Uncategorized

Sindicato diz que ônibus em Curitiba pode chegar
a R$ 4 em 2014

Da Banda B:

Está marcada para o mês de fevereiro uma database em que motoristas e cobradores irão decidir o quanto vão pedir de reajuste salarial às empresas do transporte coletivo de Curitiba e região. Embora o Sindimoc (Sindicato de Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região Metropolitana) garanta que ainda não há nenhuma valor definido, a classe patronal emitiu, na última sexta-feira (10), uma nota dizendo que a passagem pode chegar a R$ 4, dependendo do que for reivindicado pelos trabalhadores.

A nota do Setransp (Sindicato das Empresas de Transporte Urbano e Metropolitano de Passageiros de Curitiba e Região Metropolitana) diz que: “Caso sejam atendidas as reinvindicações dos trabalhadores filiados ao Sindicmoc e ao Sindeemast Sindicato dos Empregados em Escritórios e Manutenção nas Empresas de Transporte de Passageiros de Curitiba e Região Metropolitana teremos um brutal acréscimo nos preços das passagens do transporte coletivo de Curitiba e região metropolitana”.

Ainda de acordo com a nota, os sindicatos devem pedir: “auxilio refeição, café da manhã, licença remunerada de três meses a cada cinco anos de trabalho, fornecimento de material escolar para os filhos de motoristas e cobradores e adicional de periculosidade de motoristas. E mais, reajuste de 100% do cartão alimentação, reajuste do seguro de vida em 30%, reajuste de 100% nas horas extras. Esse absurdo se somado poderá elevar o preço da passagem para até R$ 4,00”, finaliza a nota.

Em entrevista neste domingo ao programa Bom Dia Trabalhador, da Rádio Banda B, o vice-presidente do Sindimoc, Dino César, afirmou não ser possível definir o que vai ser pedido pela categoria, mas prometeu endurecer para as empresas. “A CPI da URBS mostra que existe um supefaturamento da passagem e que não é culpa do trabalho. Isso é uma desculpa. Vamos ter uma database para pedir o que achamos de direito”, afirmou.

A URBS, empresa que administra o transporte coletivo de Curitiba, ainda não se pronunciou sobre a nota.

4 Comentários

  1. Só uma perguntinha: Onde é que está aquela porcaria de CPI do Transporte criada para dar função a um bando de vereadores nada atuantes inclusive seu Jorge Bernardi que chegaram a cogitar a baixa da passagem para R$ 1,25, diante de tanta roubalheira dos empresários do transporte.

  2. ORLANDO PESSUTI Responder

    O RELATOR DA CPI, VEREADOR BRUNO PESSUTI, AFIRMA QUE A TARIFA PODE SER DE R$ 2,22.

  3. Valdecir Ferreira Nunes Responder

    As reivindicações que se apresentam não são reais, o que foi pedido é simples e sem muito custo! Os cem por cento do vale alimentação, e no máximo 12% no salario, qualquer outra é pura “linguiça”, que não vai acontecer!

    Os empresários estão se aproveitando dos empregados como escudo, e para adquirirem mais lucro do que já têm!

    ISTO É UMA VERGONHA!

Comente