mordido pela mosca azul, finge não ver a situação e investe dinheiro da Fiep para alimentar seu projeto político”, diz um empresário opositor de Campagnolo.

16 Comentários

  1. Antes ele do que você, sem infeliz. Ele tem uma família decente, é um homem decente. Cresceu sem tirar dinheiro dos outros. Trabalha. Ao contrário de você, que só especula.

  2. Este cara é uma pândega. Demitiu a mulher do prefeito, humilhou alguns que são atuais assessores da prefeitura, nomeou seus evangélicos protegidos para cargos de direção e gerência. Tem mentalidade de costureiro do interior.

  3. antonio carlos Responder

    Coitada da ministra, é só gente querendo se aboletar na canoa dela. Até dias atrás era o urtigão querendo o emprego de vice. Agora chegou a vez do representante máximo do capitalismo da província pretender o mesmo cargo que, deve ser mesmo ótimo. Se ganha sem precisar trabalhar e ainda pode se fazer muita demagogia.

  4. Só comparar o preço, pois o preço dos pedagios no paraná são abusivos.
    Qualidade… ande de curitiba a foz e vera a qualidade, peços abusivos mas com pistas simples.Obras são raras só fazem manutenção mas ganham fortunas.

  5. . Ñ ‘credito’ que seja vice de Greisi.

    . Acho que vice ainda será Gaievski.

    . Aí ganha …senão, acho q perde … e feio .

    ,

  6. sudoeste atento Responder

    Quem conhece o Edson Campagnolo, sabe de sua capacidade em defender a muitos anos os interesses das pequenas empresas do Estado, é só conferir com o Sebrae, por isso acho um grande nome para o Paraná, já provou que gosta de grandes desafios ao derrotar o queridinho do Beto.

  7. Não tenha dúvidas de que ele vai ser o vice da Gleisi em 2014.
    Não tenham dúvidas de que o Beto, caso o Requião seja candidato, não vai passar do primeiro turno.

  8. Fica fácil fazer política com dinheiro dos outros, imagina-se quanto saiu para os industriais do Paraná o pagamento de horário nobre para se lançar a candidato a alguma coisa….a deputado federal, a vice (capacho) da Gleisi e Ofice boy do Paulo Bernardo, enfim a qualquer coisa que seja contra o atual governo estadual.

  9. Campanholo não é contra o conceito de pedágios rodoviários.
    Creio que a contrariedade se dá quanto ao modelo paranaense, que desprestigia os interesses do Estado.

  10. Vão cair do cavalo. Este Campagnolo e cobra criada do Rodrigo da Rocha Loures ex FIEP. Que conseguiu eleger na ocasião seu filho para deputado com dinheiro da FIEP. Ta na hora de pegarem estes corruptos.

  11. Ele quer afundar na canoa virada da antipática incompetente e barraqueira senhora?

  12. Infelizmente o sr. Campagnolo fingiu que faria uma gestão espartana na poderosa Fiep.

    Mentiu. Gasta muito dinheiro para se autopromover. Homem vaidoso, tem visíveis interesses eleitoreiros.

    Só quem ganha nessa história é a Fiep se ele de fato deixar o cargo.

  13. Sei não, esse presidente da FIEP gosta muito de aparecer, tá estranho. Não se importa em gastar o dinheiro dos empresários e da indústria do Paraná.

Comente