Uncategorized

Pouco a fazer

andre-vargas-2

Sem testemunhas

Do Lauro Jardim:

O que fará Julio Delgado, se os oito convidados a depor ao Conselho de Ética na Câmara sobre o caso André Vargas insistirem em não pisar no colegiado. Na prática, nada.

Caso nenhum deles compareça hoje, como vem se desenhando, Delgado enviará um novo convite (Leia mais aqui). O Conselho, porém, não tem poder de convocar ninguém.

Ou seja, assim que os convidados recusarem o segundo chamado, Delgado não terá outra alternativa, a não ser retirá-los da lista de testemunhas – para a alegria do PT e, claro, de André Vargas.

2 Comentários

  1. E dizer que esse safado do André foi vereador, deputado estadual, deputado federal e vice-presidente da câmara. Isso mostra a qualidade moral dos nossos políticos. Homens sem honra, sem princípios, sem ética. São candidatos iguais a ele que teremos em grande quantidade nas próximas eleições. O sistema político no país é carregado de vícios e maracutaias, lobos em pele de cordeiros é o que mais tem. A impunidade faz com que esses malandros não respeitem ninguém. Eis mais um exemplo de vigarice, o meliante aponta as testemunhas já sabendo que elas não comparecerão às oitivas e assim, consegue protelar o julgamento. E se arrastando do jeito que vai, da o prazo do mandato do malfeitor e ele acaba impune, e tudo termina em pizza. Uma vergonha. Tudo isso feito as claras, ao vivo e em cores. E não tem mais ninguém para combater esses malandros. Infelizmente o último dos justiceiros se aposentou deixando lá um grupo de serventuários comandados pela clã PT. Até parece que esse pessoal quer uma junta militar comandando o país novamente forçando a ditadura. Não sei não se seria melhor. O que acham?

  2. A triste conclusão que chegamos é que os políticos malan-
    dros proliferam porque as nossas leis oferecem imensos ata-
    lhos para que os crimes não sejam punidos em todos os níveis.
    No momento que um bandido ou político bandido sentir que
    mesmo cometendo um crime hediondo ainda vai ser impune
    o mais fácil é correr este “risco calculado”. Na verdade a lei está errada e enquanto existirem mais atalhos dos atalhos o Brasil vai continuar assim e continuaremos contemplando a
    ascensão destes marginais. Pobre de nós !!!

Comente