Uncategorized

Ministro do STF defende a liberação da maconha

O ministro do STF, Luís Roberto Barroso afirmou ontem, em julgamento, que a maconha é uma droga que não transforma os usuários em “pessoas antissociais” e defendeu o debate sobre sua descriminalização. “Eu não vou entrar na discussão sobre malefícios maiores ou menores que a maconha efetivamente causa, mas é fora de dúvida que essa é uma droga que não torna as pessoas antissociais”, disse Barroso.

Em julgamento estavam dois habeas corpus que contestavam a definição de penas para duas pessoas presas portando entorpecentes. Em um dos casos, um homem de 28 anos foi preso com 70 pedras de crack. No outro, o homem detido portava 0,6 grama da mesma droga.

Barroso afirmou que, ao analisar os processos que chegam ao Supremo sobre tráfico de drogas, constatou que “boa parte das pessoas” presas são pobres que foram enquadradas como traficantes “por portar quantidades não significantes de maconha”.

“E minha constatação pior é que jovens, negros e pobres entram nos presídios por possuírem quantidades não tão significativas de maconha e saem de presídios escolados no crime”, afirmou o ministro. “Por esta razão que, em relação à maconha e nesse tópico, penso que o debate público sobre descriminalização é menos discutir opção filosófica e mais se fazer escolha pragmática”, argumentou.

Barroso disse que sua preocupação central relaciona-se o poder que a criminalização da droga garante aos traficantes em comunidades pobres e à prisão de jovens sem antecedentes criminais que, depois de cumprida a pena, terminam por praticar outros crimes. “Tenho essa compreensão de que boa parte dos presos do país incriminados com quantidades de maconha são pessoas não perigosas.”

6 Comentários

  1. Sr. Ministro, o Sr. USA?? seus filhos USAM??? Entao vá se catar. Hoje Maconha, amanhã… Crak, Cocaina, LSD, Haxixe etc . e teremos um País de ZUMBIS e Sem LEI. ACORDA MINISTRO

  2. Ministro, quando resolver falar asneiras, que não seja na cadeira do Supremo. O senhor denigre a imagem da justiça como um todo.

    A maconha não torna as pessoas anti sociais; as torna burras e acaba o cérebro delas, sendo também porta de entrada para drogas mais perigosas – do médico gaúcho Dr Saulo Ramos, talvez o maior especialista sobre drogas do Brasil. O senhor deveria se informar com ele, salvo esteja defendendo interesses que desconhecemos!

  3. O que será que o ministro entende por “antisocial”?

    Ele que experimente um baseado antes de examinar seus processos ou antes de ir para uma audiência do Supremo …

  4. Totalmente de acordo com o ilustre Ministro…até que enfim esse debate tem que surgir nessa sociedade hipócrita, que criminaliza a maconha e libera o alcool…O mesmo Juiz-Promotor que condena o pequeno por usar/possuir pequena quantidade de maconha, em casa/clube de entope de alcool. O alcool mata sem piedade no trânsito, no bar, no clube e em qualquer lugar.
    Parabéns pela coragem Sr. Ministro Luiz Roberto Barroso
    Hipócritas que se entopem de alcool e condenam a maconha, precisam ler mais, muito mais

Comente