Uncategorized

A Copa não é dela

dilma-battler

Por Mary Zaidan

Animação geral, bandeiras, emoção. Dentro de campo e nas ruas, tudo é festa só. Até a alegria coletiva a campanha de Dilma Rousseff tenta transformar em feito de seu governo. “Derrotamos os pessimistas que diziam não haver possibilidade, a menor que fosse, de dar certo a Copa do Mundo aqui. Deu certo e mostrou um País alegre, que sabe receber os turistas”, disse a presidente na sexta-feira, em Porto Alegre, pouco antes da vitória da seleção sobre a Colômbia.

Embalada pela pesquisa Datafolha que lhe conferiu 4 pontos a mais depois do início da Copa, Dilma ocupa todos os espaços para associar sua imagem ao evento. Insufla o ufanismo e pesa na crítica aos adversários, os pessimistas, que acusa torcerem pelo “quanto pior, melhor”.

Vangloria-se dos aeroportos que funcionam (vários deles entre tapumes), dos estádios que ficaram prontos (alguns com gambiarras), como se isso não fosse exigência mínima para a realização de um evento para o qual o País teve sete anos para se preparar. Fala como se seus opositores estivessem torcendo contra o Brasil – a seleção e o País.

Esquece-se, por esperteza ou má fé, que as reais campanhas contra a Copa vinham de movimentos sociais adulados pelo governo. Alguns deles de estimação, como o MTST, com o qual a presidente negociou a inclusão no programa Minha Casa Minha Vida, depois de visitar a invasão batizada de Copa do Povo, próxima ao Itaquerão.

E trata como birra de quem teria “complexo de vira-lata” qualquer crítica ao Mundial.

Mas nada – nem o desejado hexa – será capaz de esconder a orgia de gastos que por antecipação assegurou ao Brasil o título da Copa mais cara já realizada. Só as 12 arenas custaram R$ 8 bilhões, 285% acima dos R$ 2,8 bilhões fixados em 2007. Mais do que o dobro dos R$ 3,2 bilhões da África do Sul e dos R$ 3,6 bilhões da Alemanha. Sem computar o legado muito aquém do prometido: das 100 obras previstas, mais da metade não estão prontas e 20% ficaram para as calendas.

Mary Zaidan é jornalista. Trabalhou nos jornais O Globo e O Estado de S. Paulo, em Brasília, e na Agência Estado (SP).

11 Comentários

  1. sergio silvestre Responder

    Se a copa desse errado a copa seria dela né dona Zaidan.
    Que imprensa funesta é essa hein.

  2. QUANDO TUDO IA DAR ERRADO, SEGUNDO A MIDIA FAMILIAR ..A COPA ERA DELA E DO PT.. AGORA QUE TUDO CAMINHA BEM A COPA NÃO É DELA.. É DE SQUEM ? DE VC SEUS URUBUS… MALDITOS… CHUPA CAMBADA DA PARTIDO DA IMPRENSA GOLPISTA. CHUPA TUCANALHA

  3. Não é ser pessimista, porem a Copa está dando certo porque
    os estádios ficaram prontos para os jogos independente dos
    gastos e roubalheira faraônicas e o povão não se identifica
    fora dos jogos de futebol. Isto aqui é o país do futebol.
    Assim, o que ocorreu por trás dos bastidores não importa em
    nada neste momento mesmo que depois caia a ficha de que
    muito deixou de ser feito em termos de infraestrutura que o
    evento beneficiaria este país. Neste ponto infelizmente o Lula acertou:- o povão vai ao jogo de metrô, de trem e até em lombo do burro… Triste realidade…

  4. Do Interior.... Responder

    Por isso estou tentado a torcer contra o Brasil.

    O brasileiro é muito burro mesmo! Confunde política com futebol. Quando este vai bem, a popularidade da farsante sobe.

  5. Ledo engano quem pensa que o sucesso da copa está atrelado a qualquer ação governamental. O sucesso é do povo brasileiro, que mesmo sofrendo com descasos, adora futebol e evidencia assim o seu amor pelo Brasil. As ações de governo foram corrupção em todas as obras superfaturadas, das quais o viaduto em Belo Horizonte que caiu matando pessoas e ferindo tantas outras. Sem contar as mortes ocasionadas durante a confecção das obras, principalmente dos estádios. E, infelizmente, podem esperar que a pressa com que terminaram algumas obras, ainda vai ser motivo de outras péssimas notícias. A gente torce para que não. Terminando a copa podem esperar, qualquer que seja o resultado, o povo vai continuar as manifestações. Foi só uma trégua para o maior evento esportivo do mundo.

  6. eu também acho que a DILMA NÃO TEM NADA HAVER COM A COPA ELA NÃO JOGA FUTEBOL, ELA NÃO É TÉCNICA ETC. ENTÃO SR. MARCO COMO SENHOR É PT ESTA FALANDO BESTEIRA,

  7. Doutor Prolegômeno Responder

    A grande frustração do lulopetismo é não ter erguido a taça nestes anos do seu domínio nefasto. JK levantou a taça; Jango levantou a taça; Médici levantou a taça; Itamar levantou a taça; e até FHC levantou a taça. Mas, Lula, pobre diabo só deu azar para o esporte de forma geral. Do vôlei ao futebol em duas copas e três olimpíadas (sendo que em 2012 perdeu a final) o lulopetismo foi uma asa negra para o Brasil. Vamos ver agora…

  8. o amigo do povo Responder

    Deixem de se iludir, a Copa é da companheira presidanta, até os estrangeiros já acreditam nisto. E agora a tarefa ficou muito mais fácil, se a Seleção agora sem o Neymar não emplacar esta não tem problema, o povo vai aceitar na boa. Não se iludam não, Copa e companheira vão fazer campanhas de braço dado. Depois não digam que eu não avisei.

  9. Concordo com o Saul. Tirando da conversa as óbvias provocações de fundo e interesse partidário, o fato é q as ações de gestão dos recursos públicos relacionadas ao custo das obras realizadas até a COPA ensejam sim suspeitas de corrupção e/ou incompetência. O fato é q a COPA das COPAS é a mais cara e com a maior renúncia fiscal de todas as anteriores! A quem atribuir este recorde indesejado pelos brasileiros?

Comente