Uncategorized

Juiz dificilmente vai autorizar Dirceu no hotel

Da Folha de S.Paulo:

No cenário atual, parece difícil que a Vara de Execuções Penais do Distrito Federal permita que o ex-ministro José Dirceu assuma o cargo de gerente do hotel Saint Peter, em Brasília, como quer seu advogado.

No STF (Supremo Tribunal Federal), segundo a Folha apurou, é dado como muito provável que o juiz Bruno Ribeiro não concederá o benefício nem a Dirceu nem ao ex-tesoureiro petista Delúbio Soares, que pediu para trabalhar na CUT (Central Única dos Trabalhadores).

Dirceu e Delúbio estão presos na ala destinada a presos com direito a benefícios do regime semiaberto do Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, cumprindo pena pela condenação no julgamento do mensalão. Condenado a 10 anos e 10 meses de prisão, Dirceu cumpre inicialmente uma pena de 7 anos e 11 meses pelo crime de corrupção.

Delúbio cumpre pena de seis anos e oito meses por corrupção ativa e, também, foi condenado ainda por formação de quadrilha, mas o Supremo analisará recurso relativo a este crime em 2014.

A situação não era favorável a Dirceu mesmo antes da revelação, no “Jornal Nacional” de ontem, de que um laranja panamenho era o controlador da empresa que fazia a gestão do Saint Peter quando a oferta de emprego ao ex-ministro foi concretizada. O benefício de trabalhar durante o dia fora da cadeia só é concedido quando o objetivo de ressocialização do detento é considerado factível pela Justiça.

Colocar um condenado por corrupção dentro de um hotel com mais de 400 quartos e várias possibilidades de manter contatos políticos e empresariais é, na opinião de uma pessoa próxima do caso, “parecido com deixar um alcoólatra em recuperação trabalhando em um bar”.

Além disso, o dono brasileiro do hotel, Paulo Abreu, vem tendo seus negócios escrutinados. A Folha, por exemplo, revelou que ele conseguiu benefícios do governo para uma de suas emissoras de TV na mesma semana em que ofereceu o emprego de R$ 20 mil mensais a Dirceu.

Abreu, que é irmão do “dono” de um partido nanico da base de Dilma Rousseff, o PTN, afirma que conhecia superficialmente Dirceu e que quis empregá-lo por sua qualificação.
No caso de Delúbio, que pediu para trabalhar por R$ 4.500 mensais no setor de formação da CUT, o argumento contrário é o de que o ambiente de trabalho pode não cumprir a meta da ressocialização.

Também condenado por corrupção quando era tesoureiro do PT, ele ocupou o mesmo cargo na própria CUT antes de assumir a função no partido, em 2000. O juiz Ribeiro, que não comenta o caso, não tem prazo para analisar o pedido dos dois e de Jacinto Lamas, ex-tesoureiro do PL (atual PR). A Procuradoria Geral da República já deu parecer contrário ao pedido de emprego de Lamas, que enviou nova solicitação por meio de sua defesa ao STF.

7 Comentários

  1. antonio carlos Responder

    E agora seu Zé nem bem arrumou um empregão e já lhe querem desempregado novamente? E contratar um cara que foi acusado de ser ladrão para cuidar da tesouraria? Só na Central mesmo.

  2. Ainda tem alguns por ai que não se tocaram que os tempos são outros. Aquela fase onde uns poucos metidos à espertos (sim, metidos pois de espertos não tinham nada pois a casa caiu) enganavam muitos incautos parece-nos que se foi. Com a facilidade de circulação das informações e, isso, globalmente “just on time” já era. Parece-nos, ainda, que de agora em diante tudo será buscado no sentido de se diminuir, substancialmente, esses elevados índices de corrupção que o país detém. E não basta só em um grupo mas em todo e qualquer setor da vida nacional onde a sacanagem tenta imperar. PRENDAM, JULGUEM DENTRO DA LEI E, SE POSSÍVEL, CONDENEM TODOS!

  3. CAros eleitores, pelo andar da carruagem, percebe-se de que daqui em diante a justiça começará a ser feita de acordo com os moldes brasileiros. Penitenciária para bandidos. Regime semi fechado, apenas para tomar sol. Já é demais. Atenciosamente

  4. Moisés Fróes Responder

    O Zé Preso Dirceu NÃO ESTÁ PRESO NO REGIME ABERTO e sim do SEMIABERTO.

    Aberto: trabalha de dia e dorme na cadeia à noite:

    Semiaberto: poder sair raramente para afazeres diversos,não para trabalhar, e com autorização do Juiz responsável.

  5. É simplesmente desastroso o que a legislação brasileira permite
    em relação às execuções penais. Um bandido que é condenado e
    ainda permanece recebendo como parlamentar, o outro passa em
    passa tranquilamente “tratando da saúde” em casa e o Dirceu sair
    da prisão para trabalhar com um “baita salário” em um hotel !!??
    FUI !!!!!!!!!

Comente