Uncategorized

Delfim Netto torce
por Dilma Rousseff

images_cms-image-000384339
O Ex-ministro da Fazendo do regime fardado, Antonio Delfim Netto, que já esteve no PMDB e agora é petralha de carteirinha, diz que, apesar do pessimismo do mercado interno com relação ao crescimento de 2014, ‘o cidadão médio pouco sofisticado em matéria financeira, concentrado em ganhar a vida honestamente para si e sua família, “sente” apenas que continua subindo a escada do “bem-estar” com degraus de alturas diferentes, mas sempre subindo’; segundo ele, é essa expectativa que parece determinar o resultado da eleição.

Delfim Netto não é bom de previsões eleitorais. Aliás, era contra eleições diretas e não previu nem a sua derrota, que encerrou sua cerreira de político meia-boca.

6 Comentários

  1. O Gordo está simplesmente confirmando o estelionato eleitoral em que vivemos!
    Incentive-se o consumo e não a produção e daí para o lodo é só um passo. A conta virá salgada .
    Aliás, este cara virar PTralha de carteirinha é o máximo. Cheira ao Greca , que virou PMDbalha de carteirinha .
    È o efeito orloff dos fofos!!!!

  2. Deu-o-fim, você é da era dos tiranossauros e só pode estar de brincadeira ou querendo uma boquinha neste governo.

  3. O sujeito foi de tudo Ministro da Fazenda. Ministro da Educação, ministro da Agricultura, sem nunca entender de nada, muito menos a que supostamente era a sua área a financeira, esse não é a bananeira que deu cacho, esse é cacho sem bananeira….

  4. cara imaginem se ele entendesse de alguma coisa entaum, sem entender nada como estão acima falando comprou metade do brasil é o resto ele ganhou no grito .quanto sangue inocente tem nos ombros desse véio, que a terra lhe seje leve e coitado do capeta.

  5. O extodopoderoso ministro da Gloriosa de 31 de março está sendo coerente, porque algumas declarações da companheira presidanta nos fazem voltar aos tempos da Gloriosa.

  6. Esse daí na época em que foi ministro sobretaxou até a água em 20%, alegando que era “supérfluo”, e só faltou sobretaxar o ar que respiramos, e mesmo assim não conseguiu dar um jeito na inflação.
    DESAPROVADO pelos eleitores alfabetizados políticos.

Comente