Uncategorized

Vendas industriais tiveram queda de 2% em novembro

Da Fiep:

As vendas industriais tiveram uma queda sazonal em novembro de -2% na comparação com outubro. Onze, dos dezoito itens pesquisados pelo Departamento Econômico da Fiep tiveram uma performance negativa em comparação ao mês anterior, incluindo dois dos três gêneros de maior participação na indústria paranaense – “Alimentos e Bebidas” (-6,45%) e “Refino de Petróleo e Produção de Álcool” (-5,26%).

No acumulado do ano (jan./nov.), onze dos dezoito gêneros tiveram aumento nas vendas industriais, em comparação a 2012. Os setores que tiveram as maiores altas foram “Vestuário” (32%), “Couros e Calçados” (22,8%) e “Metalurgia Básica” (15,4%).
“As boas notícias vêm, sobretudo, do resultado do PIB paranaense, que evoluiu 5% nos primeiros nove meses de 2013 e que deve continuar crescendo nesta velocidade em 2014, com perspectivas de safra recorde no Paraná”, analisa o economista do Departamento Econômico da Fiep, Roberto Zurcher. Entre os gêneros que apresentaram os maiores crescimentos em vendas em novembro estão “Máquinas e Equipamentos” (16,8%), por conta de aumento sazonal da produção de linha branca e também pelo incremento de demanda por maquinaria agrícola – o que reforça a expectativa de boa colheita em 2014.

As compras de insumos apresentaram queda em novembro (-9,6%) – característica comum no final do ano. O setor que mais aumentou suas aquisições no décimo primeiro mês do ano foi “Minerais não Metálicos” (16,6%), “por conta, sobretudo, do reinício de operação de uma grande empresa do setor”, de acordo com Zurcher. No acumulado dos 11 meses, houve aumento de 0,1%, acompanhando o desempenho de vendas.

Emprego – De janeiro a novembro, houve um incremento de 0,6% no pessoal empregado total e redução de -0,4% no pessoal empregado na produção, em comparação ao mesmo período de 2012.

Em novembro, a utilização da capacidade instalada manteve-se estável e atingiu a mais alta marca em quatro meses (80%). “Este índice registrado em novembro é um ponto percentual superior ao que foi registrado no mesmo mês em 2012, o que pode significar que a indústria esteve programada para operar com um pouco mais de produtividade em 2013”, avalia Zurcher.

A pesquisa finalmente revelou que fatores como o baixo crescimento da economia brasileira (2,4%, de jan. a set.) e a dificuldade de concorrência nos mercados internacionais (devido ao “custo Brasil” e ao câmbio) dificultam um aumento mais acelerado das vendas industriais paranaenses. “A expansão de apenas 0,6% (jan./nov.) nas contratações, queda no número de pessoas empregadas na produção (-0,4%) e nas horas trabalhadas (-2%), comprovam também que a oferta de produtos industrializados poderia ter um nível mais elevado”, finaliza Zurcher.

Comente