Uncategorized

Obras do Contorno de Campo Largo estão 80% concluídas

A obra do Contorno de Campo Largo (BR 277), na região metropolitana de Curitiba, está com 80% dos serviços concluídos. Além da duplicação dos 11 quilômetros, estão sendo construídos um viaduto (já entregue), duas trincheiras, uma ponte e ampliados outros dois viadutos. A obra é uma parceria do Governo do Paraná com a concessionária RodoNorte, que está investindo R$ 70 milhões.

O contorno é aguardado há muitos anos pelos moradores da região e estava programado para começar apenas em 2017, segundo o contrato de concessão. “Graças ao diálogo com a concessionária, conseguimos antecipar esta grande obra. É a principal ligação entre Curitiba e o interior. Vai aumentar a segurança, dar conforto aos usuários e agilizar o escoamento da safra paranaenses pelo o Porto de Paranaguá”, avalia o governador Beto Richa (PSDB).

14 Comentários

  1. MARCELÃO BOMBADO Responder

    E A PONTE FAZENDO A TRAVESSIA DE MATINHOS PARA GUARATUBA QUANDO SERÁ CONSTRUIDA?

  2. Luiz Fernando Pereira Responder

    Esta obra teve atrasos tanto na data de início quanto principalmente na data de entrega. O que justifica isso? Seria falta de recursos financeiros da “combalida” concessionária de pedágio?
    O pior, contudo, é ver o governador “adotando” tal obra para fomentar sua almejada reeleição.

  3. Entretanto a duplicação entre Maringá e Paiçandu está praticamente parada. Segundo se diz, o governo está devendo cerca de 9 milhões e a construtora está tocando a obra a passo de tartaruga…

  4. angela v caldeira passos Responder

    Bela obra, feita com nosso dinheiro quando pagamos o caro pedágio.
    Não contaram ao governador que ele não tem nada a ver com essa obra, pois carro de autoridade não paga pedágio.

  5. adeilton cirino Responder

    E dai ele nao faz mais que sua obrigaçao promete cumpra ja que nao fez nada mesmo em 4 anos de governo

  6. Já deveria ter sido entregue. Mas, em se tratando de obra pública – onde 1 trabalha e 9 ficam “fiscalizando” ….

  7. Em ano eleitoral tudo é belo. Fazer asfalto com o nosso dinheiro para depois as concessionárias cobrar mais caro o pedágio, isto é pagar duas vezes.

  8. Enquanto discutíamos se o pedágio baixava ou acabava não tivemos nenhuma obra. O pedágio é coisa irreversível no Brasil, e no mundo, temos que tentar negociar para termos boas rodovias e preços razoáveis e não ficarmos apenas em bravatas eleitoreiras.

  9. Não minta Beto… não ocorreu antecipação, mas sim a troca da duplicação Pirai do Sul – Jaguariaiva.

    Ah, esse meu comentário vai ser aprovado?

  10. -Nada como antecipar obras e inaugurá-las antes das eleições, para dar um “up” na campanha e quem sabe ganhar a reeleição e com isto, passar mais alguns anos “dialogando” com as concessionárias de rodovias, para quem sabe, na base do diálogo, duplicar em 2017, a rodovia Ponta Grossa – Londrina ou construir a almejada ponte entre Matinhos para Guaratuba??? E por aí caminha os governos estaduais à passos “enormes” rumo ao progresso!!!!

  11. Olha Angela, o pedágio já existia nos governos anteriores, mas não foi feita esta obra e mais vai ser duplicada Ponta Grossa a Apucarana, isto tudo pela negociação que o Governo tem feito com as concessionarias, se legalmente o Governo não consegue baixar o pedágio pelo menos este governo exige e negocia obras de melhorias, que bom se os governos passados tivessem tido esta iniciativa. PARABENS GOVERNADOR BETO RICHA E ASSIM QUE O POVO GOSTA

  12. 70 milhões é muito dinheiro para duplicação de 11 quilômetros, um viaduto e duas trincheiras.
    As empreiteiras estão cobrando bem, e pagam salários de miséria.

  13. ALGUÉM ACREDITA QUE UMA CONCESSIONÁRIA DE PEDÁGIO FARIA GRATUITAMENTE ALGUMA OBRA QUE NÃO ESTÁ PREVISTA NO CONTRATO? É A MESMA COISA QUE ACREDITAR EM PAPAI NOEL.
    ESTA OBRA AINDA VAI CUSTAR CARO NOVAMENTE AO CONTRIBUINTE POIS, A TÍTULO DE REEQUILÍBRIO ECONÔMICO DO CONTRATO SÓ HAVERÁ DUAS ALTERNATIVAS OU ESTE COMBATIDO CONTRATO E MODELO SERÁ PRORROGADO OU A TARIFA SERÁ AUMENTADA.
    PELO PERFIL DO ATUAL GOVERNO, ACREDITO NA PRORROGAÇÃO DE CONTRATO MEIO QUE NA SURDINA E PRÓXIMO AO TÉRMINO DO MANDATO E QUEM PAGARÁ NOVAMENTE A CONTA DESTA SACANAGEM SERÁ O USUÁRIO, COMO SEMPRE. E O GOVERNADOR POUSA COMO DONO DA OBRA . É MUITA CARA DE PAU.

Comente