Uncategorized

Reflexões sobre
Religião e Poder

A junção explosiva entre política, religião e atividades ilícitas para manutenção do poder pode ser detonada a qualquer momento, atingindo biografias agraciadas de “homens de Deus” e respingando em políticos.

O rastilho, aceso recentemente em uma grande cidade do interior do estado, queima célere rumo a explosão. Entre os estilhaços voam sonegação, funcionários fantasmas, corrupção eleitoral, pedidos de intervenção e investigações sobre o conteúdo de recipientes de alimentação.

O estopim aconteceu no seio da igreja na crença do que ensina I Corintios, 5:12: “Pois, como haveria eu de julgar os de fora da igreja? Não devem vocês julgar os que estão dentro?”

4 Comentários

  1. antonio carlos Responder

    Juntar Deus com o diabo é o que tem mais feito ao longo dos anos os que se arvoram em dizerem serem servidores de Deus. Eles servem sim, primeiro aos seus próprios interesses, depois das suas igrejas e bem lá longe dos seus eleitores, normalmente companheiros de fé. O santo nome tomado em vão sempre leva a péssimos resultados.

Comente