Uncategorized

Gleisi, a grande prejudicada pelo Datafolha

gleisi

Analistas de todas as cataduras e convicções concordam em algo: a grande prejudicada pelo Datafolha divulgado ontem é a senadora Gleisi Hoffmann, candidata ao governo pelo PT. Em todas as outras sondagens de opinião em Curitiba e Região Metropolitana ela alcança, no mínimo, 20% das intenções de voto. Pelo Datafolha tem apenas 13%. Bom lembrar que ela venceu de tala erguida em Curitiba a disputa do Senado, há quatro anos, e derrotou Requião que ficou em quarto lugar, atrás de Gleisi, Ricardo Barros e Fruet.

Há quem pondere que a entrada do prefeito Gustavo Fruet na campanha de Gleisi pode tê-la arrastado para baixo, tal a decepção dos curitibanos com o desempenho do prefeito, que elegeu-se com promessas nunca cumpridas e com uma administração sofrível, considerada a pior nos últimos 50 anos.

4 Comentários

  1. SYLVIO SEBASTIANI Responder

    A candidatura ao Senado foi diferente com duas vagas. O Poder dela na época pedia o “segundo” voto. Esse o motivo da eleição com duas vagas. Recordo um caso forte.Em 1966 Amaury de Oliveira e Silva era o forte candidato à Senador e na segunda vaga foi eleito Adolpho de Oliveira Franco, os dois foram eleitos.

  2. SYLVIO SEBASTIANI Responder

    Anteriormente a Gleisi candidata à Prefeita de Curitiba, obteve 18%, agora para o Governo do Estado não chegará a isto.

  3. Parreiras Rodrigues Responder

    Nada a ver com Fruet. Nariz empinado, o caso do assessor pedófilo e a sua proximidade com Vargas, o Hilário, a sua pretensão em assemelhar-se à Dilma, a sua indesmentível participação no bloqueio às demandas do seu Estado e, principalmente, porque aqui no Paraná PT não se cria. Por quê? Porque, como diria Paulo Pimentel “Aqui se trabalha” ou no original “Chi se lavora”.

  4. Se formos por a culpa do fracasso da princesinha no instituto de pesquisa então, necessariamente, temos que desconfiar de todas as pesquisas. É isto que queremos? A princesinha fracassou porque não fez nada por nós, agora está pagando o preço do descaso.

Comente