Uncategorized

Cresce pressão sobre o governo por alta do combustível

De João Villaverde, Agência Estado:

A pressão sobre o governo para um reajuste nos preços da gasolina e do diesel aumentou após o leilão do pré-sal no campo de Libra. As autoridades na equipe econômica que já defendiam alta nos preços antes mesmo da licitação acreditam no reajuste dos combustíveis até o fim do ano, e pressionam para que ocorra nos próximos dias.

O argumento é o de que o reajuste daria uma folga de recursos à Petrobras, forçada a importar combustível mais caro do que vende no Brasil, onde o preço é controlado pelo governo para não aumentar a inflação.

Com o alívio no caixa, a Petrobras teria “condições totais” de pagar integralmente a parte que lhe cabe no bônus de assinatura do contrato entre a União e o consórcio que venceu o bloco de Libra. Dentro de 40 dias, a Petrobras terá de pagar R$ 6 bilhões à vista, por deter 40% do consórcio. O bônus total é de R$ 15 bilhões.

O jornal O Estado de S. Paulo apurou que um reajuste de um dígito, na faixa de 5% a 7% para os preços da gasolina e também para o diesel nas refinarias, já tem o sinal verde da equipe econômica, mas aguarda uma decisão política do Palácio do Planalto quanto ao momento mais adequado.

O governo avalia que o reajuste teria um impacto de até 0,2 ponto porcentual no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Assim, quanto mais esperar, mais claro estará o cenário para o IPCA de 2013 – o governo trabalha para que a inflação seja inferior aos 5,84% de 2012. No acumulado do ano até setembro, a alta foi de 5,86%.

Quando questionado diretamente sobre a proximidade de uma alta no preço da gasolina e do diesel, na segunda-feira, 21, em São Paulo, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que “os reajustes dos combustíveis virão quando forem considerados necessários”. “Neste momento, não há nada definido”, disse o ministro, que também é o presidente do conselho de administração da Petrobras.

Setores do governo mais preocupados em fechar o ano com “o índice de inflação mais baixo possível” defendem o reajuste apenas em janeiro de 2014. Esse cenário poderia também se refletir na negociação envolvendo o pagamento dos R$ 6 bilhões que a Petrobrás deve fazer ao Tesouro entre o fim de novembro e o início de dezembro, quando o contrato de Libra for assinado.

Nesse segundo cenário, a Petrobras pagaria apenas uma parte dos R$ 6 bilhões e negociaria com os demais sócios do consórcio (Shell, Total, CNOOC e CNPC) um rateio da diferença. Em troca, a companhia brasileira ofereceria barris de petróleo, e o pagamento poderia começar já no início do ano que vem.

Sem folga de recursos, um pagamento à vista de R$ 6 bilhões causaria danos a um caixa que já sofre apertos, diante da obrigação de manter uma carga pesada de investimentos, e, ao mesmo tempo, sem poder remunerar seus produtos adequadamente. Por causa disso, as agências de rating já sinalizaram ao mercado que a nota de crédito da Petrobrás pode ser reduzida nos próximos meses.

“A Petrobras tem condições de pagar os R$ 6 bilhões, tem dinheiro para isso. Mas fazer esse pagamento de uma vez pode criar um problema desnecessário para a companhia, então não podemos descartar, de antemão, um acordo com os sócios”, disse uma fonte qualificada do governo, que lembrou o fato de que, na indústria petroleira, acordos como esse, de oferecer produção (barris) em troca de dinheiro, são usuais.

Mesmo afirmando que a estatal tem “dezenas de bilhões” em caixa e o pagamento do bônus não seria problema, Mantega não descartou a tomada de empréstimos com essa finalidade. A mesma hipótese foi aventada ontem pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

7 Comentários

  1. MEU DEUS , JA VAI SUBIR A GOZOLINA, BRASILEIROS, NEM VENDERAM DIREITO, E JA VAO DAR MAIS UMA NOS BRASILEIROS, SERA QUE NÓS GOSTAMOS DISSO, EU NAO…..

  2. Mais uma vez, não seria melhor o governo agora com o sucesso do leilão de libra abaixar as mãos e deixar o Brasileiro que a maioria não teve mais do 8% de reajuste ja que a nação ja foi mordida pela inflação!!!
    O Dilma e PTZADA agora que estão com o dinheiro segurem né é o minimo.

  3. antonio carlos Responder

    Realmente é tudo do que precisamos agora, assim o povo já pensa duas vezes antes de descer para a praia, evita congestionamentos. E o pessoal do ferry boat de Guaratuba não vai se incomodar com a choradeira da tigrada por causa das filas. E ir para Camboriú fica só para os que podem pagar pelos R$3,00 que a gasosa vai custar.

  4. É engraçado por que já teve uma alta esta semana, aos poucos o povo vai pagando o pato atolado no óleo.

  5. NA CORDA BAMBA Responder

    O belo e falso discurso da Dilma na televisão vem de encontro
    com a “bordoada” que o povão já levou ontem pelo aumento no
    preço dos combustíveis. O efeito cascata desta alta já vai para outros
    setores como o dos alimentos. Este Brasil e o PT andam na contra-
    mão mesmo…

  6. E agora eu pergunto, cade os manifestantes, aqueles que só pedem passe livre???? é nessa hora que o Brasil precisa deles, e não apenas para lutar para ter ônibus de graça!!!!!

Comente