Uncategorized

Os burocratas ricos

De José Pio Martins

No capitalismo, quem fica rico são os capitalistas. Mas, para isso, eles precisam empreender, produzir e servir ao público, oferecendo bens e serviços que o consumidor queira comprar. No socialismo, quem fica rico são os políticos e os burocratas. Mas a riqueza deles só é possível por duas vias: ou votando gordos benefícios para si mesmos ou praticando a corrupção.

Quando o império soviético desmoronou e, um a um, seus ditadores foram depostos, descobriu-se algo já suspeitado: não havia um único ditador pobre; todos eram muitos ricos e, claro, sua riqueza estava investida no exterior. Mas não é preciso ir longe, nem é necessário estar em um país socialista para comprovar que muitos altos burocratas do governo, antes de servirem ao público, servem-se do público.

No Brasil, as histórias de políticos que enriqueceram na função e de funcionários cheios de privilégios habitam as páginas dos jornais o tempo todo. São os “marajás” das Assembleias Legislativas com proventos astronômicos; burocratas ganhando R$ 20 mil, R$ 30 mil ou R$ 50 mil; aposentados ganhando até R$ 60 mil por mês e acumulando mais de uma aposentadoria; funcionários fantasmas, que ganham sem trabalhar etc.

Faz pouco tempo foi divulgado que um assessor da biblioteca da Assembleia em um estado pobre tinha salário igual ao teto permitido – perto de R$ 27 mil por mês –, quando um trabalhador equivalente no setor privado não passava de R$ 5 mil. A resposta é sempre a mesma: tudo está na lei. Mas a questão não é essa! Há leis claramente imorais, a exemplo daquelas com que os políticos e os burocratas aprovam benefícios em favor de si mesmos.
Mário Covas, político que ocupou vários cargos relevantes, dizia: “O Brasil é o país dos privilégios, não dos direitos”. Conhecido o histórico de corrupção e de privilégios no governo, toda lei sobre salários, vantagens e aposentadorias de políticos e servidores públicos deveria ser submetida a um quarto poder: a sociedade, por meio de representantes sem mandato, sem salário e sem carreira, uma espécie de Conselho Nacional que se reuniria somente para aprovar aquela lei.
O Ipea, que é um instituto do governo federal, publicou estudo provando que o Estado brasileiro é concentrador de renda. Segundo o estudo, a remuneração dos servidores públicos é 23% acima da média do setor privado (para as mesmas funções) e a aposentadoria no governo é bem maior que a do INSS. Mesmo com os programas sociais, a exemplo do Bolsa Família, o estudo diz que o governo é responsável por 1/3 da concentração de renda no país.
O Brasil não é um país socialista no sentido clássico (no qual não há propriedade privada dos meios de produção nem liberdade para empreender), mas também está longe de ser um país capitalista clássico. Embora por aqui o direito de propriedade privada e a liberdade de empreender existam, o tamanho do Estado, os controles estatais e as intervenções do governo na vida privada são tão grandes que é ilógico falar em “capitalismo neoliberal”.
O grande desafio da sociedade brasileira é limitar os poderes do governo, impedir a máquina pública de virar um gigante insustentável e conter os privilégios que criam políticos e burocratas ricos. O país precisa de mais capitalistas e mais empreendedores que sirvam ao público… e que eles fiquem ricos disputando e concorrendo no mercado pela preferência do consumidor.

José Pio Martins, economista, é reitor da Universidade Positivo.

9 Comentários

  1. SERGIO SILVESTRE Responder

    Sim sr,matou a pau,mas no Brasil aconteceu o inverso que os paises da cortina de ferro e os africanos.
    Descobriu aqui que com o evento da nova republica,os exilados voltaram para saquear o Pais.
    Me aponte um dos generais que governaram o Pais,conseguiram alguma riqueza a não ser algo de só suas aposentadorias.
    Me lembro do Mario Andreazza,o maior construtor de estradas do Pais,em os que ai estão,diziam ser um ladrão,morreu com os amigos fazendo vaca para pagar hospital.
    Não me lembro do Ernane Galveias assumindo banco falido e virando banqueiro do dia para a noite.
    Nem me lembro de filha de governador de estado importante ficar milionaria sem ter uma granja ou uma boutique.
    Nós tivemos ditadores serios com um pecado,de não ter feito uma faxina completa.
    A ditadura brasileira era tão branda,que era a musa do CHICO e do CAETANO,acabou a ditadura acabou a inspiração.
    Até o Roberto Carlos cantava mais e suas composições eram de mais qualidade.
    Nossa malha rodoviaria o embrião das telecomunicações que foi a EMBRATEL e a folga energetica com a usina de ITAIPU,fizeram com que governos da nova republica dormissem por quase dez anos,e até o governo FHC só foi concluida a usina de PRIMAVERA,iniciada pelos militares,quase paralisada por 7 anos e terminada no governo Sergio Mota,porque o FHC sempre foi uma rainha da Inglaterra.
    Nos governos militares a carga tributaria ficava por volta de até menos de 20% hoje é o dobro e se fazia bem mais obras do que hoje que estão quase todas nas mãos da iniciativa privada eem que nós pagamos de novo em forma de pedágios.
    Me apontem o que foi feito em 17 anos depois da nova republica até o fim (arre!!!!) do governo FHC?
    Nenhuma grande auto estrada e nem a conservação das já existentes,o governo patinou por dose anos pagando bancos falidos de correligionarios e amigos da AV PAULISTA.
    Então meu irmão,é facil enganar uma grande manada de doceis criaturas que só pensam na sua ração diaria e no seu direito de respirar até a morte chegar,não num matadouro,mas num corredor de hospital do SUS.
    Assim caminha a humanidade,ou nós brasileiros enganados a vida inteira por estes politicos e justiça.
    Somos a massa e o recheio dos seus bolos,pois quando precisam dos ingridientes de dois em dois anos nos usam.
    DE NOVO,FELIZ ANO NOVO

  2. justino bonifacio martins Responder

    Como um bom defensor do sistema capitalista causador, produtor da fom, só poderia dizer tamanha bobagem sobre o socialismo!

  3. antonio aldemir Responder

    É verdade. Os capitalistas ficam mais ricos as custas do trabalho escravagista das pessoas.
    Os políticos, sem exceção, ficam ricos no exercício do poder.
    Mas não vamos nos limitar aos políticos do executivo. E os do legislativo, cujas cadeiras passam de pai prá filho? Temos muitos políticos ricos neste País. Os pobres não tem vez a não ser no executivo. Independe de partidos. O PT está a apenas 12 anos, num país com 500 anos cujo capitalismo governou até o ano de 2.000. E o que temos como País? Pobreza, miséria, analfabetismo, doenças. E não foi o PT que criou essa situação.

  4. Sr: Pio não esqueça que no governo militar…. que muitos chamam de ditadura…… Os 05 generais sairam apenas com seus salários… exceto O Gal. Gaisel que já era rico de familia.. o Figueiredo coitado…. até pro enterro … foi preciso de ajuda.

  5. antonio carlos Responder

    Os políticos socialistas que ficaram ricos é porque o sistema era podre, não punia a roubalheira. Aí era fácil roubar e enviar a grana para o Exterior. Aqui em Pindorama temos leis para tudo, até para punir a roubalheira, o enriquecimento ilícito e porque ainda acontece isto, o cara entra pobre no Serviço Público e saí rico? Porque quem deve punir, cobrar, não faz o que é pago para fazer. Vem aí uma leva novinha de ministros, todos com uma vontade enorme de mostrar serviço. Então é bom que o poder judiciário fique atento, de olhos e ouvidos bem abertos, ao primeiro soar das moedas comecem as investigações, assim não vamos ficar chorando da roubalheira perpetrada pelos maus funcionários públicos quando estes deixam os governos.

  6. PROFESSORA ELIANA Responder

    Sr Pio: sabe quanto que é o salário de um engenheiro na secretaria estadual de infra-estrutura? ou de um economista no sistema estadual de planejamento do Estado? (Isso sem falar dos professores, servidores públicos…). O Senhor conhece como é o sistema de ascensão profissional no antiquíssimo estatuto dos servidores públicos do Paraná que é de 1970? Então se não conhece essas situações, não generalize o conjunto dos servidores, mal remunerados e tratados, pelas excepcionalidades de poucos privilegiados e sangue-sugas!

  7. Moisés Fróes Responder

    Meu povo brasileiro é só ver as riquezas do: Lulallau, Zé Preso Dirceu, Dilma, Tarso Genro, Cardoso o Garboso, não há um corruPtista do PT pobre.
    Os corruPtyistas do PT não gostam dos capitalista (não gostavam mas gostam daquelles que lhes dão propina), mas ADORAM o CAPITAL (DINHEIRO EM SUAS MÃOS, ALIÁS BOLSOS, ALIÁS, CONTAS NO EXTERIOR.
    Visitem a mansão do Lulalllau em São Bernardo do Campo.

Comente