Uncategorized

Ney quer exigência
de ficha limpa para candidato ao TC

O deputado Ney Leprevost está coletando assinaturas para protocolar uma PEC/Projeto de Emenda Constitucional, alterando o método de escolha dos Conselheiros do Tribunal de Contas.

Leprevost propõe que o voto para eleger os Conselheiros tenha que ser obrigatoriamente aberto. A PEC também passa a exigir que para disputar a vaga no Tribunal de Contas, o candidato tenha formação em nível superior e não apenas notório saber. A PEC de Leprevost estabelece ainda que deputado e secretários de Estado que desejarem concorrer à função, se desincompatibilizem do cargo no dia da inscrição da candidatura.

Também ficará estabelecido que os candidatos deverão estar adequados à
Lei de Ficha Limpa, que é de autoria de Leprevost, ou seja, não terem sido
condenados por colegiado de juízes. O ponto mais incisivo da PEC é o que
reduz o número de vagas a serem de preenchimento por decisão exclusiva da
Assembléia Legislativa e o direcionamento de duas vagas para candidato
do quadro técnico de carreira do Tribunal de Contas

10 Comentários

  1. A A CASAGRANDE Responder

    É O MINIMO QUE O POVO ESPERA .A PESSOA QUE FISCALIZA AS CONTAS PUBLICAS SEJA LIVRE DE PROBLEMAS LEGAIS , OU SEJA, PELO MENOS SEJA HONESTO E MENOS LIGEIRO COMO NOSSOS CONSELHEIROS

  2. É o melhor projeto protocolado na Assembléia Legislativa do Paraná este ano. Parabéns ao Ney Leprevost pela iniciativa.

  3. Parreiras Rodrigues Responder

    Precisa constar a exigência de ficha limpa? Nada mais natural. Qualquer empregador faz isso ao contratar empregado.
    Mas o que deveria ser realmente ordenado era a renúncia e não o simples e cômodo afastamento do deputado-candidato.
    O mesmo deveria ser válido para os que concorrem a outros cargos, como para prefeito, senado, etc.

  4. Só podia ser projeto do Ney Leprevost. Gostei!

    Que seja aprovado antes que outra excrescência no estilo da mais recente (FC) seja eleita para o Tribunal de Faz de Contas. Se é pra carregar nas costas pro resto da vida, que ao menos seja alguém decente, competente e limpo.

    E tomara que a Comissão de Constituição e Justiça, presidida pelo deputado Nelson Justus, não embace. É bem o estilo de projeto que leva carimbo de “inconstitucional politicamente” antes mesmo de ser avaliado tecnicamente.

  5. VLemainski - Cascavel Responder

    Ficha limpa é o mínimo que se pode esperar de alguém de um tribunal de contas… Se existe algum que está exercendo o cargo já deveria ter sido destituído… Se tem condenação, que moral tem para julgar alguém ou algo?…

  6. REFORMA DA SILVA Responder

    ANTES ISTO DO QUE NADA.
    O DEPUTADO PODERIA APRESENTAR PROPOSTA PARA EX-
    TINÇÃO DO TCE, QUE MARAVILHA DE ECONOMIA!!!

  7. É um passo à frente; pelo menos o escrachado e imoral compadrio dos poderes públicos das últimas nomeações serviu para alguma coisa.

    Mas uma constatação é ferozmente tristonha: a sociedade paranaense, que paga toda essa conta e sofre todas as consequências, assiste insossa essa excrescência que tem sido as últimas nomeações para o TC.

  8. Estou com o Parreira Rodrigues, e com sua licença, faço das suas as minhas palavras. Se nós pagamos os salários e as contas públicas (com nossos impostos), as coisas devem começar a funcionar ao gosto do patrão (nós mesmos).

Comente