Uncategorized

Grevistas bloqueiam entrada de hotéis e acordam hóspedes

Manifestação começou em frente ao Bourbon (Foto: AN – Banda B)

Da Banda B:

Desde o início da manhã desta sexta-feira (29) funcionários em hotéis e restaurante, com o apoio do Sindehotéis, bloqueiam a entrada de algum dos principais estabelecimentos no Centro de Curitiba e realizam buzinaços. A greve da categoria foi deflagrada hoje. Hóspedes mais revoltados chegaram a jogar uma garrafa de água contra os manifestantes.

Primeiramente, por volta das 5h30, os cerca de 50 trabalhadores foram até a frente do Hotel Bourbon, na Rua Cândido Lopes, onde ficaram por mais de 20 minutos. Em seguida, às 6h10, o grupo chegou ao Slavieiro Slim, na Boca Maldita. Durante todo o percurso, a barulheira irritou os hóspedes e, no Boubon, uma garrafa de água chegou a ser arremessada de um dos quartos.

Manifestantes se dividem em hotéis do Centro e promovem barulho com buzinas em piquetes (Foto: Aniele Nascimento / Agência de Notícias Gazeta do Povo)

Além do buzinaço, o piquete impedia que funcionários que não aderiram a greve entrassem para trabalhar. No Slavieiro Slim um funcionário chegou a tentar passar pela barreira, mas desistiu após perceber que não conseguiria. Segundo os organizadores do movimento, a categoria só irá parar com as manifestações quando for ouvida pela classe patronal.

Pedidos da categoria

Nas negociações formalizadas junto ao Ministério do Trabalho, os patrões ofereceram o piso de R$ 880, com a inclusão de duas cláusulas, uma com jornada de 12×36 e outra que propõe o banco de horas.

De acordo com o sindicato, os trabalhadores acharam ridícula a proposta e pedem: anuênio de 2%, cesta básica de R$ 200 ao mês, seguro de vida de R$ 45 mil, vale transporte gratuito, vale refeição de R$ 20 por dia trabalhado e adicional de assiduidade de 20%, além de aumento pelo INPC mais 4%, o que equivale a um piso de R$ 930.

1 Comentário

  1. Sugiro que os representantes sindicais conversem com o PT e agregados para conseguir sucesso nas negociações. Vejam, se o presidiário José Dirceu conseguiu um emprego num Hotel 4 estrelas com salário de R$ 20.000,00 mensais, nada mais justo que o grupo PeTralha (por uma questão de jurisprudência) apoie com sucesso a causa!

Comente