Uncategorized

Dilma em Lisboa

 Dilma Rousseff e comitiva à saída do restaurante Eleven (Nuno Fox)

De Luísa Meireles, Expresso:

A Presidente brasileira Dilma Rousseff está numa curta passagem por Lisboa, em escala depois da participação na Cimeira de Davos, em Zurique, para a visita oficial a Cuba, onde deverá estar presente já na segunda-feira.

Dilma Rousseff faz-se acompanhar de uma pequena comitiva composta pelos ministros das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, e do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, além do assessor especial da Presidência, Marco Aurélio Garcia.

Contactada pelo Expresso, a Presidência da República Portuguesa diz ter sido informada da visita, mas não estão previstos quaisquer encontros, uma vez que se trata de uma visita privada: “O Estado foi naturalmente informado, mas não está previsto qualquer encontro com o Presidente Cavaco Silva”, disse fonte de Belém.

Leia mais em Dilma Rousseff está em Lisboa

Leia também Dilma Rousseff em Lisboa para escala técnica

8 Comentários

  1. sergio silvestre Responder

    Não cezar,tudo do bolso dela,ela é presidente do Brasil e tem que ir a seus compromissos diplomaticos com o dinheiro dela e você mora em BLANGADESH né cara.

  2. Nao sei que sabor tem,usar se tanta mordomia,como a Dilma e o Lula usaram parece que ódio do dinheiro publico,vai de retro satanás!!!

  3. salete cesconento de arruda Responder

    Dilma nunca será páreo para o VIAJANDÃO HENRIQUE CARDOSO – apelido dado pelos coleguinhas que denunciaram a LISTA DE FURNAS que comprou o SEGUNDO MANDATO tucano.

  4. Pequena comitiva ? Tal comitiva, que ocupou 30(trinta) apartamentos do caríssimo hotel, em Lisboa, é “pequena”?
    Haja dinheiro do sufocado contribuinte para pagar tal esbórnia!!!

  5. O Jurista e Cientista político Rui T. Neves esclarece os verdadeiros motivos da inesperada “visitinha” das autoridades Brasileiras a Lisboa passada sexta feira(24) veja: Cauê, o menino brasileiro roubado e institucionalizado em Faro pela segurança social escapou às garras da mafia das adopções, quando o seu destino já estava praticamente decidido. Isso deveu-se a uma intervenção eficaz das autoridades brasileiras (cônsul, embaixador, ministro das Relações Exteriores e Presidente) junto das autoridades portuguesas. Foi isso que justificou a aterragem imprevista de Dilma Roussef em Lisboa, vinda de Davos a caminho de Cuba. Foi tornado claro perante os decadentes autoridades portuguesas que o Brasil não toleraria um roubo “legal” de uma criança brasileira para alimentar sórdidas mafias da adopção, dado que no Brasil as crianças são mesmo das famílias e não de estado. Há lições a tirar no caso Liliana Melo. Cabo Verde deve igualmente TOMAR UMA POSIÇÂO DURA quanto ao roubo de crianças cabo-verdianas em Portugal. Devem ser feitas diligências junto da embaixada. A mafia dos raptos estatais de crianças não tem vergonha na cara nem competência jurídica para entender argumentos racionais e só entende a lei da força.

Comente