Uncategorized

Cabos eleitorais de Dilma dizem ter recebido ‘por fora’ em 2010

A Folha localizou 12 pessoas que negam ter sido ‘voluntárias’ em 2010. Prestação de contas de campanha da atual presidente não declarou pagamentos; PT nega caixa dois

Na Folha

Cabos eleitorais da presidente Dilma Rousseff que aparecem como “voluntários” na prestação de contas de campanha de 2010 afirmam que receberam dinheiro pelo trabalho realizado no segundo turno da eleição.

A Folha localizou 12 pessoas em Mato Grosso e no Piauí que dizem nunca ter atuado de graça, apesar de serem tratadas como prestadores de serviço sem remuneração nos papéis entregues pela campanha ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

O motoboy Fernando Araújo Matos, 23, de Teresina (PI), é um desses “voluntários” de Dilma. Ele rodava a cidade em sua moto carregando bandeiras da candidata do PT.

“No segundo [turno] fiquei só com a Dilma. Recebi R$ 300 e o tanque de gasolina.”

O nome dele e de outros cabos eleitorais aparecem em declarações individuais de “trabalho voluntário” assinadas, nas quais eles atestam estar cientes da “atividade não remunerada”.

As declarações fazem parte da documentação entregue à Justiça Eleitoral, que considera “doador” quem presta serviço “voluntário”.

A Folha identificou ao menos 43 “trabalhadores voluntários” na prestação de contas da campanha, totalizando “doações” de cerca de R$ 20 mil. No grupo, estão os 12 localizados pela reportagem.

Efetuar pagamentos de campanha e não declará-los é crime de caixa dois. O PT nega a prática e diz que suas contas foram aprovadas.

No total, a campanha da atual presidente registrou arrecadação de R$ 135 milhões e despesas de R$ 153 milhões.

Nas entrevistas com os cabos eleitorais, a Folha mostrou cópias das declaração de “trabalho voluntário”. A maioria confirmou a assinatura, mas disse não ter lido o documento antes.

“[O trabalho] não foi de graça. Não sou otário para trabalhar de graça”, disse Mariano Vieira Filho, que atuou como motoboy no PI.

Já Luís Fernando Barbosa Nunes, 25, também motoboy na campanha de Dilma em Teresina, disse que sua assinatura foi falsificada no documento entregue ao TSE. “Nunca ia assinar meu nome errado. Está escrito Luís com z e eu não escrevo assim”.

Em Cuiabá, a tecnóloga em segurança do trabalho Cristine Macedo, 48, diz ter ganho cerca de R$ 600 para panfletagem. “As pessoas que trabalharam precisavam do dinheiro. Eu trabalhei pelo dinheiro. Se falar em voluntário, ninguém vai trabalhar.”

Nas contas aprovadas pela Justiça Eleitoral não há registro de pagamento a nenhum deles no segundo turno. No primeiro turno, todos trabalharam para candidatos do PT ou aliados nos Estados e foram registrados como prestadores de serviço. No segundo turno, viraram “voluntários” de Dilma.

Especialistas em direito eleitoral afirmam que, se despesas foram realizadas e nada foi declarado, há indício de caixa dois.

“Se pessoas confirmam que receberam e o pagamento não aparece na prestação de contas, a hipótese é de caixa dois”, diz o promotor eleitoral Edson Castro.

A advogada Deborah Guirra diz que caberia uma investigação por crime eleitoral. “[O registro] tinha que estar na prestação de contas do comitê ou do candidato.”

11 Comentários

  1. Pedro Marquetti Responder

    Caberia ao TSE essa investigação; mas qual! – Sempre rigoroso, SEMPRE TERRÍVEL; MAS SÓ CONTRA OS INSETOS, como dizia velho comercial do inseticida.
    A petezada deve estar gargalhando da reportagem, e dos idiotas que imaginam alguma punição à quadrilha petista!

  2. Tudo besteira: trata-se do PT e o PT tudo pode! Ninguém da Justiça Eleitoral tem coragem para incomodá-los, muito menos quando se trata de ferir interesses do CHEFE, o Grande Safado!

  3. Sergio Silvestre Responder

    Cara pálida,quem não recebeu né bagre velho!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!11.

  4. Parreiras Rodrigues Responder

    Se alguém entrar com processo para cassação, ela saca um enorme embargo infringente e pronto.

  5. Esse pessoal do PT não toma jeito mesmo! Sòmente DOZE (12) pessoas ? E as outras milhares que trabalharam (recebendo) por esse País afora e que não se manifestaram ?. Percebemos claramente que existe contradição, senão vejamos: o PT nega CAIXA DOIS (2) nesse episódio, mas afirma e confirma que não houve MENSALÃO e sm CAIXA DOIS (2). Vá entender esse PT. que ora diz uma coisa e depois outra.Também com o dinheiro arrecadado através do Mensalão daria para comprar praticamente quase toda a votação da atual Presidente. Haja óleo de peroba! E esse é o partido que manda no País.TRISTE REAIDADE!

  6. Parreiras Rodrigues Responder

    Antes, P erda T otal tinha a militância, aguerrida, idealista. Mas, ninguém é de ferro e uma sinecura ajuda prá caraio. Quem mandou empregar os militantes espalhados nos 39 ministérios, agências, etéque. Agora, só no din-din…

  7. Parreiras Rodrigues Responder

    O comentário do Sérgio Silvestre dá bem a idéia do que pensa o P erda T otal, a respeito da ética na política.
    Assim como, se todo mundo faz, eu também faço.

  8. oh meu Deus!!! santa corrupção Batman!!! acharam 12 pessoas que “dizem” ter recebido “por fora”??? decerto nenhuma dessas 12 pessoas “receberam por fora” para dizer isso não é? Justo agora, no calor da pré-campanha??? POrque o Estado de São Paulo, esse jornal de “grande credibilidade”, não fez essa “reportagem inestigativa” logo depois do resultado das eleições? Decerto na campanha do PSDB, do DEM, do PMDB, do PDT, do PPS, do PSB e de outros partidos mais isso também não acontece né? Será que o Estadão vai continuar com sua “bravura” e investigar se nas outras camapnhas isso também aconteceu? Esse pessoal são todos “pobres coitados”, “vítimas” desses políticos malvados do PT que fizeram pacto com o demônio para tomara conta da alma dos brasileiros!!!
    Pior é que tem gente que prefere simplesmente engolir com farinha uma “notícia” dessas. Aproveitem e chorem, porque o Brasil acaba antes da tucanalha conseguir eleger presidente de novo…kkkkkkkkkkkkk

  9. A militância petista deixou de existir. Agora o que se vê são prestadores de serviços não importa o partido, desde que sejam bem remunerados. O discurso demagógico do PT não funciona mais.

Comente