Uncategorized

Cid Vasques presta apoio a policiais feridos em confronto

O secretário da Segurança Pública, Cid Vasques, foi até o Hospital Evangélico, na tarde desta sexta-feira (31), para visitar dois dos policiais civis que foram baleados durante confronto armado com um traficante na cidade de Campo Magro, na Região Metropolitana de Curitiba, na quarta-feira (29) desta semana.

Estão no Hospital Evangélico o delegado operacional do Cope Leonardo Carneiro, 30 anos, e o investigador de polícia Roberto Batista Soares, 35 anos. Os outros dois policiais feridos no mesmo episódio, Rafael Busch, 26 anos, e Carlos Antonio de Souza, 49 anos, estavam internados no Hospital do Trabalhador e receberam alta nesta sexta-feira.

“Vim manifestar a esses policiais a minha solidariedade e a solidariedade do governador Beto Richa. Nosso delegado foi vítima de ferimentos graves e fiquei muito satisfeito em saber que o seu estado de saúde está evoluindo positivamente”, disse o secretário. De acordo com informações repassadas pela equipe de médicos do Evangélico, o investigador deverá sair do hospital nos próximos dias.

Acompanharam o secretário nessa visita o delegado-geral da Polícia Civil do Paraná, Riad Braga Farhat, e o delegado titular do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), Edward Figueira Ferraz.

Vasques também destacou o excelente trabalho desenvolvido pelos policiais do Cope no combate ao crime organizado, e disse que esse tipo de enfrentamento é que demonstra a dura realidade das ruas vivenciada pela polícia, “muitas vezes colocando a vida em risco para retirar esses marginais de circulação, longe do conforto dos gabinetes climatizados e mais distante ainda do formalismo jurídico desconectado do verdadeiro mundo do crime”.

“A possibilidade concreta de perder a própria vida no embate com esses marginais é uma constante na atividade desses valorosos servidores, sempre empenhados em dar ao povo do Paraná, à custa de muito sacrifício, uma segurança pública de qualidade”, declarou o secretário.

Falando aos jornalistas na saída do hospital, Vasques também comentou a conversa que teve com o delegado. “Eu vi no delegado Leo um exemplo claro de policial destemido, cioso de sua responsabilidade e muito motivado em relação ao trabalho que executa. A sua preocupação maior não era necessariamente com o seu estado de saúde, e sim por acreditar que poderia ter falhado no cumprimento da missão por não atirar desde logo contra alguém que supôs estar desarmado. Isso realmente me comoveu”, comentou.

4 Comentários

  1. Quando os nossos morrem no cumprimento do dever não vai ninguém! Ninguém! Mas nossa missão é maior, continuaremos em frente mesmo assim.

  2. valdinei fernandes feliciano Responder

    Espero sinceramente que os policiais feridos se restabeleçam e retornem ao seio da família. E espero que não seja a última vez que um secretário de segurança faça visita a um incógnito policial (PC ou PM) estendendo uma mão amiga.

  3. ESCRIVÃO LIMA-CASCAVEL Responder

    Estou torcendo e rezando pela saúde do sr. Delegado e dos demais investigadores, pois passei por 36 anos nesta atividade como escrivão de polícia e são meus irmãos. FORÇA IRMÃOS, RECUPEREM-SE E VOLTEM PARA SUAS FAMÍLIAS, DEPOIS PARA A SOCIEDADE.

  4. Cidadão ligado Responder

    A preparação desse pessoal da segurança precisa melhorar. É viatura atropelando gente pela rua, tiros acidentais e incursões atrapalhadas como essa que quase custa a vida de vários policiais , os quatro foram feridos pelo mesmo elemento. É preciso se apurar com detalhes oque foi que aconteceu para que não aconteça de novo.

Comente