Uncategorized

Richa corta mil cargos, extingue 4 secretarias e leiloa carros de representação

Como anunciamos, o governador Beto Richa determinou nesta sexta-feira (27) a extinção de 1.000 cargos em comissão e quatro secretarias no Governo do Paraná. Os cortes fazem parte da primeira fase de uma série de medidas determinadas pelo governador para contenção de gastos e modernização na gestão do Estado.

O governador encaminhará na próxima semana mensagem à Assembleia Legislativa para reduzir de 4.657 para 3.657 o número de cargos comissionados no Executivo estadual. Com o corte, a economia será de R$ 48 milhões por ano no pagamento de servidores sem vinculo com o Estado. Na mesma mensagem será criada a Função de Gestão Pública (FG) para funcionários de carreira que ocupam cargos de diretoria, chefia e assessoramento, valorizando o servidor público concursado.

Serão extintas as secretarias de Controle Interno, da Corregedoria e Ouvidoria, Assuntos da Copa 2014 e do Turismo, que será incorporada pela Secretaria da Cultura e passará a se chamar Secretaria de Estado da Cultura e do Turismo.

As funções da Secretaria Especial da Copa serão assumidas pela Secretaria de Esportes. As atividades das secretarias de Controle Interno e da Ouvidoria passarão a ser exercidas pela Controladoria Geral do Estado, que será criada.

Richa também determinou corte na frota de carros de representação, que será limitada a secretários e presidentes de empresas públicas. Isso representa o recolhimento de 43 veículos, que serão leiloados — o dinheiro será usado na compra de ambulâncias para os municípios.

A elaboração do orçamento do Estado, hoje sob responsabilidade da Secretaria de Planejamento, passará para a Secretaria da Fazenda. Outra medida administrativa determinada pelo governador é a transferência da Ecoparaná, que elabora projetos de desenvolvimento sustentável na Secretaria de Turismo, para a Secretaria de Planejamento, sob o nome de Paraná Projetos.

Novas medidas de enxugamento da estrutura do Estado serão adotadas até o fim do ano.

MAIS 2.226 POLICIAIS MILITARES

O governador Beto Richa também determinou que sejam chamados mais 2.226 Policiais Militares aprovados em concurso no início do ano. O curso de formação para os novos PMs será iniciado em novembro.

25 Comentários

  1. Com o corte de 1000 cargos o Paraná economizará R$48 millhões ao anos, dinheiro suficiente para construir pelo menos 10 escolas. Com tantas Secretarias que foram criada para abrigar parceiros politicos, poderia cortar mais 5000 barnabés, que não fará falta para o Estado.

  2. Sergio Silvestre Responder

    Como sempre digo#tem que empenhar os tacos de golfe para pagar as raquetes de tenis#

  3. São medidas como esta que o brasileiro como um todo precisa ouvir e vê – las colocadas em prática.Sem dúvidas que são medidas relevantes e de cunho disciplinar para um pais que passa por momentos delicados, como a falta zelo com o erário publico a impunidade generalizada.O Paranaense com certeza deve agradecer este ato de lucidez administrativa do jovem Governador Beto Richa.Vamos acreditar que esta tomada de decisão se estenda aos demais estados da federação.

  4. REFORMA DA SILVA Responder

    Concordo com o enxugamento dos Cargos, poderia complementar esta medida com a devolução dos funcioáriosda Prefeitura de Curitiba que estão em Cargos de Comissão, e como tem.
    Não concordo com a Extinção da Secretaria de Turismo pois o Paraná é o 2º polo de Turismo no País, temos que incrementar o setor de Turismo com Projetos Exequíves e gente competente para desenvolve-los.
    A Função de Gestão sómente deverá ser exercida por funcionários públicos do Estado e na ativa,os inativos deverão retornar a inatividade, caso haja necessidade poderão ser chamados.

  5. Extingui de 1.000 cargos em comissão?

    Não que eu seja a favor de mantenha esses cargos, porém a duvida que surge é de que forma ele suprirá a necessidade de mais funcionários no Estado.

    Não esquecendo que muitos dos servidores estão prestes a se aposentar!!!

    O concurso que esta em andamento para a secretaria de educação a quantidade de vagas foi ridículo, não atende nem 10% da demanda.

  6. Esta é a economia que tem que fazer e não ficar arrumando pra dar um saque na Sanepar, Detran , Copel pra acertar caixa pra pagar 13° .

  7. PÉRICLES GONZAGA Responder

    Fábio Campana, jornalista de credibilidade poderia nos informar quanto os governos estadual e municipal gastam com publicidade e propaganda? e se possivel com a grande mídia? aguardo por favor.

  8. Boa notícia. Melhor ainda se atingir a Companhia de Habitação do Paraná onde 50% são comissionados. Tem a turma do Lerner, do Romanelli, do Requião, e dos atuais mandatários.
    Haja cadeiras e recursos para pagar a todos.

  9. marilda schneider Responder

    EXTINÇÃO!!!???só faltou dizer a partir de quando???!!!e as outras
    SECRETARIAS ESPECIAIS!!!???e os aviões e helicopteros!!!???

  10. Agora, o governador está no caminho correto. Cortar custos. Racionalizar gastos. Como a iniciativa privada faz. Certamente foi por orientação do competente Stephanes (pai) essa tomada de atitute.

  11. Que contas esquisitas!
    1000 cargos comissionados que resultarão numa economia de 48 milhões?!
    Fazendo essa conta simples estaríamos falando em um salário de R$48.000,00 por cabeça, o que é um absurdo. Ainda mais se considerarmos que uma nova secretaria será criada em substituição as extintas.
    Alguém chame o Osvaldo de Souza para refazer estas contas, como é que o cidadão que quer transparência vai entender isso?!

  12. Conheço funcionário educação sem dinheiro nem pra remédio, promoções e progressões atrasados para professores, vergonha isso no paraná.

  13. “Cultura e Turismo”, o governador realmente é ruim de serviço e não entende nada de nada. O turismo é uma industria que impacta centenas de setores da economia, grande gerador de emprego e renda e não merece voltar a ser atrelado a uma Secretaria alheia ao assunto. É um retrocesso lastimável.

  14. PQ SÓ AGORA QUE O GOVERNO ESTÁ CHEGANDO AO FIM, VEM ESTAS MUDANÇAS? SERÁ PQ A ELEIÇÃO ESTÁ CHEGANDO E TEM DE MOSTRAR QUE ALGO ESTÁ SENDO FEITO? VAI FUNCIONAR! O POVO TEM MEMÓRIA CURTA MESMO!

  15. Putz eliminar a secretaria do turismo no dia do turismo foi uma bola fora…com a palavra a turma do trade do turismo…

  16. Não fará a mais mínima diferença, pois essa gordura até agora não disse a que veio.

    Chega de empulhação, gente!!!

    É a sociedade que vem pagando essa conta, dinheiro público que tem ido para o ralo – nada de realizações importantes.

    Se a história fosse escrita hoje seria um livro com capa bonita e contracapa de propaganda paga – miolo em branco.

  17. Louvável. Já era hora. Esse Secretaria de Controle interno era um verdadeiro cabide de cargos e as outras, não fazem nenhuma falta.

  18. Por acaso o governador vai dar para todos os funcionários as mesmas gratificações que deu para os funcionários da secretaria da fazenda , ou eles continuarão ser os protegidos que com apenas 5 anos recebendo a gratificação levam ela integral para aposentadoria?

  19. carlinhos noute Responder

    Um primeiro erro: o orçamento não deve sair da Secretaria de Planejamento. Transferir tal responsabilidade para a Fazenda é mudar os princípios que norteiam o orçamento-programa. O orçamento do Estado não pode ficar a reboque exclusivamente da área financeira. Péssima notícia.

  20. alexandre mattos Responder

    E a farra nas universidades públicas vai acabar quando?
    É dinheiro público sendo torrado em viagens internacionais e pagando professores que sequer dão aulas. Três ou quatro por semana. Pode?

  21. Esperamos que isso seja verdade pois só no Porto de Paranaguá temos 102 comissionados. São muitos cargos que deveriam ser preenchidos por funcionários de carreira. Infelizmente não existe sequer um plano de cargos.

  22. Tá difícil entender esse tal “choque de gestão”.
    3 anos p/ descobrir Q tem 1000 vagabas no governo e 4 secretarias dispensáveis. Pô meu! isso dá uma baita “indi-gestão”…

  23. Isso tudo é uma balela. O que ocorre na prática, exonera-se um comissionado e aliado político, em contra partida coloca um funcionário da dita secretaria recebendo àquela gratificação.
    Me engane que eu gosto.
    É exatamente o que esta pleiteando o Luiz para o Porto de Paranagua. Repito me engane que eu gosto.

Comente