Uncategorized

TCU encontra superfaturamento na ferrovia Norte-Sul

L16F88497701A44D591D539F7D174F7FC

Numa primeira avaliação, o TCU havia apontado superfaturamento de R$ 69,2 milhões

Do Estadão:

Mais uma vez, a ferrovia Norte-Sul é alvo de superfaturamento e uma série de outras irregularidades, como liquidação irregular da despesa, fiscalização ou supervisão deficiente ou omissa e projeto de engenharia deficiente ou desatualizado.

Os problemas foram encontrados por uma recente auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU). No Lote 12 da Norte-Sul, entre os municípios de Aguirnópolis e Palmas, no Estado de Tocantins, foi confirmado um superfaturamento de R$ 37,3 milhões em obras tocadas pela empreiteira SPA Engenharia. O contrato firmado em 2007 tem valor global de R$ 299,6 milhões.

Numa primeira avaliação, o TCU havia apontado superfaturamento de R$ 69,2 milhões. Depois de ouvir os argumentos da SPA, o tribunal revisou seus apontamentos, mas manteve a irregularidade em R$ 37,3 milhões.

Como as obras já foram executadas e o valor total foi pago, o TCU determinou que seja instalado um processo de tomada de contas especial, para ressarcir o pagamento aos cofres da Valec. Depois de receber vários aditivos, o contrato saltou para R$ 372,7 milhões.

A Norte-Sul é tocada pela estatal Valec. Em um segundo processo, o tribunal analisou mais cinco lotes de obras da ferrovia. Neles, também foram encontradas situações de superfaturamento decorrente de pagamento por serviço não executado, preços excessivos frente ao mercado. O TCU determinou a instauração de processos para cada lote, para quantificar o débito e apurar os responsáveis.

O Estado procurou a SPA, mas a empresa informou que não tinha porta-voz para comentar o assunto. A Valec não se manifestou até o fechamento desta matéria.

4 Comentários

  1. O sobe e desce das obras no nosso país parece como os
    trilhos da fotografia. Mais parece os trilhos de uma montanha
    russa, cheia de lombadas…

  2. o amigo do povo Responder

    O TCU devia deixar estas minudências de lado, superfaturamento já faz parte da nossa cultura. O que tribunal realmente deveria exigir da estatal das estradas de ferro é a data da conclusão da obra. Ela vem se arrastando há tempo demais.

  3. DILMA , NAO MANDA DINHEIRO PARA O PARANA PORQUE A GLEICE IMPERROU A SAIDA DO DINHEIRO ,POR TER PROBLEMAS POLITICOS COM O GOVERNADOR, MAS COM ISSO QUEM PERECE E O POVO PARANAENSE.

Comente