Uncategorized

Coordenador do núcleo LGBT da campanha de Marina deixa o cargo

marina coordenador lgtv

De Sérgio Roxo, O Globo:

O coordenador do núcleo LGBT da campanha presidencial do PSB, Luciano de Freitas, deixou o posto, depois da decisão da candidatura de rever pontos do programa de governo voltados aos direitos dos gays. Freitas, que faz parte da Diretório Nacional do PSB, afirmou que a decisão já havia sido tomada na semana passada.

— Eu já estava decidido a sair porque estava sem tempo e depois desses contratempos todos — disse.

O coordenador do núcleo LGBT, que é de Pernambuco, justificou que pretende se dedicar à campanha do candidato do PSB ao governo do estado, Paulo Câmara, e da candidata a deputada estadual Laura Gomes.

Freitas se recusou a comentar a decisão da campanha de publicar uma errata do programa de governo retirando o trecho do documento que defendia a aprovação de lei que criminaliza a homofobia e a proposta de colocar na constituição o direito ao casamento civil entre pessoas do mesmo sexo.

— Prefiro não falar — disse.

Ele foi o coordenador da equipe redigiu esse trecho do programa de governo e fazia parte do núcleo LGBT desde o início da campanha, quando o candidato do partido era Eduardo Campos.

— O que redigimos foi exatamente o que saiu. Esperávamos que tivesse cortes. Ficamos surpresos com o que foi publicado.

O coordenador geral da campanha de Marina, Walter Feldman, disse não ter conhecimento da saída de Freitas, mas considerou natural um eventual abandono do posto.

— Não pedimos a ninguém para sair. Houve várias manifestações em relação a mudanças do nosso plano de governo. Elas são democráticas, ninguém é obrigado a apoiar, ninguém é obrigado a ficar. Aquilo que foi reformado expressa exatamente a opinião da candidata e dos coordenadores do programa de governo — afirmou Feldman.

9 Comentários

  1. Entendendo é que esses movimentos minoritários que querem impor suas posições na marra e na desordem social, tornando aquilo que, ainda, é normal em anormal, o que é imoral em moral, e criminalizar os indivíduos por suas convicções e opções morais, éticas e religiosas. Não precisamos de mais leis humanistas, os desajustados que se ajustem, o que precisamos é de um Poder Judiciário que seja ‘igual para todos’.

  2. Doutor Prolegômeno Responder

    O lulopetismo convocou suas hostes do horror e terror no vale tudo contra Marina. O Brasil precisa mesmo é uma legislação que criminalize a “hidrofobia”.

  3. Jacinto Aquino Rêgo Responder

    Como é retrógrado esse público dos comentários.
    ferreira, vc. não entendeu, a Lei não vai obrigar você a ser homossexual. Deixe de se preocupar com o fiofó dos outros e vai tentar ser coerente “um judiciário igual pra todos”, pelamor de Deus e isso que os gays querem, igualdade.

  4. jacinto aquino rego ………….

    Meu fiofó só tem uma serventia, o seu não por ser polivalente serve às outras causas também. No momento em que vocês gays, discípulos de jean Jeep Willys e adoradores de telenovelas da globo ganharem os direitos, que já estão reivindicando com projetos transitando no congresso, como, a quota gay, medicamentos para possam usar seus fiofós ao bel prazer e com garantia do Estado, daí a justiça será mais desigual pois já vem privilegiando outras causas minoritárias.

  5. Esse tal de Ferreira pelo jeitão enrustido de se comunicar gosta de levar ferro! Sai do armário santa e solta o Luiz B. (aitola) também!

  6. Livre Pensador Responder

    Queria saber por que o povo se importante tanto com a orgulho das minorias, tentas coisa pra se preocupar, será que esse que se preocupam com o que faz a minoria polo motivo de não ter com que se orgulhar… digo a todos que criticam as minorias, por fazer tenta orgulhar de quebrar essa onda de preconceito e dos pensamentos primitivos machista.

    Religião não deve ser usada como referencia de nada, pois o não pode ser comprovada os argumentos que lá estão.

Comente