Uncategorized

Marina aceita ser vice de Eduardo Campos

Ex-senadora avalia que Campos tem sido leal e, aos poucos, vem fazendo inflexões a fim de adequar seu discurso ao figurino da Rede.

Do Brasil Econômico, iG:

A ex-senadora Marina Silva aceitou ser candidata a vice-presidente da República na chapa que será encabeçada pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

Marina reconhece o esforço de Campos para cumprir os compromissos que asssumiu com ela. Os dois principais são: apresentar um programa de governo que leve em conta o ideário da Rede e lançar candidatos próprios a governador em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas.

Nas palavras de quem acompanhou a negociação entre Marina e Campos, o governador de Pernambuco está fazendo “uma correção de rota” no PSB desde o último dia 5 de outubro, quando a ex-senadora aceitou entrar no seu partido.

Campos, por exemplo, reviu compromissos políticos para alianças em alguns Estados a fim de atender propostas de Marina. Também recalibrou sua relação com defensores mais tradicionais do agronegócio.

Nas palavras de Marina, Campos tem sido leal e, aos poucos, vem fazendo inflexões no PSB a fim de adequar seu discurso e seu programa ao figurino da Rede. Ela entende que isso leva tempo e que Campos tem caminhado para contemplar suas ideias.

A ex-senadora considera que, atendidos esses critérios, ela deve ser vice, como já pediu Campos. Pesquisas do PSB mostram que a apresentação ao entrevistado de uma chapa Campos-Marina melhora a intenção de voto do governador de Pernambuco.

Ao aceitar ser vice de Campos, Marina disse que ele poderia efetuar até uma troca na chapa ao longo dos próximos meses caso encontre um nome que possa agregar maior apoio político.

Campos avalia que Marina é a opção que mais fortalece o projeto presidencial do PSB. Ela obteve quase 20 milhões de votos na eleição presidencial de 2010. O PSB acredita que Marina pode impulsionar o partido a tomar o lugar do PSDB em eventual segundo turno contra a presidente Dilma Rousseff.

Em São Paulo, o nome mais forte hoje para ser candidato a governador é o do advogado Pedro Dallari, filiado ao PSB. Há um empecilho. Ele é coordenador da Comissão Nacional da Verdade e teria de deixar esse posto. Menos cotado, o vereador Ricardo Young (PPS) é uma alternativa a Dallari.

No Rio de Janeiro, está bem encaminhada a negociação para que o deputado federal Miro Teixeira (Pros) seja candidato em aliança com o PSB.

Em Minas, a situação é mais complicada, porque PSB e PSDB possuem uma sólida união política. O prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB), tem dificuldade de ser candidato contra os tucanos.

O momento do anúncio de Marina como vice de Campos está em estudo. Há possibilidade de acontecer na segunda quinzena de fevereiro ou no início de março, após o Carnaval.

6 Comentários

  1. Saul de Lima Brenzink Responder

    Quem pode afirmar que o lançamento de Eduardo Campos não seja o plano B de Lula? Se a candidata fosse Marina com certeza boa parte dos eleitores iriam confirmar o seu bom desempenho na última eleição e quem sabe aumentaria até os números de eleitores colocando-a em condições de 2º turno e vencer as eleições porque o povo quer promover mudanças e experimentar novos políticos e partidos. Agora, como vice de um candidato que até pouco tempo comia na mão do PT é meio suspeito e duvidoso. Eu não caio nesta estratégia. Vou de gente nova. Vamos ver as novas caras desta campanha. Espero que apareça.

  2. sergio silvestre Responder

    Meu Deus,agora a coisa vai.
    Será que a oposição passa no ENEM.
    Que falta de materia prima a oposição hein gente.

  3. Doutor Prolegômeno Responder

    Essa senhôra quer poder, poder e poder. Seu projeto é pessoal, como todos os políticos brasileiros e cucarachos. Nada de inovador. É uma política tão tradicional quanto Sarney ou Lula. Querem um partido para mandar, controlar e ter candidatura garantida. O resto é conversa fiada para boi dormir.

  4. antonio carlos Responder

    Que novidade, creditava no contrário, o que será que fez a ex-ministra muar de ideia?

  5. Que o eleitor brasileiro não “caia” em mais um engodo nas eleições de 2014 . . .

  6. ademilton silva Responder

    Acho que a postura do seu Eduardo Campos tem sido firme no quesito gestão e da dona Marina no que diz respeito ao povão, então o que nos resta é tirar o leme da mão desses suicidas econômicos e moral, e acreditar em uma nova tripulação, e deixa a turma do PT ai em cima reclamar a vontade.MUDA BRASIL

Comente