Uncategorized

Em 2009, Heron Arzua pensou em fechar a ParanáPrevidência

Pois, pois, a crise da ParanáPrevidência não é coisa nova. É crônica. Tanto que em 19 de março de 2009, o competente secretário da Fazenda do governo Roberto Requião, Heron Arzua, propunha solução radical para sanr p imbróglio: fechar a ParanáPrevidência. Simples, assim.

O presidente estadual do PSDB, Valdir Rossoni, perguntou a Arzua o que ele achava de transformar a ParanaPrevidência em uma simples coordenadoria da Secretaria da Fazenda. “Eu assino embaixo”, respondeu o secretário ao deputado.

Arzua argumentou que, em 93, Requião extinguiu o fundo anterior devido ao crescimento das despesas com a estrutura. “Uma das razões foi o crescimento da burocracia e dos cargos. Os gastos começaram a crescer. Para ter o fundo, basta ter a coordenadoria”, disse.

7 Comentários

  1. QUESTIONADOR Reply

    -Na verdade quem quebrou a Paraná Previdência foram os próprios governantes e depois querem se eximir da culpa e o pior fechando o instituto!!!

  2. Heron Arzua esta correto em seu pensamente, Beto Richa deveria ouvir o Heron, e mostrar as dividas da ParanaPrevidência, os gastos desnecessários com funcionários, com todo respeito a estes. O funcionários são pagos com a nossa contgribuição, além de todos os tipos de vales, transporte, refeição etç, Médico Hspitalar diárias altas, carros modernos. A Paranaprevidência poderia aproveitar um grande numero de funcionários do extinto IPE, que estão espalhados por diversas Secretarias. Os trabalhos que eram feitos por servidores do IPE são os mesmos práticados hj.

  3. Jayme de Azevedo lima Reply

    Fechar a PRPREV é um retrocesso, se há dívidas do governo para com o Fundo Previdenciário e portanto para com os servidores é pq os governantes não cumpriram com seu papel.
    A nova lei, com um novo corte deu uma sobrevinda ao fundo de 75 anos, após o fundo será independente e não necessitará de aportes governamentais.
    No Paraná quando o gestor público não entende um problema , o maus fácil é fechar, esquecer e deixar o passivo para os que vierem depois ( lembrem-se do Badep).
    A PRPREV é viável, é a maior do Brasil e pertence aos servidores administrada pelo governo, basta que se cumpra otexto legal.
    O maior problema no futuro de todos os países é o que fazer com a longevidade das pessoas , está será uma das grandes crises globais, e podemos sair na frente em âmbito nacional para que não venhamos a ser uma Grécia amanhã..
    Seriedade no trato da “res” previdenciária e profissionalismo na administração dos recursos sem achaques, semi intromissão indevida quer de políticos e de amadores e os fundos poderão em pouco tempo alavancar o desenvolvimento do país. Fundos previdenciarios após um tempo não precisam de contribuição patronal, precisam é de buscar tarifas e isto se consegue aplicando em infra-estrutura .
    Um exemplo é o Fundo dos professores da Holanda, sócios do porto de Rotterdam o maior entreposto de petróleo do mundo e o referido fundo tem em caixa 1.8 do PIB holandês .
    Não me venham com conversa fiada, o governo tomar dinheiro emprestado do Fundo é crime, aqui é em qualquer lugar. Acabar com aPrprev que é a poupança do servidor é de um amadorismo atroz e um total desconhecimento do que se passa no mundo com relação a questão previdenciária .

  4. Jayme de Azevedo lima Reply

    Correções : sobrevinda…
    o mais fácil é…
    se cumpra o texto legal…
    sem a intromissão …

  5. Jayme de Azevedo lima Reply

    Fechar a PRPREV é um retrocesso, se há dívidas do governo para com o Fundo Previdenciário e portanto para com os servidores é pq os governantes não cumpriram com seu papel.
    A nova lei, com um novo corte deu uma sobrevida ao fundo de 75 anos, após o fundo será independente e não necessitará de aportes governamentais.
    No Paraná quando o gestor público não entende um problema , o mais fácil é fechar, esquecer e deixar o passivo para os que vierem depois ( lembrem-se do Badep).
    A PRPREV é viável, é a maior do Brasil e pertence aos servidores administrada pelo governo, basta que se cumpra otexto legal.
    O maior problema no futuro de todos os países é o que fazer com a longevidade das pessoas , está será uma das grandes crises globais, e podemos sair na frente em âmbito nacional para que não venhamos a ser uma Grécia amanhã..
    Seriedade no trato da “res” previdenciária e profissionalismo na administração dos recursos sem achaques, sem intromissão indevida quer de políticos e de amadores e os fundos poderão em pouco tempo alavancar o desenvolvimento do país. Fundos previdenciarios após um tempo não precisam de contribuição patronal, precisam é de buscar tarifas e isto se consegue aplicando em infra-estrutura .
    Um exemplo é o Fundo dos professores da Holanda, sócios do porto de Rotterdam o maior entreposto de petróleo do mundo e o referido fundo tem em caixa 1.8 do PIB holandês .
    Não me venham com conversa fiada, o governo tomar dinheiro emprestado do Fundo é crime, aqui é em qualquer lugar. Acabar com aPrprev que é a poupança do servidor é de um amadorismo atroz e um total desconhecimento do que se passa no mundo com relação a questão previdenciária .

  6. Jayme de Azevedo Lima Reply

    Respeito e muito o tributarista Eron Arzua, mas a visão equivocada de acabar com a PRPREV e transformar em depto da Sec.da Fazenda é fora da realidade, o que querem é controlar o Caixa da instituição na ordem de 8 bilhões, fora a dívida que pode ser paga a longo prazo. Acabar com o Fundo, outra hipótese é voltar a pressionar o caixa do tesouro do Estado, algo impensável. O Requiao, usou o Fundo do IPÊ, fez uma duplicação de estrada federal e o Governo Federal não devolveu nada aos cofres do Paraná , isto é estupidez, e todos baixaram a cabeça para o ditadorzinho do Estado do Paraná à época. O homem é bipolar e tem um discurso ultrapassado.
    Volto a dizer ,com o tempo o Fundo se mantém, será perene e não vai mais pressionar o caixa do tesouro estadual. O custo da instituição é dos menores das estatais e paraestatais, no Paraná.Ao tempo que tive o privilégio de dirigir a PRPREV, havia apenas um Santana ano 99 para uso exclusivo da diretoria em serviço , alguns ecoesport para as assistentes sociais, um carro antigo para a área de engenharia e não tínhamos cartão de crédito ou algo parecido, conseguíamos tocar a entidade com a metadados valor orçado e atender as demandas salariais e de treinamento de pessoal ,são os melhores empregados previdenciarios do país e no meu tempo davam aulas e ensinavam por todo país. Quando assumi a PRPREV tinha 4 bilhões em caixa e dez anos de funcionamento, quando saímos apenas dois anos depois deixamos em caixa 8.5 bilhões, e créditos serem recebidos de 10 bilhões, uma legislação moderna e um prazo longo para o Estado pagar. pena que seis meses depois o caixa tinha 7.8 bilhões devido ao empréstimo feito de forma ilegal ao governo do Estado, operação lamentável e “contra legis”, cuja legislação feita às pressas “a posteriori” não justifica o ato passado.
    Acabar com a PRPREV é um retrocesso somente justificável pela sanha dos governantes de plantão em acessar o caixa da instituição que nada mais é que a poupança do trabalhador. Os servidores públicos e seus sindicatos devem se engajar na luta pela preservação da PRPREV.

Comente