Uncategorized

Antaq aprova porto em Pontal do Paraná

porto_280814

Investimento de R$ 1,1 bilhão em novo terminal privado de contêineres vai aumentar em 55% a capacidade portuária do Paraná.

De Cíntia Junges, Gazeta do Povo:

Com potencial previsto para dobrar a capacidade de movimentação de contêineres nos portos paranaenses, o antigo projeto de um terminal privado em Pontal do Paraná, no Litoral do estado, pode finalmente começar a sair do papel. A Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) concedeu a autorização definitiva para a construção do terminal. O contrato de concessão entre a Antaq e a empresa paranaense Porto Pontal Paraná Importação e Exportação, dona do projeto, já havia sido assinado há pouco mais de um ano, mas teve de ser adaptado à nova Lei dos Portos, aprovada em junho de 2013.

O investimento no terminal é estimado em R$ 1,1 bilhão e deve ser realizado em duas etapas. A expectativa da empresa é que a primeira fase – que corresponde a dois terços da estrutura total prevista no projeto – fique pronta até o final de 2017, com capacidade de movimentação de 1,5 milhão de unidades. Ao todo, o terminal deve ocupar uma área de 600 mil m², com um cais de atracação de 1,3 mil metros, maior que o Tecon de Santos (SP), que tem 980 metros de cais, e que o Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP), que possui 879 metros de cais.

À frente da empresa Porto Pontal, o empresário João Carlos Ribeiro diz que este deve ser o terminal com a maior área para depósito de contêineres do Brasil, com 450 mil m² de pátio. Pelo projeto, o terminal de contêineres de Pontal do Paraná faria a capacidade portuária do estado passar dos atuais 45 milhões de toneladas para 70 milhões de toneladas.

Rodovia

Além das licenças ambientais, o terminal depende de um estudo de impacto ambiental para a construção de uma nova rodovia de quase 18 quilômetros que terá praticamente o mesmo traçado da PR-412. O edital para a contratação da empresa que vai realizar o estudo será aberto no dia 3 de setembro. Depois, ainda vai ser preciso um novo edital para fazer o projeto da rodovia.

Depois de 13 anos trabalhando para viabilizar o terminal, a autorização da Antaq reforçou a confiança de Ribeiro na importância do projeto para o Paraná. “Enquanto Santa Catarina dobrou sua capacidade portuária nos últimos anos, nós ficamos estagnados. Antonina comporta apenas navios pequenos e Paranaguá chegou ao seu limite, com ganhos apenas de eficiência”, afirma Ribeiro. A única forma de aumentar a capacidade portuária do estado, segundo ele, é construir um novo terminal.

“A área de 610 mil m² tem potencial. O terreno é plano e a profundidade do calado chega a 25 metros, mais do que o necessário para aportar os grandes navios de contêineres que operam hoje”, diz o empresário. Segundo o contrato assinado com a Antaq, a empresa Porto Pontal está autorizada a operar o terminal por 25 anos. Pela nova Lei dos Portos, a concessão é renovada automaticamente, desde que sejam mantidos os investimentos previstos.

4 Comentários

  1. Nosso estado cresce cada vez mais com a gestão Beto Richa, muito investimento tem sido feito e muitas melhorias por todo estado, gerando mobilidade, renda e empregos para os paranaenses!!
    Bem diferente do governo anterior onde até ação na justiça pra impedir aumento de salário de funcionários públicos aconteceu!!

  2. Beatriz Figueira Responder

    Mais investimentos mais empregos, mais renda. O Paraná agradece. Muito obrigada Beto Richa!! É contigo que eu vou!

  3. Mas este porto só sai do papel se o Pinoquião não assumir o trono do palácio. Porque se ele assumir, os investidores vão sumir, ninguém é louco a ponto de investir em terra governada por Pinóquio.

  4. Recentemente o empresário João Carlos Ribeiro declarou que esses empreendimentos gerarão 50.000 empregos diretos. Exageros a parte, suponhamos que sejam 10.000…5.000 da população local e 5.000 de fora…a pergunta é: onde vai morar, estudar, e ser atendido por saúde todos esses migrantes e familiares que juntos virão, sendo que a atual estrutura já é extremamente precária?

Comente