Uncategorized

Comissão da Agenda Paraná fará primeira reunião nesta quarta

A comissão especial criada para elaborar a Agenda Paraná fará sua primeira reunião de trabalho nesta quarta-feira ( 11), no plenarinho da Assembleia Legislativa. P ara a sessão,foram convidados federações de empresários e trabalhadores, entidades sindicais, de classe, universidades, representantes governamentais e da sociedade civil organizada.

A abertura dos trabalhos será feita pelo presidente da comissão, deputado Wilson Quinteiro e em seguida o relator da comissão, deputado Luiz Claudio Romanelli fará uma exposição sobre os objetivos da Agenda Paraná. O secretário do Planejamento, Cássio Taniguchi fará uma exposição sobre os principais convênios do Paraná com o governo federal e apresentará as demandas do Estado.

De acordo com o deputado Luiz Claudio Romanelli é fundamental a participação de toda sociedade na construção de uma agenda pragmática de ações estratégicas no Paraná.

“A Agenda Paraná será construída em conjunto pelos parlamentares, Executivo, representantes de trabalhadores e setor produtivo estadual. Faremos audiências públicas com a participação de entidades de classe, como o CREA, Instituto de Engenharia, entidades representativas dos empresários como a Fiep, Faep, ACP, Ocepar, Fecomércio, representantes dos trabalhadores e da sociedade civil, para debater os principais projetos a serem apresentados aos candidatos”, explica Romanelli.

Romanelli diz que este é o momento para cobrar dos candidatos à presidente o compromisso de mais investimentos em obras de infraestrutura, saúde, educação.

“Esta é a oportunidade que o Estado tem para apresentar aos candidatos um plano de ações e obras para o desenvolvimento sustentável do Estado para os próximos anos. Embora o nosso Estado seja uma das economias mais fortes do país, não temos tido, por parte do governo federal, através dos programas, projetos, investimentos colocados à disposição dos Estados, a devida atenção. Os investimentos necessários para o desenvolvimento do Paraná são insuficientes. É preciso que sejam definidos os projetos estratégicos que dependem da relação com o governo federal e que serão fundamentais para o Estado do Paraná, nos próximos anos”, diz.

Entre os principais pontos da Agenda Paraná devem constar obras de infra-estutura, como a duplicação de estradas. “Precisamos discutir a duplicação de rodovias federais como a BR-277, espinha dorsal de escoamento da produção paranaense e da BR-376, obras no Porto de Paranaguá e nas ferrovias paranaenses”, disse.

A Agenda Paraná deve contemplar também um mecanismo de compensação pelos gastos do Estado com a manutenção do ensino superior.“Minas Gerais tem 11 universidades federais e 2 estaduais e o Rio Grande do Sul tem 7 instituições mantidas com recursos da União e apenas uma mantida pelo Estado. O Paraná é o estado com maior número de instituições de ensino superior estaduais em todo o país e investe R$ 2 bilhões por ano nas sete universidades estaduais. Precisamos que o governo federal corrija essa distorção e passe a assumir parte dos gastos com as universidades estaduais”, analisa.

Fazem parte da comissão os deputados Luiz Claudio Romanelli (PMDB), Nereu Moura (PMDB), Rose Litro (PSDB), Élio Rusch (DEM), Elton Welter (PT), Fernando Scanavacca (PDT), Wilson Quinteiro (PSB), Adelino Ribeiro (PSL) e Douglas Fabrício (PPS).

Agenda Paraná

Alguns dos temas que terão lugar garantido no documento a ser entregue para os candidatos à presidência da República:

Educação: Subsídio federal às universidades estaduais hoje custeadas pelo Governo do Paraná.

Transporte: duplicação de rodovias federais, como a BR-277 e a BR-376, de fundamental importância para o desenvolvimento econômico do estado;

Recursos naturais: o alto preço e a pouca disponibilidade de gás natural são um entrave ao desenvolvimento industrial do Paraná.

Energia: aumento dos repasses do governo federal para a gestão da produção de energia elétrica.

Pobreza: ampliação dos programas de combate à pobreza extrema unificação de ações dos governos federal, estadual e municipal.

Infraestrutura: Mais investimentos em obras estratégicas de infra estrutura, estradas, portos, ferrovias e geração de energia.

Comente