Uncategorized

Dissidentes do PMDB abrem campanha pesada contra Requião

unnamed

A campanha pra valer começou neste sábado (26) na Boca Maldita de Curitiba. Dissidentes do PMDB, contrários à candidatura de Roberto Requião (PMDB), distribuíram panfletos com fac-símile de matéria do jornal da Gazeta do Povo, edição de 23 de setembro de 2012, em que a Polícia Federal, através da Operação Dallas, liga fraudes e desvio de dólares do Porto de Paranaguá a Eduardo Requião, irmão do senador candidato do PMDB ao governo do Paraná. Também foram devolvidos os dólares – uma montagem da nota de US$ 1 dólar com a foto de Eduardo Requião – aos populares que circularam pela manhã na Boca Maldita. O ato foi animado ainda pela banda Vovó Dallas – uma alusão a operação desencadeada pela PF e ao apelido do irmão de Requião – Vovó Naná – em Paranaguá.O ex-governador Orlando Pessuti e outros peemedebistas e comunistas participaram do ato.

Os dissidentes do PMDB formaram o Comitê Paraná Total – estrutura suprapartidária composta de ativistas políticos e dos movimentos sociais. “É o início da campanha eleitoral. Um ato irreverente como irreverente é a Boca Maldita. Estamos trazendo aquele que é um dos grandes assuntos desta eleição: as denúncias do envolvimento da família Requião no caso da corrupção do Porto de Paranaguá. É uma questão que não pode passar desapercebida da população do Paraná durante este processo de debate”, disse Doático Santos, secretário-geral do PMDB de Curitiba e coordenador do comitê.

As denúncias envolvendo Eduardo Requião ganharam destaque na imprensa. Conforme a Gazeta do Povo, as ligações
interceptadas pela Polícia Federal indicam Requião receberia US$ 2,5 milhões na compra de uma draga. “Gravações telefônicas feitas pela Polícia Federal durante a investigação que culminou na Operação Dallas, deflagrada na última quarta-feira, revelam que o ex-superintendente do Porto de Paranaguá Eduardo Requião de Mello e Silva, irmão do senador eleito e ex-governador do estado Roberto Requião, seria o principal beneficiário de um suposto esquema que renderia propina de U$S 5 milhões (quase R$ 9 milhões) na licitação para a compra de uma draga vinda da Chi­­na. As interceptações ainda apontam indícios de que Eduardo Requião mantinha em casa grande volume de dólares sem comprovação de origem, além de fazer remessas para o exterior”, diz a matéria da Gazeta do Povo de 23 de setembro de 2012. Leia a seguir a sequência da matéria.

Nas conversas narradas nos relatórios da PF, obtidos com exclusividade pela Gazeta do Povo e que fazem parte da investigação da Operação Dallas, o ex-superintendente Daniel Lúcio de Oliveira de Sou­­za fala que Eduardo Requião, citado nas conversas como “Croco­dilo”, receberia US$ 2,5 milhões (R$ 4,2 milhões) em propina caso a Administração dos Portos de Para­naguá e Antonina (Appa) comprasse a draga da empresa Global Connection.

A outra metade da propina, segundo documento da PF, seria dividida após a conclusão da licitação. Dois dos supostos beneficiários seriam o empresário Luís Gui­lherme Gomes Mussi, ex-assessor especial do governo e segundo suplente do senador Roberto Requião, e Carlos Augusto Moreira Júnior, que foi chefe de gabinete do ex-governador, disputou a prefeitura de Curitiba em 2008 pelo PMDB e é ex-reitor da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

A investigação da PF mostra que a negociação da propina que seria obtida na compra da draga teria chegado à ante-sala do então governador Roberto Requião. Não há indícios, porém, de que o ex-governador sabia da fraude no processo licitatório. Mesmo assim, a certeza de que o esquema daria certo era tanta que, segundo a PF, o contrato de compra da draga chegou a ser assinado com o vendedor chinês antes da licitação – o processo de compra, no entanto, foi cancelado pela Justiça Federal em agosto de 2010.

Após seis meses de monitoramento telefônico, autorizado pela Justiça Federal, a PF pediu ao Poder Judiciário a prisão de Eduardo Requião e de Luís Mussi, entre outros envolvidos, por entender que havia provas do envolvimento deles na tentativa de fraudar a licitação. “Há provas suficientes de que houve conluio entre agentes públicos e privados para que fosse direcionada a licitação para a compra da draga”, diz um trecho do documento confidencial da PF. Não foi pedida a prisão de Moreira e outros investigados porque os delegados federais entenderam que eles não iriam interferir no curso da investigação.

O juiz federal de Paranaguá Marcos Josegrei da Silva indeferiu o pedido de prisão de Eduardo Re­­quião e Mussi. O magistrado relata, na decisão, que não vê indícios de formação de quadrilha, mas destaca que “há ainda várias referências a irregularidades cometidas por Eduardo Requião durante sua gestão como superintendente do Porto, havendo menção a remessas ilegais de altas somas em dinheiro feitas por ele para contas bancárias no exterior, bem como de que mantinha em casa, sem comprovação de origem, o montante de U$S 2 milhões – quase R$ 4 milhões”. O juiz cita que esses fatos não se relacionam com a Operação Dallas e “evidentemente, merecem ser investigados mediante a abertura de inquérito”.

Dólares

Em uma troca de e-mails, datados de 4 de abril de 2010, dois dos in­­vestigados falam sobre o fato de Eduardo Requião guardar dólares em apartamentos em Curitiba e Rio de Janeiro. Durante o cumprimento de mandado de busca e apreensão, os agentes da PF encontraram R$ 140 mil na casa de Eduar­­do no Rio. O relatório da PF mostra ainda que um dos investigados relatou que Eduardo Requião tem uma conta nos Es­­tados Unidos.

A suspeita de fraude em licitação surgiu durante a investigação da PF que apurava denúncia de desvio de cargas no Porto de Pa­­ranaguá – na qual não há indícios de envolvimento de Eduardo Re­­quião, Carlos Moreira Júnior e Luis Mussi. Na última quarta-feira foi deflagrada a Operação Dallas com a prisão de dez pessoas – entre elas o ex-superitendente da Appa Daniel Lúcio de Oliveira Souza, que também é investigado por direcionamento de outras licitações do Porto. Foram cumpridos ainda 29 mandados de busca e apreensão . A farta documentação apreendida na residência e empresas dos investigados está sendo periciada pelos agen­­tes da PF.

12 Comentários

  1. Vamos ver até onde vai a macheza destes “dissidentes”. Será que vai até a primeira pesquisa de intenção de voto realmente honesta? Como o resultado o senador maluco e sua “famiglia” passam a ser as melhores pessoas do planeta.

  2. Sem esses dissidentes o PMDB sob o ponto de vista ético é visivelmente menos pior!!!!!!!!!!!

  3. mercenários..querem culpar O Requião, onde a própria policia diz; que não há indicios de que o ex-governador Requião, sabia do caso…Querem jogar a culpa no es-governador, onde a policia diz, que NÃO A INDICIOS DE SEU ENVOLVIMENTO….O povo, não é tão burro assim….

  4. Se o Requião quisesse o Pessuti em suas fileiras era só oferecer uns carguinhos para ele e sua familia, nessa hora ele já estava em cima do barco, mais o homem na verdade mais tira votos que arruma.

  5. Raposa do Rabo Felpudo Responder

    Dois frustrados politicamente… só conseguiram ser alguma coisa na sombra de Requião… A ingratidão é o maior de todos os pecados….O Pessuti devia deixar o PMDB e ir pro PSC, onde está seu filho, que alias é autor de um baita projeto, aquela que obriga restaurantes a darem descontos para quem fez cirurgia de redução de estomago… por coincidência o proprio paipai….O Pessuti, que cobra moralidade, deve explicações sobre o cargo de sua mulher na Assembleia e o escandalo do leite, envolvendo um de seus filhos…. E o escandalo da Imprensa Oficial???? Um dos envolvidos é seu irmão…

  6. Deve ser um horror ter que lutar para alguém não ganhar vendo a cada dia as chances do desafeto aumentarem. Chega a ser patético essa cena. Que dó, normalmente meus comentários são mais agressivos mas hoje realmente senti muita pena, muita pena mesmo, decadência total.

  7. Que pena alguem que representava ser séria , se prestar a uma palhaçada dessas em plena xv ,. O Pessuti poderia aceitar a derrota no pmdb e talves até tivesse um cargo em comissão no governo REQUIão .

  8. Porque será o interesse do Pessuti trabalhar contra o requião será que interesse proprio como sempre que como governador não fez nada pelo parana isto porque ele é do vale do ivai imagina se não fosse ……

  9. -Pirotecnia para nada, apenas para chamar a atenção!!!
    -Porque não pressionam o Juiz que não prendeu a Vovó Naná e seus comparsas????
    -Bando de aloprados!!!!!

  10. Estáo baixando de nível… Normal… É o desespero batendo.. As pesquisas estáo mostrando Requiáo na frente já de largada.

Comente