Uncategorized

HC fecha 94 leitos por falta de funcionários

De Rodrigo Batista, Bonde:

Curitiba – A direção do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (HC-UFPR) anunciou ontem o fechamento de 94 leitos por falta de funcionários – em especial os da área de enfermagem. Uma parceria com a Prefeitura de Curitiba será feita para tentar diminuir o deficit de 400 funcionários no maior hospital público do Paraná.

Os 94 leitos ficarão fechados pelo menos no mês de outubro. A medida se deve à reorganização das escalas de trabalho, que foram mudadas depois de uma decisão da Justiça do Trabalho. Os funcionários contratados pela UFPR e pela Funpar (Fundação de Apoio a Universidade) estavam com excesso de horas extras, fato que foi questionado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT).

De acordo com o diretor do HC, Flavio Daniel Saavedra Tomasich, a decisão judicial, que passou a valer no dia 25 de setembro, geraria impacto com fechamento de 210 leitos, o que representaria quase metade dos 457 leitos em atividade no hospital. Porém, a UFPR e o HC conseguiram firmam um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para, no prazo de um ano, resolver o problema da falta de funcionários e excesso de horas extras.

“Isso vai nos permitir trabalhar sem precisar mexer no setor de urgência e emergência. Nenhuma área será fechada, apesar de todas sentirem essa diminuição”, explica o médico. Nos próximos meses, com a readequação de escalas de trabalho, o número de leitos fechados pode diminuir, mas os funcionários voltarão a realizar horas extras.

Segundo o reitor da UFPR Zaki Akel Sobrinho, o problema se arrasta desde 2012, quando a UFPR decidiu pela não adesão do HC à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), que gerencia hospitais universitários no País. Uma alternativa é realização de concurso público, mas ainda não está acertada. “Estamos trabalhando em projetos alternativos. Sabemos que o hospital precisa de reforço na mão de obra, pois a falta de funcionários gera sobrecarga”.

A assessoria de imprensa do Ministério da Educação (MEC) informou que a realização de concursos públicos fica a cargo do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) que, por sua vez, disse que ainda não existe nenhuma demanda por parte do HC para concursos públicos. Segundo o MPOG, o Hospital deve solicitar ao MEC o concurso que passará a solicitação ao MPOG.

Alternativa
Uma via encontrada pela UFPR para diminuir o deficit de funcionários é uma parceria com a Prefeitura de Curitiba para instalar dentro do HC uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) – que vai funcionar na área de pronto atendimento do hospital. Com isso, funcionários da prefeitura passarão a atender dentro do HC, o que poderá ajudar na realocação da mão de obra contratada pela UFPR e pela Funpar.

Segundo o vice-reitor da UFPR, Rogério Mulinari, a administração da UPA será feita em conjunto com a prefeitura, mas a contratação de funcionários ficará a cargo da Secretaria Municipal de Saúde. Ainda não se sabe quantos funcionários a parceria vai poder suprir. “Eventualmente funcionários da Funpar (que trabalham fora do HC) poderão vir para dentro do hospital para reabrir os leitos.”

7 Comentários

  1. ESTE É O VERDADEIRO EXEMPLO DE INCOMPETENCIA DESTE (des)GOVERNO DOS corruPTos DO pt “Partido do Trambique”. ESTÃO NA TV COM UMA PROPAGANDA COMPLETAMENTE ENGANOSA, E TEM GENTE QUE ACREDITA E AINDA VOTA NESTES VERMELHOS CORRUPTOS. ÊITA POVINHO IDIOTA!!!

  2. ISSO MOSTRA A FALTA DE RESPONSABILIDADE, INCOMPETÊNCIA ADMINISTRATIVA E IRRESPONSABILIDADE E FALTA DE PLANEJAMENTO ESSE PROBLEMA SE ARRASTA DESDE 2012 ENQUANTO ISSO O POVO SOFRE E MORRE PELA FALTA DE LEITOS DE UTI, TÁ NA HORA DO MINISTÉRIO PUBLICO FEDERAL VER COMO O HC CHEGOU NESSA SITUAÇÃO.

  3. Absurdo tal fato, enquanto nas secretarias tem gente saindo pelo ladrão, em cargos comissionados.

  4. Parreiras Rodrigues Responder

    Não vá querer dona Rousseff buscar funcionários cubanos em regime de escravidão, como os médicos dela lá…
    É esse o cuidado do P erda T otal com a saúde.

  5. O maior desafio é a contratação de pessoal efetivo para fazer frente a demanda do HC, face as exigẽncias e trâmites burocráticos para contratação de funcionário público. E em se tratando da esfera Federal, a coisa complica mais.Já passou da hora dos parlamentares tomarem uma atitude eficaz para evitar o comprometimento de uma área tão importante quanto a saúde pública.
    Pelos excelentes serviços prestados mesmo com pessoal reduzido, o HC merece atenção especial, urgente e eficaz. Atenção desgoverno Federal, a população, ou melhor, os eleitores agradecem!

  6. A ‘ESTÓRIA’ NÃO É BEM ESSA CONTADA PELO NOSSO REITOR……PROMESSAS ESTÃO SENDO COBRADAS…..

  7. Guilherme Nunes Responder

    Já que é autorizado repor aposentados, por que não chamam os classificados nos últimos concursos? Há centenas de auxiliares de enfermagem, enfermeiros e muitas outras profissões à espera de uma oportunidade.

Comente